Procure no JP

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Ferroviária vence fora de casa e entra no G8 da Série A3

Olá,

No último sábado teve início a terceira rodada da primeira fase do Campeonato Paulista da Série A3, que representa o terceiro escalão na hierarquia do futebol profissional de São Paulo, sendo que, nas primeiras rodadas, alguns clubes têm mandado suas partidas em estádios alternativos, por conta da não liberação dos seus respectivos estádios por parte da FPF, em razão de não terem apresentado todos os laudos exigidos. Diante disso, fui até a vizinha cidade de Guarulhos, mais precisamente ao Estádio Antônio Soares de Oliveira, palco da partida Força E.C. x Ferroviária Futebol S/A, que normalmente seria realizada na cidade Caieiras, cujo estádio utilizado pelo Força, ainda não está liberado.

Essa partida representava a oportunidade do time da "casa" conseguir a primeira vitória na competição, pois, até então, em duas partidas, só havia conquistado um pontinho, graças a um empate fora de casa. Pelo lado dos visitantes, era a chance de lutar pela segunda vitória seguida e entrar no grupo dos classificáveis.

Antes de começar contar a história da partida, apresento as fotos oficiais dos times e dos árbitros, os quais posaram com exclusividade para as lentes do JP.


Força E.C. - Caieiras/SP (mandou essa partida em Guarulhos). Foto: Orlando Lacanna.


Ferroviária F S/A - Araraquara/SP. Foto: Orlando Lacanna.


O árbitro Adalton William da Cunha e os assistentes newton dos Reis Barreira e Michel Ferreira da Silva posam junto com os capitães das duas equipes. Foto: Orlando Lacanna.

O jogo começou com boa movimentação, com os dois times jogando para frente e imprimindo velocidade nas jogadas, visando surpreender o adversário logo no início. Nesse contexto, o primeiro momento de maior perigo, ocorreu na marca dos 11 minutos, numa cabeçada perigosa do avante Emerson Nhanhá da Ferroviária, que acabou morrendo nas mãos do goleiro Chico do Força.


Boa defesa do goleiro Chico no início da partida. Foto: Orlando Lacanna.

A resposta do Força veio logo em seguida, aos 13 minutos, numa boa jogada iniciada pelo lado direito, culminando com a conclusão do avante Indio, que exigiu boa defesa do goleiro afeano Roberto.


Inicio da jogada ofensiva pela direita que levou o primeiro perigo à meta da Ferroviária. Foto: Orlando Lacanna.

Depois dos dois lances mais perigosos, a partida continuou bem movimentada, porém sem o surgimento de novos lances ofensivos que levassem perigo às defesas dos dois times. Diante disso, tivemos uma ou outra jogada de ataque, que invariavelmente acabavam em chuveirinhos neutralizados pelas defesas. A partida assumiu uma "cara" de que dificilmente sairia algum gol nessa primeira etapa e, não deu outra, pois o árbitro encerrou o primeiro tempo com o placar mudo, sem que nenhuma equipe ameaçasse de fato a meta adversária, embora o time de Araraquara tivesse demonstrado um pouco mais de organização ofensiva.


Um dos cruzamentos do ataque do Força na primeira etapa. Foto: Orlando Lacanna.


Uma das poucas defesas do goleiro Roberto da Ferroviária na primeira etapa. Foto: Orlando Lacanna.

A Ferroviária voltou a campo com outra camisa, sendo que o seu setor defensivo teve que se virar para segurar o ímpeto ofensivo que o Força demonstrou no início da segunda etapa. O primeiro lance de maior perigo, ocorreu aos 4 minutos, quando o meia Diego, livre de marcação, chutou por cima do travessão uma bola recebida com açúcar pelo lado esquerdo. Um minuto depois, outro lance perigoso do ataque do Força, que também foi desperdiçado, pois um atacante (Maicon) deixou para o outro (Indio) e ninguém concluiu a jogada, deixando a pequena torcida presente um pouco irritada por causa da chance perdida.


Lance de perigo do ataque do Força no início do segundo tempo. Foto: Orlando Lacanna.

Até o vigésimo minuto, o predomínio territorial foi do Força, mas, mesmo assim, o seu ataque ficou devendo, pois não conseguiu transformar em gol as poucas chances criadas e isso seria fatal ao término da partida. Depois dos vinte minutos, a Ferroviária equilibrou as ações, mas nada que pudesse entusiasmar os seus poucos torcedores presentes, uma vez que criou poucos lances de real perigo.


Disputa de bola pelo alto em jogada de ataque da Ferroviária na segunda etapa. Foto: Orlando Lacanna.

A partida se encaminhava para o seu final, quando na marca dos 40 minutos, o Força teve o seu atleta Rodrigo Paulista expulso por ter recebido o segundo cartão amarelo. Nos últimos cinco minutos, a Ferroviária acelerou o ritmo e forçou as jogadas ofensivas, aproveitando a vantagem de um homem. Aos 44 minutos, o time afeano chegou perto de inaugurar o placar, quando o avante Rildo mandou um balaço cruzado da direita, que passou muito perto do poste direito da meta defendida por Chico.

Nos acréscimos, o meia Júlio César, realizou excelente jogada individual pela esquerda, ganhando na corrida do seu marcador e cruzando certeiro na cabeça de Rodrigo Sales, que só teve o trabalho de mandar a bola para o fundo da meta do Força, decretando a abertura da contagem. Dada nova saída e alguns segundos depois, a partida foi encerrada com o resultado de Força 0 - 1 Ferroviária, num jogo que deixou um pouco a desejar, mas que foi importante para o time de Araraquara que assumiu a 5ª colocação com 6 pontos, se situando na zona dos classificáveis. Quanto ao Força, a situação é preocupante, pois a derrota o deixou na última colocação (20ª) com apenas um ponto e sem marcar nenhum gol até o momento. Se não melhorar rapidamente, poderá correr sério risco de rebaixamento.


Goleiro Chico e Léo desolados vendo a bola no fundo da meta do Força, no gol da vitória da Ferroviária. Foto: Orlando Lacanna.

Tão logo a partida foi encerrada, graças àquela carona costumeira do Sr. Natal, segui até a residência de familiares, na qual passei o resto do sábado em companhia de pessoas muito importantes para mim. Foi isso.

Abraços,

Orlando

Nenhum comentário:

Postar um comentário