Procure no JP

sexta-feira, 12 de janeiro de 2007

Paraná 10-1 Luverdense: Histórico

Opa,

Depois da grande vitória do Lençoense, agora chegava o jogo que me fez seguir até Lençóis Paulista: Paraná Clube e Luverdense, de Lucas do Rio Verde/MT. Mais um jogo que só a Copa São Paulo pode nos proporcionar e uma chance de ouro para ver uma partida do time matogrossense, já que será difícil a vinda dele no profissional perto de São Paulo. E mais uma vez, tive a grande chance de tirar as fotos dos times posados, históricas com sempre:


Paraná Clube (sub-19) - Curitiba/PR. Foto: Fernando Martinez.


Luverdense EC (sub-19) - Lucas do Rio Verde/MT. Foto: Fernando Martinez.


Os capitães dos times, junto com o árbitro Luciano Lalucce e os auxiliares Nélson Souza Góis e Alex Lopes Loula. Foto: Fernando Martinez.

Saindo do gramado após as fotos, acompanhei o início do jogo e o primeiro gol do Paraná, numa bomba de fora da área que entrou no ângulo do goleiro do Luverdense em trânsito. Uma indicação do que estava por vir? Parecia que não, já que depois do gol, o time paranaense dominava a partida, mas sem aquele ímpeto absurdo, e ia só cadenciando o jogo. O Luverdense mostrava um toque de bola razoável, e em algumas vezes levou perigo à meta paranaense.


Disputa de bola no meio-de-campo no jogo entre Paraná e Luverdense. Foto: Fernando Martinez.

E os gols do Paraná surgiram naturalmente no primeiro tempo. O segundo foi por volta só dos 25 minutos, o terceiro em um frango do goleiro mato-grossense e o quarto em cobrança de pênalti, já por volta dos 40 minutos. Parecia que era só chegar e marcar. Mas o Luverdense ainda esboçou uma mini-reação no final dessa primeira etapa, quando marcou seu gol numa perfeita cobrança de falta. O jogo foi para o intervalo em 4 a 1 para os paranaenses.


Gol do Luverdense, nos acréscimos do primeiro tempo. Foto: Fernando Martinez.

No intervalo fui conhecer o estádio e dois rapazes de lá vieram me cumprimentar pelo trabalho do JOGOS PERDIDOS aqui e na RedeTV!. Nada mais gratificante do que vermos nosso trabalho reconhecido e com muita gente gostando de ver esses jogos que a grande mídia não se interessa devidamente retratados num espaço nacional. Valeu para ficar mais orgulhoso ainda do que fazemos!

Na volta do segundo tempo não imaginava que estaria prestes a acompanhar algo que estava no aguardo desde 1983, quando comecei a ver jogos no estádio. Um placar que era uma meta a ser atingida e que é algo raro de acontecer.


Ainda um ataque do Luverdense no primeiro tempo de jogo. Foto: Fernando Martinez.

O Paraná veio com tudo, e com 16 minutos de segunda etapa o jogo já estava em 8 a 1 para os paranaenses. Foi uma blitz maluca do time, que marcou gols de tudo o que é jeito, de fora da área, na linha de fundo, em bola enfiada e em confusão na área. Peço desculpas por não lembrar a descrição exata de cada um deles, já que estava numa sombra do outro lado do estádio e feliz demais por presenciar tal massacre.

E quando já achava que a minha busca ao "10" num jogo estava predestinada a acabar, o goleiro do Luverdense passou a praticar defesas milagrosas. Pelo menos quatro vezes ele fez verdadeiros milagres e numa vez a bola ainda bateu na trave antes da defesa final. O tempo passava e a perguta era: "Será que chega ao dez?"


Ataque do Luverdense no segundo tempo de partida, com a parte coberta do estádio ao fundo. Foto: Fernando Martinez.

Quem pensa que o Luverdense se entregou está enganado. O time buscava de forma maciça mais algum gol, mas a diferença entre eles e o time do Paraná foi a de que os paranaenses aproveitaram quase todas as suas chances.

Mas o tempo corria, e parecia que o Paraná não faria mais gols. Mas a impressão foi deixada de lado aos 35 minutos, quando num cruzamento pela direita, a bola resvalou num zagueiro do Luverdense e enganou o goleiro. O nono gol (que o Mìlton sempre busca) tinha chegado, e agora faltava só um para eu ver um time marcar dez gols num jogo pela primeira vez.


Vista geral do Estádio Archangelo Brega, com o jogo entre Paraná e Luverdense ao fundo. Foto: Fernando Martinez.

E quase no finalzinho o que eu esperava chegou. Em um lance dramático dentro da área, e depois de dois milagres do goleirão, a bola sobrou livre para o atacante do Paraná chutar e fazer o décimo gol na partida. E sem tempo para mais nada a partida o jogo acabou em Paraná 10-1 Luverdense.

Pela primeira vez vi um time fazer dez gols numa partida ao vivo. Era algo que como disse no começo, buscava faz tempo e a emoção de ver um resultado desses é indescritível, ainda mais num estádio simpaticíssimo, matando um time e num dia fantástico. Depois do jogo ainda fui até a cidade de Bauru, passando por Agudos, matar saudades dos meus tempos de UNESP por lá.


Pena que não consegui entrar no estádio para um post da "Volta ao Passado", mas à esquerda temos a entrada do estádio da cidade de Agudos/SP, aonde o Agudos FC mandava seus jogos. E ao lado, a entrada magistral do gigante Alfredo de Castilho, em Bauru. Viagens sem fotos de estádios não existem... Fotos: Fernando Martinez.

Mesmo com alguns problemas na viagem, ainda bem que consegui voltar para São Paulo à tempo para rodada da Copinha na quinta-feira... ossos do ofício! Mas no final-de-semana teremos mais jogos geniais por aqui! Fiquem ligados!

Abraços

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário