Procure no JP

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Palmeiras vira e vence o Paulista no sub-17

Fala, pessoal!

O JP esteve presente em vários pontos diferentes para as coberturas do último final-de-semana. Eu comecei minha jornada no sábado logo cedo, num jogo válido pela última rodada da terceira fase do Campeonato Paulista sub-17, realizado no Estádio Conde Rodolfo Crespi. Palmeiras e Paulista de Jundiaí entraram em campo já classificados, e jogaram apenas para a definição do primeiro lugar do Grupo 22. Vale registrar que esse foi o meu jogo de número 1900 visto in loco desde que comecei a acompanhar futebol, isso no longínquo ano de 1983. Em 2012, chego no meu jogo 2000.

Mas chegar na Javari foi complicado, já que a chuva tinha vindo com tudo desde a madrugada. Para piorar, tive o dom de esquecer o guarda-chuva em casa. Logo quando desci na estação Moóca de trem, vi que seria uma manhã um tanto quanto molhada. Como estava com o horário adiantado, esperei um pouco a chuva diminuir seu ritmo e só depois rumei com destino ao estádio juventino.

Se fosse só isso tudo bem, mas ainda tinha que tirar as fotos posadas das equipes. O Palmeiras me ajudou, e entrou em campo quando a chuva deu uma trégua. Mas o time de Jundiaí demorou para aparecer, tempo suficiente para que voltasse a cair o mundo. A foto da equipe visitante foi feita com o que vos escreve tomando um verdadeiro banho. No melhor esquema "tudo pelo social", seguem as imagens molhadas e exclusivas.


SE Palmeiras (sub-17) - São Paulo/SP. Foto: Fernando Martinez.


Paulista FC (sub-17) - Jundiaí/SP. Foto: Fernando Martinez.

Como disse antes, as duas agremiações já tinham garantido a sua passagem para as quartas-de-final da competição, e o Palmeiras jogava pelo empate para terminar o Grupo 22 como líder. Debaixo de chuva, as equipes começaram a peleja se estudando bastante, com poucas emoções nos primeiros 10 minutos.


Jogador do Palmeiras sendo acossado por três atacantes do Paulista. Foto: Fernando Martinez.

A primeira oportunidade maior de gol veio aos 12, num chutaço do jogador palmeirense Hugo Ragelli para ótima defesa do goleiro jundiaiense. O tempo passava com a partida embolada no meio de campo, para canseira da torcida presente na Javari. O time paulistano tinha mais posse de bola e chegava mais dentro da área adversária, e o Paulista não mostrava um bom futebol.


Boa saída do goleiro do Paulista. Foto: Fernando Martinez.


Cobrança de falta perigosa para o onze paulistano. Foto: Fernando Martinez.

Mas na primeira chance de gol do time visitante, o gol saiu. Após bola cruzada dentro da área, o jogador Alex subiu no meio da defesa palmeirense e deixou o Paulista com vantagem. Cinco minutos depois finalmente o Palmeiras marcou o seu com Mendes, tocando de leve após escanteio da esquerda. A primeira etapa terminou com esse empate.


Detalhe do gol do Paulista, marcado por Alex. Foto: Fernando Martinez.

O segundo tempo começou com a chuva aumentando sua intensidade e com o Palmeiras muito melhor. Hugo Ragelli quase marca o segundo gol aos 9 minutos, mas o goleiro do Paulista fez milagre. De tanto insistir, a virada aconteceu aos 12, com o complemento de cabeça do zagueiro Vinícius Andrade dentro da área adversária.


Ataque palmeirense no primeiro tempo. Foto: Fernando Martinez.

O jogo continuou com o mesmo panorama. O que mudava somente era a intensidade da chuva, cada vez mais forte. Enquanto o jogo rolava, eu permaneci nas tribunas da Javari com uma trilha sonora peculiar no mp3. As músicas que fizeram mais sucesso na manhã foram clássicos como "Rain" dos Beatles e um rock nacional de Kiko Zambianchi dos anos 80, "Primeiros Erros" (com seu propício refrão "mas só chove, chove...").


Outra chance do Palmeiras, agora na segunda etapa. Foto: Fernando Martinez.

Com todos ensopados, o jogo terminou com o placar de Palmeiras 2-1 Paulista de Jundiaí. O time paulistano termina a fase como líder do Grupo 22 e agora pega o Red Bull nas quartas do torneio. O time de Jundiaí agora joga contra o Olé Brasil.

Após o apito final fui correndo para o ponto de ônibus voltar para casa. A chuva tinha parado, mas foi só eu descer do coletivo que ela voltou com tudo. Encharcado, cheguei em casa para recompor minhas energias, pois tinha peleja ainda na sessão noturna.

Até lá!

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário