Procure no JP

segunda-feira, 28 de agosto de 2006

Massacre mogiano no Parque São Jorge

Opa,

Fechando a rodada do final-de-semana da minha pessoa, no domingo de manhã tinha algumas opções de jogos distribuídos pela Grande São Paulo. Mas como fazia tempo que não aparecia no Parque São Jorge, fui para lá curtir um jogo pela Copa FPF, entre Corinthians e Mogi Mirim. De última hora, o Mílton acabou me acompanhando na jornada, tudo para respirar os ares históricos do Parque.


O time do Mogi-Mirim entrando no campo, sem posar para fotos. E ao lado, um gracioso sapo se preparando para assistir a partida no Parque. Indícios de boa sorte para o Sapão? Fotos: Fernando Martinez.

Os dois times estavam absolutamente empatados na classificação do seu grupo na Copa, e a vitória era essencial aos dois times. Mas o Corinthians, pela boa fase na Copa e por jogar em casa era o favorito. Mas provavelmente contaminado pelos ares podres que rodeiam tudo relacionado ao alvinegro hoje em dia, o Timão não fez jus ao favoritismo.

Se bem que a história da partida foi praticamente definida aos 15 segundos de jogo. Dada a saída de bola, o ataque corintiano foi fulminanente rumo à meta do Mogi, e por puro preciosismo perdeu um gol feito. Esse gol fez muita, mas muita falta ao time corintiano. Depois desse lance, o jogo ficou parelho, mas com as chances melhores para o Corinthians. Mas num contra-ataque rápido o Mogi abriu o placar. Precisando mostrar serviço, o alvinegro foi todo ao ataque e deixou sua defesa aberta. Nessas, o Mogi se aproveitou e com uma grande falha do goleiro Johnny Herrera (ele mesmo!), o Sapão chegou aos 2 a 0. Ah, os dois gols foram marcados pelo jogador Ícaro.

O intervalo foi propício para passearmos pelas vielas históricas do clube. Visitamos o velho Bonde, o grande Ginásio, que já foi palco de eventos históricos (como shows, partidas históricas do basquete alvinegro e minha primeira comunhão), praticamente sub-utilizado, e as quadras e o conjunto aquático do Timão. O clube não está lá essas coisas, mas ainda tem seu grande charme.


Chance perdida do Corinthians no segundo tempo de partida. Foto: Fernando Martinez.

O segundo tempo começou, e logo de cara, em outra bobeada da zaga alvinegra, o Mogi fez o terceiro gol, através do jogador Gil. No minuto seguinte, o Corinthians ainda fez o seu, através do jogador Nilton. Mas isso nada mais foi do que um simples espasmo corintiano. O time continuou a perder bolas fáceis e seus atacantes estavam em dia nada inspirado.


O jogador Nílton marca o primeiro gol corintiano: uma efêmera reação. Foto: Fernando Martinez.

Pelo resto do segundo tempo cantamos a bola que o time do Mogi estava muito mais perto do seu gol do que o Corinthians. O time do interior levava imenso perigo nos contra-ataques e a defesa corintiana cabeça. Com a boca santa, o Mogi fez mais dois gols, marcando um massacre no Parque. Aos 30 e aos 32 minutos (esse em outra falha do Herrera), o jogador Gil marcou e decretou a goleada.


Escanteio para o Corinthians no segundo tempo da partida. Foto: Fernando Martinez.

Nos minutos finais o Mogi ainda quase chegou ao sexto gol, mas o placar final foi decretado novamente pelo jogador Nílton, marcando de pênalti o segundo e inútil gol do Corinthians. Independente do massacre, o jogo foi ótimo, e a raça do time do Mogi Mirim foi preponderante para a equipe marcar esse resultado histórico.


O segundo é inútil gol corintiano, marcado de novo pelo mesmo Nílton. Foto: Fernando Martinez.

Final de jogo: Corinthians 2-5 Mogi-Mirim. Agora o time se complica para garantir a vaga à Segunda Fase. Já o Mogi consegue esse placar histórico e luta como nunca pela mesma vaga. Faz parte.

Bom, de tarde não tive como acompanhar nenhum jogo, graças a mais um show da minha banda, o The Jenniffers. Quem quiser saber como foi esse grande concerto, é só entrar no http://www.thejenniffers.blogger.com.br/ . No mais, agora joguinho só semana que vem!

Até mais, folks!

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário