Procure no JP

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

JP no Sul-Americano Feminino sub-17: Venezuela confirma sua vaga para a semifinal

Fala pessoal!

Depois da classificação chilena para as semifinais do Campeonato Sul-Americano Feminino sub-17, o Estádio Nicolau Alayon foi palco da definição da segunda vaga do Grupo B para a próxima fase do torneio. As seleções da Venezuela e da Argentina entraram no gramado sagrado do Nacional Atlético Clube dispostas a fazerem um grande jogo em busca da classificação. Ah, e mais uma vez seguem agora as fotos oficiais da partida:


Seleção Feminina da Venezuela (sub-17). Foto: Fernando Martinez.


Seleção Feminina da Argentina (sub-17). Foto: Fernando Martinez.

Com 7 pontos na tábua de classificação, a seleção grená tinha uma enorme vantagem contra as argentinas para a definição da vaga. O time portenho tinha 4 pontos, e só uma vitória por quatro gols de diferença contra as venezuelanas daria a vaga ao time da terra do Maradona. E pelo que tinha visto nas rodadas anteriores, a chance disso acontecer era mínima, já que o time argentino deixou bastante a desejar.


Jogadoras disputando a bola em ataque venezuelano. Foto: Fernando Martinez.

Fui para o ataque da seleção "vinotinto" durante os primeiros 45 minutos de jogo. A seleção argentina começou a partida tentando surpreender a defesa da Venezuela e tentava marcar um gol logo no começo. Mas não demorou muito para que o time venezuelano tomasse conta do jogo e mostrasse sua maior qualidade técnica.


Zaga da Argentina chutando a bola para longe da sua área. Foto: Fernando Martinez.

A defesa argentina não conseguia segurar os rápidos ataques da equipe grená, principalmente com a camisa 10 Ysaura Viso, chamada de "Rudd Gullit cover" por alguns torcedores no Nacional. E mesmo sendo a melhor jogadora do time, ela perdeu gols demais e foi egoísta em alguns momentos, prejudicando muito sua equipe. Na melhor chance dela, a bola foi parar na trave superior da arqueira Laurina Oliveros.


Ataque perigoso da Venezuela, com a camisa 10 Ysaura Viso colocando a bola na trave argentina. Foto: Fernando Martinez.


Mais uma chegada venezuelana pela direita do ataque. Foto: Fernando Martinez.

Sem nenhuma modificação no ritmo da partida, a partida chegou ao intervalo com o 0x0 estampado no placar nacionalino. E para variar um pouco a chuva estava chegando no estádio e voltei às tribunas do Nicolau Alayon. E foi só pisar lá que o temporal começou com tudo e o segundo tempo inteiro foi debaixo d'água.


A zaga da Argentina teve trabalho com o bom ataque da Venezuela no primeiro tempo, aqui em mais um ataque pela direita. Foto: Fernando Martinez.

Para essa segunda etapa, a Venezuela voltou com uma atleta a menos - a jogadora Natasha Rosas foi expulsa no final do tempo inicial - e resolveu cadenciar o jogo, chamando a Argentina para o seu campo. Só que achei essa uma tática um pouco suicida, pois caso o time venezuelano ganhasse o jogo, ficaria em primeiro lugar do grupo B e escaparia do forte Brasil na semifinal. O empate não era bom resultado mesmo com a classificação assegurada. Mas o time abdicou mesmo de qualquer ataque, mesmo sabendo da inferioridade técnica da Argentina.


Gol feito perdido pelo ataque da Argentina no começo da segunda etapa. Foto: Fernando Martinez.

Por sua vez, as argentinas não tinham nada com isso e conseguiram ocupar todo o campo de defesa venezuelano. Mas a qualidade técnica inferior falou mais alto, o time não conseguia traduzir o domínio em gols. Já tinha descido das tribunas para ir embora, e enquanto falava com os amigos maqueiros/fiscais, as meninas da Argentina puderam comemorar a vitória. E foi na base da raça, com o gol salvador saindo aos 49 minutos. A atacante Florencia Bonsegundo completou cruzamento certeiro da direita e comemorou demais.


Zaga portenha saindo com a bola dominada. Foto: Fernando Martinez.

Final de partida: Venezuela 0-1 Argentina. Apesar da derrota, as venezuelanas garantiram vaga na semifinal pois ainda ficaram com maior saldo de gols do que as argentinas. Mas a derrota deixou a seleção grená no caminho das brasileiras na segunda partida semifinal da terça-feira, 9 de fevereiro. Com certeza a Venezuela terá enormes dificuldades para tentar chegar na final. Mas futebol é futebol, e tudo pode acontecer.

Após esse jogo, voltei mais uma vez para o centro de São Paulo e lá fui jantar num belíssimo restaurante da região. Ainda conseguimos encontrar lugares preciosos mesmo com o estado atual bem ruim do querido centro velho paulistano. Quem sabe ainda não vejo o centro daqui pelo menos igual ao de Buenos Aires? Um dia... um dia...

Satisfeito voltei para casa já pensando na rodada final da primeira fase do Sul-Americano no sábado, mas isso fica para depois!

Até lá

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário