Procure no JP

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Ferroviária vence duelo dos grenás pela Série A3

Olá,

Finalizando minha jornada tripla do último final de semana, envolvendo coberturas de partidas do Campeonato Paulista da Série A3, no domingo, logo cedo, deixei a bela cidade de Piracicaba e segui pela Rodovia Washington Luiz, com destino a outra bela cidade do nosso interior, que é Araraquara, com a missão de conferir a partida Ferroviária Futebol S/A x C.A. Juventus, também válida pela sexta rodada da primeira fase da competição, cujo palco foi a maravilhosa Arena da Fonte Luminosa

Fiz uma viagem sossegada, chegando com tempo suficiente para conhecer o novo estádio, cujas dependências são de primeira linha. Seguramente, a Arena da Fonte Luminosa impressiona quem a visita pela primeira vez, como foi o meu caso, deixando a certeza que se trata de um dos melhores estádios do Brasil. Gostei demais do que vi e recomendo, a quem gosta de futebol, a fazer uma visita, pois é imperdível.


Duas visões da espetacular Arena da Fonte Luminosa. Foto: Orlando Lacanna.

Depois de fazer um tour pelo estádio, me posicionei à beira do gramado e aguardei a entrada dos times e dos árbitros, para fazer os fotos oficiais da partida, as quais, mais uma vez são exclusivas e estão apresentadas abaixo:


Ferroviária F S/A - Araraquara/SP. Foto: Orlando Lacanna.


C.A. Juventus - São Paulo/SP. Foto: Orlando Lacanna. 


O árbitro Paulo Sérgio dos Santos, os assistentes Leandro Almeida dos Santos e Marcelo Valdevino Rodrigues e o quarto árbitro Bruno Guimarães Barbosa posam junto com os capitães das duas equipes. Foto: Orlando Lacanna.

Voltando a falar de futebol, essa partida reuniu duas das mais tradicionais equipe do futebol paulista e nacional, sendo que ambas fizeram parte da elite do futebol de São Paulo por longos anos, protagonizando jogos espetaculares por competições realizadas num passado não tão distante. 

Atualmente, estão fazendo parte do terceiro escalão do futebol paulista, mas têm tudo para retornarem à elite num curto espaço de tempo. Na competição atual, a Ferroviária entrou em campo colocada na 6ª posição com 9 pontos, enquanto o Juventus, também com 9 pontos, estava situado na 5ª posição e, portanto, o confronto envolvia dois times situados no pelotão de cima, ou seja, no chamado G8.

A partida começou eletrizante, com as duas equipes imprimindo uma velocidade incrível e criando situações emocionaNtes logo nos primeiros minutos, tanto que, aos 3 minutos, o "Moleque Travesso" abriu a contagem, através de um gol anotado por Ricardinho, aproveitando passe na medida de Lucas, que recuperou a posse de bola, após um erro de Rodrigo Sales, que quis sair jogando e se deu mal. 

Um minuto após, a Ferroviária quase empata, num arremate de Reivan, obrigando o goleiro juventino Gustavo a se virar para evitar o gol. As emoções não paravam e, na marca dos 5 minutos, Ricardinho, do Juventus, perde um gol feito, ao chutar por cima, uma bola recebida com açúcar na altura da marca de pênalti.


Ataque da Ferroviária pelo meio no início da partida. Foto: Orlando Lacanna.

A partida continuava num ritmo alucinante, com oportunidades sendo criadas uma em cima da outra, como aconteceu, ao 8 minutos, quando o atacante afeano Júlio César mandou um balaço que explodiu no travessão da meta juventina. Aos 17 minutos, o goleiro do Juventus salvou sua equipe de sofrer o empate, ao defender com o pé direito uma bola que tinha direção certa do gol.


Goleiro Gustavo do Juventus, afastando o perigo com o pé. Foto: Orlando Lacanna.

O gol de empate do time da casa estava amadurecendo e acabou acontecendo, aos 26 minutos, anotado pelo atacante Júlio César, através de um arremate cruzado da esquerda. Cinco minutos depois, o time da Capital voltou a comandar o placar, ao marcar o seu segundo gol por intermédio de Lucas, numa jogada em que a defesa araraquarense ficou assistindo o avante juventino invadir a área e concluir sem marcação.


Avançada do ataque juventino ainda na primeira etapa. Foto: Orlando Lacanna.

