Procure no JP

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Touro segura a Briosa no litoral

Salve amigos!

Depois de um breve afastamento retornei aos gramados na última quarta-feira para acompanhar um duelo válido pelo Campeonato Paulista da Segunda Divisão em sua reta final: frente a frente, AA Portuguesa e Barretos EC. Destaco a arbitragem, composta por membros do quadro da CBF. Braghetto e Romano Neto estiveram no fantástico Corinthians 5x0 São Paulo, no Brasileirão deste ano.


AA Portuguesa - Santos/SP. Foto: Estevan Mazzuia.


Barretos EC - Barretos/SP. Foto: Estevan Mazzuia.


Arbitragem, comandada por Rodrigo Braghetto, auxiliado por Vicente Romano Neto e Alberto Poletto Masseira. Foto: Estevan Mazzuia.


Panorâmica do Ulrico Mursa para a partida. Foto: Estevan Mazzuia.

Derrotado em casa na estréia desta fase, a equipe da capital brasileira dos rodeios entrou em campo em busca da vitória, mas a Briosa queria vencer para dar tranqüilidade a seus torcedores, maioria entre os 667 pagantes (será que o bilheteiro comprou um ingresso a mais pra evitar o número da besta?).


Detalhe da disputadíssima partida em Pinheiro Machado. Foto: Estevan Mazzuia.

E foi o time da casa que começou melhor, quase abrindo o placar no primeiro minuto: Marlon bateu fraco da entrada da área, mas Guilherme teve que se esticar todo, porque a bola acabou passando bem próxima da meta.

A resposta caipira veio aos 12 minutos, quando as redes balançaram após uma cobrança de falta da esquerda. Mas a arbitragem viu que a bola foi impulsionada com a mão do atacante, que acabou recebendo cartão amarelo. O tento, claro, foi anulado. Como eu estava atrás da outra meta, não posso opinar sobre o lance, mas como não houve muita reclamação (a não ser por parte da torcida barretense), acredito que tenha sido assinalado de maneira irregular.


Guilherme interceptando, com presteza, um cruzamento lusitano. Foto: Estevan Mazzuia.

O saldo dos primeiros 20 minutos era de uma agradável partida, e de nítido equilíbrio entre as equipes. Mas a Briosa, aos poucos, produzia chances mais claras, como aos 25 minutos, com o artilheiro Leandro Kivel: o craque rodado mandou um pombo sem asas da entrada da área, mas Guilherme conseguiu evitar o gol e mandou pra escanteio.


O auxiliar Alberto Masseira, em momento de solidão na partida. Foto: Estevan Mazzuia.

Depois foi a vez de Felipe descer pela esquerda e bater forte quase sem ângulo, mas a zaga cortou para escanteio. Aos 40 minutos, o onze rubro-verde teve nova chance de abrir o marcador, durante uma sequencia de escanteios. Em uma delas, com o arqueiro Guilherme já batido, um bate-rebate na pequena área resultou em uma bola salva pela zaga verde, em cima da linha.


Zaga verde, atônita observa a bola (fora do quadro) quase ultrapassando a meta do já batido arqueiro Guilherme. Foto: Estevan Mazzuia.

A resposta veio a um minuto do final da etapa inicial: Luciano fez grande defesa, a queima roupa, levando o 0x0 para o intervalo. Com os 15 minutos de descanso aproveitei pra dar um giro pelas dependências de Ulrico Mursa, mas as imensas filas (que inexistiam no começo do campeonato) evitaram a degustação de qualquer tipo de guloseima lusitana. A solução foi trocar uma idéia com uma simpática e desconfiada moradora de Pinheiro Machado.


Detalhe da boa presença da torcida visitante e da moradora de Ulrico Mursa. Foto: Estevan Mazzuia.

A segunda etapa foi paupérrima em emoções. O Barretos voltou melhor, e o que estava ruim pra Briosa ficou pior com a expulsão de Xandão, aos 14 minutos, por causa de uma falta como último jogador. Vermelho direto, bem aplicado pelo árbitro.


Reservas do Barretos tiveram que se aquecer ao som de muitos xingamentos. Foto: Estevan Mazzuia.

Mas apesar da desvantagem numérica, a Briosa teve uma boa chance de marcar seu gol aos 29 minutos, em jogada de Wallace. O lateral pegou uma avenida pela direita, cortou a bola para o meio e bateu à direita do gol de Guilherme, com muito perigo. O gol foi salvo pelo peito de um “inconveniente” jogador de verde.


Falta para o Barretos: bola passou por cima da meta defendida pelo experiente Luciano. Foto: Estevan Mazzuia.

Aos 35, nova chance, com Marlon, que pegou uma sobra da intermediária e bateu por cima do gol taurino. Como o Barretos não soube explorar seu jogador a mais, a partida terminou mesmo sem gols.


Outro ataque visitante: gol teimou em não sair. Foto: Estevan Mazzuia.

Assim, após o placar de AA Portuguesa 0x0 Barretos EC, tudo segue indefinido neste grupo, em que o Capivariano tem leve vantagem, e o Barretos, proporcional desvantagem. Agora é esperar as duas próximas rodadas, que devem traçar a tônica do que será a reta final, na busca pelo acesso. Foi isso.

Abraços!

Estevan

3 comentários:

  1. Cadê o post sobre o lendário Itaquaquecetuba Atlético Clube?

    Abraços...

    regthorpe.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Augusto, o post está na nossa série "Estádios pelo Brasil". Para acessar, é só clicar no ícone da série no nosso índice. Abraços!

    ResponderExcluir
  3. Adorei as fotos centralizadas... o blog cada dia mais prático e bonito. Abraço a todos!

    ResponderExcluir