Procure no JP

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Portuguesa consegue primeira vitória na Série A2

Olá, 

Após ter conferido o jogo de abertura da Série A3 em São José dos Campos, no sábado pela manhã, no domingo cedo foi a vez de comparecer ao Estádio Dr. Oswaldo Teixeira Duarte, popularmente conhecido como Canindé, com o objetivo de acompanhar a partida A. Portuguesa de Desportos x E.C. Santo André, válida pela segunda rodada da primeira fase do Campeonato Paulista da Série A2

Essa partida reuniu duas equipes que estrearam na competição de forma diferente, pois enquanto a Lusa foi derrotada, fora de casa, por 1x0 pelo Monte Azul, o Santo André venceu, em seus domínios, o Velo Clube Rioclarense pelo mesmo placar. Portanto, a torcida rubroverde foi para o estádio com a expectativa de ver a estreia da sua equipe em casa e, principalmente, torcer pela reabilitação, visando começar a somar pontos para conseguir a classifcação entre os 8 primeiros dessa primeira fase e, depois, brigar pelo retorno à elite do futebol paulista. 

Ao entrar em campo, mesmo com anos de rodagem no futebol, senti uma grande emoção, pois foi a primeira vez que pisei do gramado do estádio da Lusa, que é um dos templos sagrados do futebol paulista e brasileiro. Passada a emoção, fiquei aguardando a entrada dos artistas do espetáculo para fazer as tradicionais fotos posadas, as quais estão apresentadas abaixo: 


A. Portuguesa de Desportos - São Paulo/SP. Foto: Orlando Lacanna. 


E.C. Santo André - Santo André/SP. Foto: Orlando Lacanna. 


Quarteto de arbitragem com o árbitro Luiz Carlos Ramos Júnior, os assistentes Carlos Alberto Funari e Fernando Afonso de Melo e o quarto árbitro Daniel Carfora Sottile junto com os capitães das equipes e a bola do jogo. Foto: Orlando Lacanna. 

Assim que o árbitro autorizou o início da partida, a Portuguesa saiu com tudo para o ataque e, logo aos 2 minutos, o camisa 2 Luis Ricardo escapou pela direita e cruzou forte, com a bola tocando no poste esquerdo, provocando o primeiro susto à defesa andreense. O Santo André respondeu aos 10 minutos, num cruzamento feito por Willian Xavier que atravesssou a área e achou o camisa 11 Leandrinho, que concluiu para fora. 


Jogada aérea do ataque luso no início da partida. Foto: Orlando Lacanna. 

A Portuguesa mantinha mais tempo a bola em seu poder, exercendo domínio territorial, porém com pouca objetividade, uma vez que os atacantes lusos apresentavam dificuldades para penetrar na defesa visitante. Diante disso, passaram a tentar os arremates à meia distância, como aconteceu aos 26 e 33 minutos, através de Rafael e Moisés, sendo que no primeiro lance o goleiro Rodrigo Viana praticou boa defesa e no segundo o tiro saiu sem direção. 


Tentativa de ataque da Portuguesa pela direita ainda na primeira etapa. Foto: Orlando Lacanna. 

Somente próximo ao final da primeira etapa, o Santo André voltou a incomodar a defesa lusa, quando aos 42 minutos, o camisa 9 Willian Xavier, numa jogada individual, invadiu pela meia direita de mandou um chutaço que o goleiro rubroverde Gledson desviou para escanteio. Foi o melhor momento dos visitantes no primeiro tempo. 


Uma das poucas jogadas ofensivas do Ramalhão na etapa inicial. Foto: Orlando Lacanna. 


Atleta da Lusa bufando numa disputa acirrada pela bola. Foto: Orlando Lacanna. 

O término da primeira etapa já estava próximo, quando nos acréscimos, a Portuguesa chegou bem perto de inaugurar o marcador, porém o camisa 5 Rogério interceptou em cima da linha, um desvío de cabeça do zagueiro da Portuguesa Moisés Moura, deixando o grito de gol entalado na garganta do torcedor luso. Logo após, o árbitro encerrou os primeiros 45 minutos que foram bem movimentados, com predomínio da Portuguesa, porém sem objetividade. As expectativas ficavam para o segundo tempo. 

