Procure no JP

segunda-feira, 15 de janeiro de 2007

A última rodada do Grupo J em Araras (II)

Olá, amigos!

Dando continuidade à rodada dupla por nós acompanhada, e cujo relato inicial foi feito por meu colega de viagem, Fernando, coube a mim falar de um jogo não muito perdido. Na verdade, um jogo que perdeu só quem não quis mesmo ver, dado que, só na TV, três emissoras transmitiram. Sendo asim, deixei os detalhes da partida em segundo plano, e me preocupei mais com as circustâncias que nos envolveram durante o transcorrer da partida.

O jogo e questão definiria o grupo J da 38º Copa São Paulo, colocando frente a frente o União São João EC e o SC Corinthians Paulista. Ambas equipes, além do Paysandu, estavam de olho na(s) vaga(s) do grupo, e nos troféus entregue ao campeão e vice do grupo sediado na bela cidade de Araras.


Lado a lado, as equipes entram em campo. Foto: Estevan Mazzuia.


Detalhe dos troféus em disputa para o campeão e vice do grupo J em Araras. Foto: Estevan Mazzuia.

Enquanto o Fernando ficava com suas meias secando nas arquibancadas ao lado oposto à entrada do gramado, eu contava as moscas que nos rodeavam. E sem percebermos nada, trilava o apito do árbitro, anunciando o fim da preliminar. Decidimos, então, que seria necessário quebrar o recorde mundial dos 100 metros rasos, para fazermos as fotos oficiais da partida. Alguns segundos e litros de suor depois, com a ajuda do atencioso fiscal Norivaldo, a tarefa foi cumprida com esmero:


União São João EC (sub-19) - Araras/SP. Foto: Estevan Mazzuia.


SC Corinthians Paulista (sub-19) - São Paulo/SP. Foto: Estevan Mazzuia.


O árbitro Jorge Torres, os auxiliares Eduardo Conceição e Fábio Baldo posam para o JP juntamente com os capitães de União e Corinthians. Foto: Estevan Mazzuia.

Diante de um belo público, a equipe alvinegra teve um início avassalador. Já fora do gramado, estávamos junto dos vestiários, atrás de escalações e alguns brindes dos clubes. Também aproveitamos a oportuna sombra para fugir do sol, que rapidamente secava as poças formadas pela chuva que havia ocorrido. Estávamos exatamente atrás do gol que foi massacrado pelo clube paulistano nos primeiros minutos, e ao menor descuido, perdíamos um lance importante. Com toda essa pressão, logo aos cinco minutos, Tiago abriria o placar para os visitantes.


União se defende como pode no início do jogo. Foto: Estevan Mazzuia.

Já de volta às arquibancadas, buscamos um melhor ângulo no setor para credenciados, mas fomos barrados, provavelmente por não sermos mesmo credenciados. Mas sem problemas, o estádio Hermínio Ometto é muito confortável, e quase todos os lugares propiciam uma bela visão do gramado.


Vista geral da partida que decidiu a sorte do Grupo J na Copa São Paulo. Foto: Estevan Mazzuia.

O que parecia anunciar uma nova goleada alvinegra, logo se transformou em pesadelo para a torcida fiel. Rapidamente, os donos da casa equilibraram a partida e, se não conseguiram o empate ainda no primeiro tempo, a culpa foi da incrível falta de pontaria de seus jogadores. Segundo uns cálculos rápidos que fiz, a meta precisaria ter uns 30 metros de largura por uns 10 de altura, para as bolas alviverdes levarem mais perigo. Assim, a partida foi para o intervalo com vitória corintiana por placar mínimo.


Luís Fernando evita empate ararense na melhor chance da equipe verde no primeiro tempo. Foto: Estevan Mazzuia.

As equipes voltaram dos vestiários incendiadas, e novamente viu-se 10 minutos fantásticos de futebol. Se o União chegava ao empate logo aos 6 minutos, quando Gaúcho sobiu sozinho na pequena área, após cobrança de falta pela direita, e cabeceou para o fundo das redes, a representação de Parque São Jorge não deixava tempo para a torcida comemorar o empate. Aos 8 minutos, após um cruzamento também da direita, Alisson se aproveita de uma falha da zaga verde e tem tempo para escolher o canto esquerdo do goleiro Luís Carlos.


Marcação cerrada foi ponto forte da equipe alvinegra. Foto: Estevan Mazzuia.


Ataque corintiano no segundo tempo. Foto: Estevan Mazzuia.

Daí para o final, o jogo transcorreu morno, com mais chances para o time da casa, enquanto a representação de Parque São Jorge jogava com a tranquilidade de quem dizia: "façam o segundo que faremos o terceiro". E assim foi até o apito final do senhor Jorge Torres. Final de jogo: União São João 1x2 Corinthians, e o alvinegro fecha a primeira fase com três vitórias em três jogos. O União se despede com uma campanha abaixo do esperado, com apenas uma vitória e duas derrotas.

Depois de extrema dificuldade para tirar o carro do estacionamento sem levar pedaços de outras viaturas, e algumas tentativas, frustradas ou não, de voltas ao passado pela região, rumamos a São Paulo, mais uma vez com a certeza do dever cumprido.

Abraços, e até a próxima aventura JP.

Estevan

Nenhum comentário:

Postar um comentário