Procure no JP

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

JP no Sul-Americano Feminino sub-17: Paraguai confirma favoritismo e vence o Peru

Fala pessoal!

Tarde de terça-feira com muito calor em São Paulo e mais uma rodada dupla do Campeonato Sul-Americano Feminino sub-17 na pauta do JOGOS PERDIDOS, agora pelo Grupo A do torneio. O palco dos dois jogos do dia foi o Estádio Conde Rodolfo Crespi, a Rua Javari. E para começar bem a maratona de futebol feminino, um jogo que sempre quis assistir independente da categoria: Paraguai x Peru.

E parece brincadeira, mas novamente sofri com um atraso monstro no metrô que me custou chegar dentro do horário. Mas graças a presença do David, portador de uma novíssima máquina digital, conseguimos as fotos dos times posados pois ele pegou carona e fez as mesmas do alto da escada que dá acesso às numeradas da Javari. Quem não tem cão, caça com gato:


Seleção Feminina do Paraguai (sub-17). Foto: David Libeskind.


Seleção Feminina do Peru (sub-17). Foto: David Libeskind.

Vendo os jogos já realizados desse grupo, ficou evidente que Brasil e Paraguai são os dois maiores favoritos para as duas vagas nas semifinais. Portanto esse jogo era muito importante para as paraguaias, que buscavam confirmar seu favoritismo para somar mais três pontos na competição. Para as peruanas, que venceram o jogo anterior contra o Equador, a esperança era de que a zebra pudesse correr pelo gramado juventino.

Cheguei logo após o apito inicial da arbitragem no estádio e nem me atrevi a entrar dentro de campo, pois o sol estava forte demais. Junto com o David, fui até as cabines de imprensa da Javari para poder acompanhar o jogo na sombra. Devidamente instalados, vimos o Paraguai começar o jogo melhor do que a Seleção do Peru buscando marcar logo o primeiro gol.

Aos 12 minutos, após muita insistência, as paraguaias acabaram abrindo o marcador com a jogadora Mendoza completando de cabeça um bom cruzamento da direita. O time continuou em cima das adversárias, mas pecou demais nas finalizações, perdendo a chance de ficar bem mais tranqüilo na partida. E vendo que o Paraguai não conseguia marcar mais, as peruanas se lançaram ao ataque a partir da metade do primeiro tempo. O time até jogou bem, mas a qualidade técnica inferior atrapalhou demais.


Primeiro gol das paraguaias na partida, aos 12 minutos do primeiro tempo. Foto: David Libeskind.

Se o time peruano fosse um pouquinho melhor, com certeza o empate teria sido conquistado ao final do primeiro tempo. O apito da árbitra ao término dos 45 minutos regulamentares foi um alívio para as paraguaias, e com certeza o técnico Juan Almada ia reclamar bastante do futebol apresentado pela sua seleção nos vestiários. E aproveitei o descanso para fazer um estoque de água na tribuna da Javari, pois a situação não estava fácil, mesmo para quem estava na sombra.


As peruanas tentaram chegar no empate, como nessa bola cruzada dentro da área adversária, mas não conseguiram. Foto: Fernando Martinez.

Mas para a segunda etapa fui para o gramado do templo grená, já que consegui acompanhar o ataque paraguaio com uma providencial sombra oriunda das árvores existentes na creche atrás do gol "da esquerda". O David também foi acompanhar o jogo de lá postado no alambrado juventino. E as peruanas até começaram o jogo ainda animadas, mas a falta de objetividade ainda era latente.


Escanteio para o Paraguai no segundo tempo, para boa defesa da arqueira peruana. Foto: Fernando Martinez.

O Paraguai não conseguia repetir o bom futebol do início do jogo, mas aos 16 minutos deu uma grande sorte numa infelicidade da goleira peruana Stephanie Martinez. Uma bola despretensiosa foi cruzada pela direita para fácil defesa da arqueira, mas ela se estabanou toda e deixou a pelota escapar nos pés da jogadora Érika, que só tocou para o fundo das redes. Na verdade me pareceu que foi gol contra da goleira, mas oficialmente o tento foi assinalado para a atleta paraguaia.

Como estava bem atrás do gol, fiquei comovido com o choro da goleira nos minutos que seguiram esse segundo gol paraguaio. Com um profissionalismo até certo ponto exagerado, e muitas vezes forçado, dentro e fora do campo no futebol masculino hoje em dia, o feminino ainda tem muito do antigo romantismo do futebol que foi perdido através dos anos.


Terceiro gol do Paraguai, marcado pela jogadora Peralta aos 19 do segundo tempo. Foto: Fernando Martinez.


Chegada boa da seleção paraguaia pela direita, que resultou na marcação de uma penalidade máxima. Foto: Fernando Martinez.

E a Seleção do Peru acabou sentindo o baque desse segundo gol e sofreu mais dois logo em seguida, aos 19 e 20 minutos. O terceiro foi marcado pela jogadora Peralta completando de cabeça cruzamento da direita e o quarto foi de penalidade máxima, em cobrança perfeita de Maria Toledo. Com 4x0 contra, o Peru desencanou de vez da partida e por muito pouco não tomou uma goleada histórica na Javari. As paraguaias perderam gols demais, e o placar acabou não sendo mais alterado.



A jogadora Maria Toledo correndo para a bola e a goleira peruana não conseguindo impedir o quarto do Paraguai na partida, fechando a goleada. Fotos: Fernando Martinez e David Libeskind.

Final de jogo: Paraguai 4-0 Peru. O time paraguaio chega aos seis pontos na competição e fica perto da vaga para a Segunda Fase. As peruanas ficam numa situação muito difícil e só podem se classificar numa improvável combinação de resultados. Mas o dia nem tinha começado direito, e o segundo jogo do dia estava para começar na Javari... e teve recorde histórico sendo quebrado.

Até lá!

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário