Procure no JP

quarta-feira, 5 de abril de 2006

Juventus em Campeonatos Nacionais (parte 2 de 2)

Fala povo!

Continuando com a mini-série histórica que mostra alguns desempenhos juventinos ao longo dos tempos na Série B e Série C, e fazendo uma mistura com o arquivo de ingressos antigos do Mílton, hoje temos alguns dos anos de 1992, 1994 e 1996. Junto com uma pequena história do que aconteceu com o onze grená nesses campeonatos. Sem mais enrolação, vamos à eles:

1992


Ingresso do jogo Juventus 2-0 Criciúma, no dia 9 de fevereiro de 1992, pela Série B do Brasileiro, na Rua Javari. Lembrando que nessa época o Criciúma era o atual campeão da Copa do Brasil e participava da Libertadores 92. Reprodução: Fernando Martinez.


Ingresso do jogo entre Juventus 0-1 Coritiba, no dia 8 de março de 1992, na Rua Javari. Essa foi a última derrota do Juventus em Campeonatos Nacionais para times de fora de São Paulo até hoje. As duas depois dessa (em 96 e 2000) foram para o Rio Branco/SP. Reprodução: Fernando Martinez.

Esse foi o ano mais triste para o Juventus em disputas de Séries B's. Naquele ano, 32 times disputavam o campeonato. Dividos em 4 grupos, foi definido - lembrando que foi o primeiro ano em que o Grêmio disputou uma Segunda Divisão - que os três primeiros classificados de cada grupo seriam promovidos para a Série A em 1993. Num difícil grupo que contava, além do Criciúma e do Coritiba, com as equipes do União São João, Botafogo/SP, Noroeste, Bangu e Joinville, o time chegou na última rodada com chances claras de conseguir o tão sonhado acesso.

Disputando a vaga diretamente com o União São João, e em vantagem no número de pontos (15 a 13) e com melhor saldo de gols (4 a 2), o Juventus precisava de um empate, jogando fora de casa contra o Criciúma. Ao União, restava ganhar por uma boa margem de gols contra o Noroeste, em Bauru, e torcer contra o Juventus.

Até os 40 minutos do segundo tempo das duas partidas, o placar era Criciúma 1-1 Juventus e Noroeste 0-1 União São João, o que dava a classificação tranquila ao time grená. Mas, tragicamente, o time conseguiu aos 41 minutos, sofrer o segundo gol do Criciúma, mas mesmo assim ainda tinha chance de conseguir a vaga. Só que nos acréscimos lá em Bauru, o União fez o segundo gol. No final das contas, eles acabaram com os mesmos 15 pontos, e o União com vantagem de 4 a 3 no saldo de gols, conseguindo a tão sonhada classificação à Série A de 1993. Essa foi uma das maiores frustrações da história juventina.

1994


Ingresso do jogo Juventus 1-0 Figueirense, no dia 29 de outubro de 1994, na Rua Javari, pela Série C daquele ano. Reprodução: Fernando Martinez.

Nesse ano de 1994, o Juventus disputou a Série C do Brasileiro. Na primeira fase ficou em primeiro lugar, num grupo que tinha os times do Ituano, América/RJ e Santo André. Na segunda fase pegou o Figueirense (na sua fase negra) e ganhou seus dois jogos por 1 a 0. Na terceira fase, uma das mais sofridas derrotas juventinas de todos os tempos. Jogando contra o Valeriodoce, perdeu o primeiro jogo por 3 a 1 em Itabira.

Jogando na Javari, precisava de um placar de 2 a 0, já que nesse campeonato valia o esquema de gols fora. Nesse jogo (em tempo, nessa partida além do Mílton, o Jurandyr e o Estevan estavam presentes) o time jogou muito bem e fez o placar de 2 a 0, levando a classificação. Mas, numa infelicidade incrível, aos 48 do segundo tempo, perdeu uma bola no seu ataque, tomou um contra-ataque fatal e viu o Valeriodoce fazer um belíssimo gol de cobertura, eliminando os grenás em casa. Péssimo e traumático, até hoje quem estava lá não esquece desse jogo.

1996


Ingresso do jogo Juventus 2-0 Tupi/MG, no dia 14 de setembro de 1996, na Rua Javari. Detalhe que no ano seguinte esse jogo definiria uma vaga à Série B. Reprodução: Fernando Martinez.


Ingresso do jogo Juventus 4-2 Barra Mansa/RJ, no dia 29 de setembro de 1996, na Rua Javari. O último jogo da história do time do estado do RJ. Reprodução: Fernando Martinez.

Essa Série C aparece aqui só pela curiosidade, já que a campanha juventina foi pífia, uma das mais sem graça em todos os nacionais. O grupo, além do Tupi/MG e do grande Barra Mansa tinha o Paulista de Jundiaí e o Rio Branco de Americana (que acabaram classificados). Esse jogo marcou a última partida oficial do time do Barra Mansa, que depois disso sumiu dos noticiários. E marcou o dia em que eu conheci o Jurandyr, o Mílton e o Victor, graças ao Estevan. O embrião da insanidade nascia aí.

Supremacia Juventina

Outro dado que merece ser mencionado aqui, é a grande superioridade juventina nos jogos como mandante na história dos Campeonatos Nacionais. De 1980 a 2000, o time disputou 18 nacionais, entre Séries A, B e C (contando as Seletivas de 86 e 93). Nesses campeonatos o Juventus jogou 105 jogos como mandante - não necessariamente na Javari - e neles o time conseguiu 62 vitórias, 34 empates e apenas 9 derrotas. Isso mesmo, só 9 derrotas em 21 anos... além do time nunca ter perdido mais do que dois jogos como mandante no mesmo campeonato, ficou 23 partidas sem perder em casa, de 1996 a 2000.

Independente do time ter jogado com equipes de menor expressão do futebol nacional, é uma marca extremamente respeitável e que merece ser considerada. Acredito que seja uma das melhores do Brasil, de todos os times que já jogaram os diversos Brasileiros.

E foi só. Espero que tenham curtido essa mini-série e esperamos mais ainda que essas estatísticas possam aumentar nesse ano, com a participação juventina na Série C do Brasileiro. Forza Juventus!!!

Até

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário