Procure no JP

domingo, 28 de fevereiro de 2010

Ponte Preta se classifica para a Segunda Fase da Copa do Brasil

Fala povo!

Na última quarta-feira, depois de ver mais uma vitória grená pela Série A3 paulista, a caravana da coragem do JOGOS PERDIDOS seguiu para mais uma jornada em busca de time novo na Lista. E não estou falando de jogo na capital paulista pela Libertadores não, e sim um "clássico" válido pela edição 2010 da Copa do Brasil. Seguimos até a cidade de Campinas, aonde Ponte Preta e o fantástico JV Lideral de Imperatriz/MA disputaram vaga na segunda fase do torneio no Estádio Moisés Lucarelli.

Saímos - eu, seu Natal e David - da Rua Javari às cinco e pouco da tarde e dali seguimos até a região da Avenida Paulista, aonde o Mílton também se uniu à caravana. Mesmo com o complicado trânsito das seis da tarde, conseguimos chegar na Rodovia dos Bandeirantes com tempo suficiente para seguir viagem sem percalços. O único senão foi que tivemos que abortar qualquer idéia de comer algo em virtude de obras na pista antes de Jundiaí, que acabaram nos atrasando mais de 40 minutos, mas que no final das contas não atrapalhou o motivo real da viagem.

Ver uma equipe como o JV Lideral em campo é algo raro em terras paulistas. Essa seria minha 9ª equipe maranhense a entrar na famosa Lista. Tudo bem que das oito que já vi, apenas uma foi na categoria profissional (o Sampaio Correa, em jogo contra o Juventus pela Série C de 1997) e as outras sete na Copa São Paulo de Juniores, mas mesmo assim vale igual.

Quase uma hora antes do jogo começar já estávamos na entrada do histórico templo campineiro, e eu já fui fazer toda a social para garantir meu credenciamento. Tudo funcionou certinho, e já fiz todos os contatos necessários para que as duas equipes posassem para o JP. Mas quando a esmola é muita, a gente tem que desconfiar, e mesmo com a Ponte Preta tendo entrado no gramado 15 minutos antes do horário do jogo, os jogadores não foram nada simpáticos e resolveram não posar para a foto.

Tudo bem, ninguém é obrigado a posar, certo? Mas o time não foi nada simpático, até porque eu não era o único ali para fazer a foto da equipe. E para piorar, o time maranhense ainda entrou no campo atrasadíssimo, e com o relógio já marcando mais de nove horas a coisa ficou sem solução. Somado a isso também tive somente uma pequena ajuda - que não foi nenhuma Brastemp - do pessoal que estava organizando tudo lá. Bom, é uma pena, mas isso pode acontecer...


Times se cumprimentando após o Hino Nacional Brasileiro. Esperei os dois posarem, mas não rolou. Foto: Fernando Martinez.

Os dois times empataram no jogo de ida em Imperatriz/MA por 0x0. Um empate sem gols levaria a peleja para a disputa de tiros diretos na marca de cal, o empate com gols classificaria o time maranhense e uma vitória para qualquer um dos lados classificaria o vencedor para a segunda fase. Mas a Macaca tinha todo o retrospecto estatístico jogando para si, já que essa foi a terceira vez que o time enfrentou nordestinos na Copa do Brasil e nunca foi desclassificado (em 1999 contra o Sergipe e em 2001 contra o Fortaleza). Também vale registrar que nunca uma equipe do Maranhão desclassificou um paulista na competição.

E mesmo um pouquinho chateado por não conseguir as fotos das duas equipes, saí do gramado e fui para as cabines de imprensa do Moisés Lucarelli. Mas olha, o primeiro tempo foi feio demais. A Macaca não conseguia impor seu ritmo, e os maranhenses estavam mais preocupados em ficar se defendendo. Olha, ainda bem que meu aparelho de mp3, fiel companheiro das horas mais difíceis, estava com a bateria cheia, pois o futebol em campo era sofrível.


Jogador da Ponte sofrendo marcação cerrada pela lateral do gramado. Foto: Fernando Martinez.

A Ponte até tentava, mas errava demais na troca de passes no seu ataque, e isso foi irritando a sua exigente torcida. E quando o jogo parecia que chegaria sem a abertura do marcador no intervalo, a equipe campineira acordou na partida. Aos 42 minutos o jogador Tinga chutou forte pela esquerda e ainda viu a bola bater na trave esquerda do goleiro Vicente antes de entrar no fundo das redes. Sem tempo de deixar o JV Lideral respirar, dois minutos depois Otacílio Neto acertou um chutaço de fora da área e fez o segundo.


Ataque do JV Lideral no primeiro tempo de partida. Foto: Fernando Martinez.


Mais uma chegada dos maranhense, agora pela esquerda do ataque. Foto: Fernando Martinez.

Com 2x0 no marcador, a Ponte deixava a torcida mais sossegada para a segunda etapa. Mas quem chegou mesmo nesse intervalo foi um verdadeiro temporal na cidade de Campinas. Durante o resto da noite vimos uma chuva fortíssima por lá. Mas pelo menos o descanso serviu para que eu matasse um pouco a fome com os deliciosos pastéis que são vendidos no Moisés Lucarelli. Ganham fácil o "Selo JP de qualidade".


Ataque ponte-pretano no segundo tempo. Foto: Fernando Martinez.

Para o segundo tempo, o JV Lideral veio tentando buscar o empate que lhe daria a vaga, mas o time não conseguiu criar absolutamente nada. E quando um dos jogadores do time maranhense foi expulso, a tarefa da Macaca ficou ainda mais fácil. O terceiro gol veio aos 28 minutos, através do camisa 9 Finazzi e o quarto aos 40, com Fabiano Gadelha. A Ponte foi dona da partida e caso estivesse num bom dia dos seus atacantes, poderia ter marcado muito mais gols.


Falta perigosa para a Ponte Preta no segundo tempo em chute de Otacílio Neto. Foto: Fernando Martinez.

Final de jogo: Ponte Preta 4-0 JV Lideral. A Macaca se classifica com folga e agora pega a Portuguesa, num confronto regional para definir uma vaga na terceira fase da Copa do Brasil 2010. Ao JV Lideral fica a enorme experiência de ter conseguido jogar uma partida oficial no estado de São Paulo e torcemos bastante pelo sucesso do campeão maranhense de 2009 no cenário esportivo nacional. O pessoal do clube foi bastante simpático com a caravana do JP, e deixo aqui um abraço aos maranhenses.

Bom, após o final do jogo voltamos correndo para a capital paulista, mas sem dar tempo de encontrar o metrô aberto. O seu Natal deixou eu e o Mílton ao relento nas redondezas da Praça da Sé aonde um daqueles ônibus "cata-louco" fariam o último trajeto do dia. Olha, vimos várias criaturas da noite zanzando perto de nós, mas como temos um bom anjo da guarda, nada de errado aconteceu. E no caminho de casa já fiquei sabendo que teremos o Naviraiense jogando perto no dia 10 de março... mais um time novo na mira!

Até a próxima...

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário