Procure no JP

quinta-feira, 20 de abril de 2006

Libertadores da América: Corinthians 3-0 Deportivo Cali (Col)

Opa,

Seguindo os passos do Orlando e do The Watcher, também fiz uma rodada de futebol na última quarta-feira. Como não posso me dar ao luxo das rodadas à tarde, acabei indo somente colocar mais um time na famosa Lista (foi o 367º). Isso mesmo, eu e o Mílton nos aventuramos - sem ingresso - a ir até o Pacaembu e tentar entrar de algum jeito para curtir o jogo entre Corinthians e Deportivo Cali (Col). Depois da final com o verde em 99, o Deportivo nunca mais veio para o Brasil, então tínhamos que estar lá de qualquer jeito.


Vista geral do jogo entre Corinthians e Deportivo Cali. Foto: Fernando Martinez.

Chegar lá, duas horas antes do jogo, sem ingresso, no frio, com pouca grana no bolso e cansado não é tarefa para qualquer um. Bom, a gente esperava que tivesse venda de ingressos para os visitantes. Não teve, com a desculpa que "o time do Deportivo Cali vendeu todos os ingressos visitantes" ficamos na mão, e esperamos cair do céu algum ingresso (e isso era apenas 8 da noite).

No portão 22, vimos uma série absurda de anormalidades e situações que hoje em dia já fazem parte do dia-a-dia de jogos grandes. Faço questão de enumerar algumas:

- Um dos orientadores da Visa, patrocinadora da Libertadores, fazia às vezes de cambista "oficial". Nos ofereceu várias vezes ingressos a no mínimo 100 pilas os dois, e depois de falarmos que não pagaríamos aquele preço, vimos muita gente "comprar" os tais ingressos, que nada mais eram do que a famosa molhada de mão para entrar no portão 20
- Os ingressos para a torcida visitante, que "tinham sido vendidos para a equipe do Deportivo cali" estavam 100% nas mãos dos cambistas. Fica a pergunta: se não houve a comercialização em bilheteria desses ingressos, como eles chegaram nas mãos dos cambistas? Mistéééééééério.
- Um dos organizadores do Corinthians me garantiu que "estavam chegando dois ônibus lotados de torcedores do Deportivo", e se a gente esperasse esses torcedores, poderíamos descolar algum ingresso deles. Agora a pergunta: Vocês acham que esses dois ônibus lotados chegaram lá? Pura balela.
- A orientação fantástica de um dos fiscais do estádio e de um sargento da PM quando souberam que não tinha mesmo "oficialmente" ingresso para visitantes: "porquê você não vai ali no cambista e compra? É garantido!". Acrescento que o "é garantido!" foi dito pelo PM.
Depois de esperar até às 9 e meia, e contar com o desespero dos cambistas para não morrerem com os ingressos nas mãos (pagamos 20 pilas no ingresso de 40 reais, na numerada descoberta), o PM ainda não me deixou entrar na torcida visitante, alegando que "eu não tinha cara de colombiano, e aqui só entram colombianos" e ainda tive que ouvir um "você não vai entrar aqui pois eu não quero!". Simpatia total!

Ou seja, realmente tem gente que acha que nós, membros do JP, somos doentes por acompanhar jogos com 10 ou 20 pessoas. É exatamente o contrário. Ir em jogos grandes é um inferno! E só vamos por causa da grande Lista!


Escanteio para o alvinegro na primeira etapa. Foto: Fernando Martinez.

Bom, sobre o jogo, nem tem muito o que falar, já que o time do Deportivo Cali não joga nem a A2 daqui de São Paulo. O Corinthians jogou administrando a sua vantagem e jogou pro gasto. O primeiro gol, com o Marcus Vinícius, decretou a classificação do time para a Segunda Fase. O segundo gol do Tevez, numa bola em que ele se esticou além dos limites possíveis foi genial.


Detalhe do primeiro gol do Corinthians contra o Deportivo Cali. Foto: Fernando Martinez.

Aliás, o Mílton mesmo fala, dá gosto ver o cara jogar. Com certeza alguém vai pensar: "ah, mas é argentino", "ah, mas é marrento", "ah, é isso ou aquilo...", mas todos queriam um cara desse na sua equipe. Ele dá o sangue no jogo. A jogada em que ele conseguiu a expulsão de um zagueiro do Deportivo foi um exemplo disso: era uma bola quase 99% perdida, e ele foi atrás, zanzou, zanzou, driblou, correu e fez uma jogada genial. Eu achava que ele não daria certo no Corinthians...


Mílton: passando frio, comprando ingresso de cambista, ouvindo o hino do glorioso Corinthians e ainda por cima são-paulino... um exemplo de vida. E eu, depois de todo o sofrimento, curtindo o jogão. Fotos: Fernando Martinez.

No segundo tempo o Corinthians entrou em campo para passar o tempo. Sem fazer muito esforço, só segurou a bola esperando o tempo passar. Ainda ganhou mais um gol, com o ótimo Nilmar e ficou nisso mesmo.

Final de jogo: Corinthians 3-0 Deportivo Cali. E ninguém fala nisso, mas foi o 16º jogo pela Libertadores no Pacaembu contra times estrangeiros. Foi a 15ª vitória, com um empate. Um retrospecto bastante injevável. Na próxima fase, tem grandes chances de pegar o Palmeiras ou o River Plate. Olha aí a chance de exorcizar alguns fantasmas do passado.

Mesmo depois de todo o sofrimento, valeu a pena mesmo ter ido lá. Para mim foi mais legal ainda porque esse foi o meu 998º jogo na vida. Estou a dois jogos da minha milésima partida em estádios. No final de semana verei essa milésima partida finalmente. Agora sim entrarei de vez no hall da fama do Clube dos Doentes e do JOGOS PERDIDOS. Não é bafo não.

Amanhã tem mais.

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário