Procure no JP

segunda-feira, 3 de abril de 2006

Paulista Série A2: Nacional 4-4 União Barbarense

Fala povo,

Começando com os posts dos grandes jogos que vi na última semana, vamos com o que estive no último sábado. Mais uma vez, o sábado à tarde foi data para curtirmos um dia muito agradável na Comendador Souza. O jogo entre Nacional e União Barbarense foi o motivo da nossa ida até lá, e com a esperança de que finalmente o time da Barra Funda fizesse uma boa apresentação, coisa que não acontece faz tempo. Junto comigo, o Mílton, o Jurandyr e o David perdidos nessa bela tarde.

Por estar na última colocação disparado e ser o primeiro eventual rebaixado à A3 em 2007, não esperávamos muita coisa da Barbarense, mas no começo do jogo, ficamos relativamente espantados com a facilidade da equipe de Sta. Bárbara em chegar ao gol nacionalino. "Relativamente", porquê nada no Nacional nos assusta mais. Essa facilidade gerou o primeiro gol da Barbarense, numa boa jogada do ataque e numa falha generalizada da equipe do Naça.


Comemoração do time da União Barbarense com a marcação do primeiro gol contra o Nacional. Foto: Fernando Martinez.

Mas o gol foi o que bastou para o Nacional acordar no jogo. Em cinco minutos, a equipe acabou virando a partida de forma fácil, com dois gols em belos chutes dos atacantes dentro da área, e contando com uma bela ajuda da zaga barbarense. Até o fim dessa primeira etapa, o time azul e branco ainda perdeu duas ou três chances que fariam falta no fim da partida.


Bola disputada no meio-campo, na primeira etapa do jogo entre Nacional e União Barbarense. Foto: Fernando Martinez.

Agora, mal esperávamos o que aconteceria na segunda etapa. Um jogo vibrante e recheado de emoções, completamente histórico. A Barbarense acordou e levou muito perigo à fraca zaga nacionalina. Aos oito minutos então, aconteceu o gol de empate do União.

Em desespero, o Nacional foi ao ataque e deixou todo o contra-ataque para o alvinegro. Isso deixou o jogo com chances claras de gol para os dois times. De tanto insistir, o Naça acabou conseguindo um pênalti a seu favor aos 22 minutos. Betão na cobrança e 3 a 2 para os mandantes.


O Nacional marca, de pênalti, seu terceiro gol contra a Barbarense. Alívio geral - mesmo que momentâneo - na Comendador Souza. Foto: Fernando Martinez.

Parecia que o jogo estava decidido. Parecia... A Barbarense não se intimidou e continuou levando perigo no ataque. Para variar, depois de outra bobeada da zaga do Naça, o time marcou e empatou de novo o jogo, num bom chute do jogador Fabiano, aos 31 minutos.

Num toma lá, dá cá, genial, o Naça continuou no seu desespero de ataque. E depois de uma cobrança de escanteio e uma completa confusão dentro da área barbarense, o jogador Marcelo marcou o quarto gol do time ferroviário. Delírio e um alívio no Nicolau Alayon.


Lance do quarto gol do Nacional. Depois de grande confusão na área, o Naça faz mais um tento na partida. Foto: Fernando Martinez.

De novo sem se entregar, e escapando num belo contra-ataque, o jogador Fábio Duarte entrou sozinho na área do Naça e fuzilou: 4 a 4. Tirando o fato que o resultado foi desastroso para o Nacional, não conseguimos ficar tristes, já que o único presente que tinha visto um jogo 4 a 4 era o Jurandyr, e mesmo assim há 21 anos. Eu (em 984 jogos), o Mílton (em 36 anos de futebol) e o David, nunca tínhamos visto esse placar em estádio.


Detalhe do placar histórico, fantástico e ao mesmo tempo trágico para o Nacional na Comendador Souza. E o David, o Jurandyr e o Mílton curtindo o jogo. Fotos: Fernando Martinez.

Tudo bem que o David ficou um tanto quanto indignado conosco pela efêmera felicidade, mas faz parte. Final de jogo então: Nacional 4-4 União Barbarense. O Nacional está pedindo para ser rebaixado. Essa semana é decisiva para o time da Comendador Souza.

E foi só. Daqui a pouco tem os posts da minha fantástica e inesperada rodada tripla (!!) do domingo. Até lá.

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário