Procure no JP

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

"JP Especial" na rota da Copinha pelo interior (parte 5 de 6)

Salve amigos!! 

Dando seqüência à cobertura JP da 44ª edição da Copa São Paulo de Futebol Júnior, no último domingo saí cedinho de São José do Rio Preto rumo à Presidente Prudente, para acompanhar a rodada dupla que decidiria a vaga correspondente ao Grupo A da competição. 

Cansado, dormi e deixei de apreciar parte da bela viagem, particularmente em respeito travessia da Represa de Promissão, formada pelo Rio Tietê. Mas pude desfrutar das paradas em Penápolis, Rinópolis e Osvaldo Cruz, cidades recheadas de histórias futebolísticas. 


Fachada do Estádio Breno Ribeiro do Val, em Osvaldo Cruz, fotografada da janela de meu ônibus. Foto: Estevan Mazzuia. 

Chegando em meu destino, tratei de instalar-me em um Hotel simples, que me serviria de base, já que foram 12 horas na cidade. Como cheguei faltando cinco horas para a primeira partida, aproveitei para provar os sabores locais, num bem aventurado e desejado al moço, e fui conhecer um pouco do centro da cidade. O clima, diga-se de passagem, colaborou nos três dias de minha viagem, com um calor bastante suportável, pouquíssimo sol forte, e chuvas de verão para refrescar. 


Imagens do centro de Presidente Prudente. Fotos: Estevan Mazzuia. 

Digna de uma menção honrosa do JP é a Catedral da cidade, erguida em louvor a São Sebastião, coloridíssima, e com belíssimas peças entalhadas em madeira. Localiza-se na Praça Monsenhor Sarrion, e vale muito a visita! 


Detalhes da belíssima Catedral prudentina. Fotos: Estevan Mazzuia. 

Mas vamos ao que interessa. Uma hora antes do início da rodada, um providencial moto-táxi conduziu-me ao Estádio Eduardo José Farah, o “Prudentão”, antecedência suficiente para captar imagens do estádio, e fazer meu credenciamento. 


Visão panorâmica do Prudentão, palco de importantes partidas a nível nacional. Foto: Estevan Mazzuia. 

A primeira partida do dia seria perdidíssima, não fosse por uma zebra ocorrida na segunda rodada, que deixava uma das equipes como favoritíssima à vaga. De um lado, o Aquidauanense FC, já eliminado. Do outro, o EC Espigão, que jogava por uma vitória simples para garantir um feito inédito para o estado de Rondônia. Seguem as fotos oficiais, com o devido agradecimento ao apoio da Federação Paulista de futebol, representada pelo atenciosíssimo Sr. Garbulho: 


Aquidauanense FC (sub-20) - Aquidauana/MS. Foto: Estevan Mazzuia. 


EC Espigão (sub-20) - Espigão D'Oeste/RO. Foto: Estevan Mazzuia. 


Arbitragem composta por Clayton de Oliveira Dutra, Ricardo Busette, Emerson Fernandes Rorato e Cesar Luiz de Oliveira, com os capitães das equipes. Foto: Estevan Mazzuia. 

Animadíssimo com as reais possibilidades de sucesso, o caçulinha de Rondônia foi ao ataque. Yure cruzou da direita e a bola caiu nos pés de Leandro. Diante do gol vazio, e de forma inacreditável, o jogador chutou por cima da meta. O lance deixou o jogador visivelmente abalado, e era apenas um indício do que estava por vir. 

Registro que sofri durante os primeiros 30 minutos da partida, com uma grande dificuldade para fazer fotos da partida, em virtude de um pouco de água ter entrado em minha câmera, e acumular-se nas lentes. Foi preciso muita paciência para aguardar que secassem, e voltar a fazer meu trabalho. E muito, mas muito desespero!! 


Neblina sobre o gramado? Não, “apenas” água na lente. Foto: Estevan Mazzuia. 

Aos 13 minutos, o Azulão da Princesa foi ao ataque e exigiu duas belas participações do arqueiro Valdeir, deixando muito preocupada a delegação rondoniense, particularmente vereador de Espigão d’Oeste e Diretor Financeiro do Clube, Devair, que muito bem me recebeu antes da partida. 


Lance da primeira etapa. Foto: Estevan Mazzuia. 

O jogo seguiu muito disputado, mas com uma sucessão de erros infantis nas finalizações de ambos os lados. Aos 31 minutos, Felipe mandou um pombo sem asas da entrada da área, para desespero dos rondonienses, salvos pelo arqueiro Valdeir, novamente. 


Ataque do Aquidauanense. Foto: Estevan Mazzuia. 


Ataque do Espigão. Foto: Estevan Mazzuia. 

Visivelmente nervosos, os atletas do onze nortista discutiam entre si e davam espaço ao pessoal sul-matogrossense, mas a partida foi para o intervalo sem abertura de contagem. Na segunda etapa, Guilherme fez bela defesa após a cobrança de falta da entrada da área, e a bola ainda bateu caprichosamente no travessão antes de sair. Não parecia ser o dia do Espigão. 


Escanteio para o Espigão, na segunda etapa. Foto: Estevan Mazzuia. 


Lance da segunda etapa. Foto: Estevan Mazzuia. 

O tempo passava, e a classificação que parecia certa ficava cada vez mais difícil. As raras jogadas de ataque criadas esbarravam em bisonhas trapalhadas dos atacantes de ambas equipes, com os pés muito mal calibrados. Aos 25 minutos, o golpe que ninguém esperava: pelo lado esquerdo o Aquidauanense desceu, o jogador fez um esforço imenso pra não deixar a bola sair e cruzou pra dentro da área. Airton não vacilou e abriu o placar. 


Vista geral da partida, sob um céu ameaçador se avizinhando. Foto: Estevan Mazzuia. 

O que parecia ser impossível acontecia. Depois de derrotar o todo poderoso Grêmio na partida anterior, o Espigão não conseguia vencer um time eliminado e na lanterna do grupo. O empate acabou vindo aos 33 minutos, com um gol de cabeça de Gabriel, incendiando a partida. 

A torcida que, inicialmente, apoiava o Espigão, sabendo que o empate ou a derrota da equipe favoreceria o grêmio local, passou a apoiar o onde de Aquidauana. Nos minutos finais, o Espigão foi para o abafa. Em dado momento, Leonardo foi à linha de fundo e chutou duas vezes, com o goleiro Guilherme defendendo. Na sequência, Dheymison chutou para fora. 


Ataque do Espigão. Foto: Estevan Mazzuia. 


Arquibancadas vazias não deixaram dúvidas: um jogo perdido pela Copinha. Foto: Estevan Mazzuia. 

Fim de jogo, Aquidauanense 1x1 Espigão. Muita comemoração dos jogadores de um lado, não sei se pelo pontinho conquistado, ou por uma eventual mala branca, muita tristeza de outro, pela ocorrência do imponderável. Imensurável a dor de quem atravessa uma rodovia sem ser atropelado, e acaba morrendo ao tropeçar no meio fio já do outro lado da pista. 

Sem desmerecer o bom time de Aquidauana, mas não dá pra perder uma classificação diante do lanterna do grupo, depois empatar com o time da casa e vencer um time grande. Mesmo assim, parabéns aos jogadores e aos dirigentes do Espigão, pela campanha histórica, e pelo sério projeto desenvolvido. 

Assim, as duas equipes morreram abraçadas, e o Grêmio gaúcho renascia das cinzas, e passava a depender de uma vitória simples no jogo que definiria a vaga. Ao Grêmio local, bastaria o empate. Mas isso é assunto para o próximo post. Até lá! 

Abraços 

Estevan

2 comentários:

  1. Grande Estevan, viagem sensacional com belos posts. Lembrei com saudade de algumas que fiz pelo inteior, inclusive nessa região que vc esteve. Mais um golaço do JP. Parabéns. Abs

    ResponderExcluir
  2. Valeu, Orlando! A cada minuto eu pensava em você, e sabia que estava apenas refazendo seus caminhos, curtindo esse prazer delicioso que é desbravar nosso interior! Você foi inspiração e motivação a essa iniciativa! Grande Abraço!!
    Estevan

    ResponderExcluir