Em vantagem no placar, o Juventus continuou atacando e chegou muito perto do seu terceiro gol, aos 37 minutos, ocasião em que o ótimo atacante Ricardinho, invadiu pela direita e mandou um cruzado, assustando o goleiro Roberto que viu a bola passar muito perto do travessão da sua meta. 

Aos 41 minutos, a torcida local fez a festa mais uma vez, pois o atacante Danilo Martins, de cabeça, deixou tudo igual novamente no placar. Mais alguns minutos e o árbitro encerrou um primeiro tempo excelente, que fazia tempo que eu não via, com o marcador registrando o empate de 2 a 2. Durante o intervalo, deixei o gramado e fui me acomodar numa cadeira coberta, pois encarar o sol do meio-dia em plena "Morada do Sol", não é tarefa para qualquer um.

Com a bola voltando a rolar, o que se viu foi o Juventus massacrando a defesa afeana durante os primeiros dez minutos, tendo criado e desperdiçado três excelentes oportunidades, aos 3, 7 e 9 minutos, em jogadas pelas pontas, com as participações de Fabinho (duas vezes) e Wesley. De tanto insistir na mesma jogada, o Juventus chegou ao seu terceiro gol, anotado por Ricardinho, aos 10 minutos, concluindo com precisão, outra jogada criada pelo lado esquerdo.


Terceiro gol do Juventus, marcado no início da segunda etapa. Foto: Orlando Lacanna.

Após estabelecer nova vantagem no marcador, o Juventus assumiu uma postura mais defensiva, visando matar o jogo em jogadas de contra-ataques e, com isso, chamou a Ferroviária para cima e pagou um preço alto pela estratégia, pois, aos 25 minutos, sofreu o gol de empate, anotado pelo ótimo atacante Júlio César, de cabeça, após cruzamento perfeito vindo da direita. O atacante subiu sozinho e mandou a bola no alto da meta de Gustavo.


Terceiro gol da Ferroviária marcado por Júlio César empatando a partida pela terceira vez. Foto: Orlando Lacanna.

Com e restabelecimento da igualdade no marcador, a Ferroviária se animou ainda mais e foi buscar o gol da vitória, sendo que, aos 30 minutos, teve a sua missão facilitada, pois o volante Magno do Juventus, foi expluso corretamente, após receber o segundo cartão amarelo. Aos 39 minutos, time da casa desperdiça uma boa chance nos pés de Danilo Martins, que foi infeliz na conclusão.

Com um homem a mais, a Ferroviária passou a ter o total domínio territorial, encurralando o Juventus no seu campo de defesa, tendo desperdiçado a maior chance de desempatar a partida, aos 43 minutos, numa jogada em que o avante Rildo, invadiu a área pela esquerda, ganhou na corrida do zagueiro, limpou o goleiro e, com o gol escancarado, chutou para fora, levando os seus torcedores ao desespero e, a ele ,chutar uma placa de publicidade, por causa da raiva por ter perdidos o gol mais feito do jogo. 

O tempo regulamentar estava terminando, quando o árbitro reserva levantou a placa indicando 6 minutos de acréscimo. A partir daí, o público passou a empurrar ainda mais o time da casa e, na base da raça, chegou ao tão esperado quarto gol, anotado por Danilo Martins, ao aproveitar uma sobra de bola, no interior da área, após cruzamento vindo da direita, levando o torcedor araraquarense à loucura e iniciar uma festa pela virada.


Gol da vitória da Ferroviária marcado nos acréscimos por Danilo Martins. Foto: Orlando Lacanna.

Fim de um jogo espetacular, com o placar eletrônico apontando Ferroviária 4 - 3 Juventus, que premiou a equipe que buscou o gol o tempo inteiro, sendo que os três pontos colocaram o time de Araraquara na 3ª posição com 12 pontos, reafirmando a sua condição de favorito a conquistar uma das oito vagas à segunda fase da competição. Por outro lado, a derrota tirou o time da Capital do G8, deixando-o na 10ª posição com 9 pontos, mas com amplas possibilidades de alcançar a classificação.

Com o encerramento do jogo, voltei para a estrada, agora com destino a São Paulo, encerrando uma jornada que incluiu três jogos e duas lindas cidades do interiozão. Valeu muito a pena fazer essa viagem e, em breve, haverá mais. Foi isso.

Abraços,

Orlando

Nenhum comentário:

Postar um comentário