Logo nos primeiros minutos da segunda etapa, era possível perceber que a Portuguesa havia voltado com a determinação de abrir o marcador o mais rápido possível, forçando as jogadas pelos lados do campo, em especial pelo lado esquerdo, atavés de jogadas puxadas pelo camisa 7 Michel. 


Ataque da Portuguesa logo no início da segunda etapa. Foto: Orlando Lacanna. 


Zaga andreense interceptando cruzamento pelo alto. Foto: Orlando Lacanna. 

O domínio ofensivo da Lusa era cada vez mais evidente e, de tanto insistir, o gol inaugural aconteceu aos 7 minutos, marcado contra pelo zagueiro camisa 3 Otávio, após mais uma linda jogada pela esquerda e executada por Michel. O jogador invadiu, deu um corte no zagueiro e cruzou, sendo que o zagueiro ao tentar cortar, desviou para o seu próprio gol, com a bola tocando no poste esquerdo e ultrapassando a linha fatal. A zaga andreense tentou evitar, mas o assistente estava atento na jogada e correu para o meio confirmando o gol luso, naquele momento, mais do que merecido. 


Início da jogada realizada por Michel que resultou no gol contra a favor da Lusa. Foto: Orlando Lacanna. 

A partir do gol de abertura,a superioridade da Portuguesa ficou ainda maior, sendo que aos 13 e 14 minutos, o segundo gol esteve por um fio, só não acontecendo porque as conclusões de Marcelo Cordeiro, de cabeça e Correa, batendo de chapa, passaram muito perto. 

Somente aos 17 minutos, o time do ABC levou perigo à meta guarnecida por Gledson, quando a defesa rubroverde bobeou na marcação e permitiu que o camisa 8 Ramalho (ex-São Paulo) invadisse sozinho, mas para alívio do time da casa, a conclusão foi por cima do travessão. 

A Portuguesa jogava solta e a marcação do seu segundo gol era uma questão de tempo e, não deu outra, pois aos 21 minutos, o camisa 11 Rafael aproveitou uma sobra de bola no interior da área e fuzilou o goleiro visitante, decretando a queda da meta andreense pela segunda vez. 


Goleiro Rodrigo Viana caído de pernas para o ar e a bola no fundo da rede no segundo gol luso. Foto: Orlando Lacanna. 

Mesmo com a vantagem aumentada, a Portuguesa não tirou o pé e, aos 24 minutos, o goleiro Rodrigo Viana praticou uma defesa espetacular, desviando para escanteio uma arremate fortíssimo do camisa 2 Luís Ricardo. O Santo André tentava construir alguma jogada que pudesse levar perigo ao gol luso, mas não havia jeito, pois além de criar muito pouco, a defesa da Portuguesa estava numa manhã inspiradíssima. 


Um dos raros momentos de ataque do time do ABC na segunda etapa. Foto: Orlando Lacanna. 

Com o passar do tempo, os donos da casa foram diminuindo o ritmo, administrando o tempo e aguardando o término do jogo, o que acabou acontecendo com o placar estampando Portuguesa 2-0 Santo André, resultado mais do que merecido e que premiou a equipe que procurou a vitória o tempo todo. 

Com a conquista dos três pontos, a Lusa ficou na 8ª colocação na tabela de classificação com 3 pontos e o Santo André, com os mesmos 3 pontos, acabou ficando na 12ª posição por conta do saldo de gols. Como ainda restam 17 rodadas, muita água ainda vai passar por baixo da ponte. Vamos aguardar a sequência dos jogos para termos uma melhor ideia de quais times poderão ter mais chances de conseguir as 8 vagas à próxima fase. 

Jogo encerrado e aquela pressa para participar de uma almoço de domingo especial ao lado de pessoas superqueridas. Foi isso. 

Abraços, 

Orlando

Nenhum comentário:

Postar um comentário