Procure no JP

quinta-feira, 11 de janeiro de 2007

Vitória mágica do Lençoense pela Copinha!

Fala pessoal!

Continuando com os posts históricos desse meio-de-semana, ontem à tarde tive a feliz oportunidade de assistir mais uma rodada da Copa São Paulo, agora em local nunca antes visitado por mim e também que nunca apareceu aqui no JOGOS PERDIDOS na sua existência.

Depois de sair cedo de Araraquara quarta de manhã, com direito a visitas em cidades da região (inclusive com um post da série "Volta ao Passado" na bagagem), cheguei na cidade de Lençóis Paulista para acompanhar dois jogos do grupo C da competição. Os dois jogos aconteceram no lindo Estádio Archangelo Brega. E a primeira partida reuniu os donos da casa, o CA Lençoense,e o Santo André.


Entrada do simpático estádio Archangelo Brega, em Lençóis Paulista. Foto: Fernando Martinez.


Placa que celebra as obras do estádio em 1991, e ao lado as mãos do goleiro Marcos, imortalizadas no estádio. Fotos: Fernando Martinez.

Chegando por lá já fui me informar para entrar em campo e tirar as famosas fotos dos times posados. O legal de estar dentro do campo é ver uma homenagem que o pessoal do CAL fez para o goleiro Marcos, do Palmeiras. Ele iniciou a carreira por lá e no meio de campo estão imortalizadas suas mãos, para a alegria do povo local!


CA Lençoense (sub-19) - Lençóis Paulista/SP. Foto: Fernando Martinez.


EC Santo André (sub-19) - Santo André/SP. Foto: Fernando Martinez.


Trio de arbitragem com o árbitro José Cláudio Rocha Filho, os auxiliares Luiz Corrêa e Bruno Cezar de Gouveia com os capitães da partida. Foto: Fernando Martinez.

E devidamente instalados na parte coberta do estádio (que por sinal ficou lotado!), vimos um belíssimo jogo de futebol, mesmo com o calor que estava fazendo. O Santo André começou com tudo e partiu pra cima do Lençoense desde o início da partida. Com um bom meio-de-campo e um ataque perigoso, o time andreense levou muito perigo nas suas investidas. Tanto que logo aos 12 minutos abriu o placar, com o jogador Cauê aproveitando falha do goleiro dos donos da casa.


Ataque do Lençoense no comecinho do jogo contra o Santo André. Foto: Fernando Martinez.

Com o gol o time andreense não parou de buscar a marcação de mais tentos e deixou o Lençoense penando bastante na sua defesa, sem que o time criasse chances mais efetivas. O Santo André então abusou do direito de perder ataques, e isso fez abstante falta depois. Logo, o Lençoense passou a tentar uma melhor sorte na partida e passou a criar algumas chances. A torcida local perdeu a paciência com os atacantes do time, e alguns deles foram especialmente homenageados, já que os seus chutes eram sem direção.


Uma das primeiras chances do Lençoense, em cabeçada do camisa 23 que, sozinho, perdeu chance importante. Foto: Fernando Martinez.

Mas o Santo André, com esses espaços que deu ao time local, deu a chance que o Lençoense precisava para crescer no jogo. E aos 42 minutos, numa cobrança de escanteio, o Lençoense empatou o jogo. O jogador Rodrigo subiu sozinho e colocou tudo igual no placar, para a loucura de todos os torcedores presentes no estádio. Depois do gol, o jogo foi para o intervalo sem mais nenhuma alteração.

O intervalo valeu para o famoso reabastecimento de água, refrigerante e sorvete, tudo para tentar amenizar o calor que estava fazendo lá. Um sol para cada um e um abafado monstro foram a tônica dessa mini-turnê pelo interior. espero voltar lá em temperaturas mais amenas...


Detalhe do jogo entre Lençoense e Santo André, com a torcida quase dentro do campo. Foto: Fernando Martinez.

Voltando para o segundo tempo, vi um jogo parelho e extremamente disputado. Os times não se importaram com o calor e fizeram um espetáculo digno de horário nobre na TV. Notei que o time do Santo André era mais técnico e tinha melhores jogadores, mas o sentido de superação da equipe do Lençoense foi algo de fantástico durante essa segunda etapa.

A equipe andreense, precisando da vitória, se lançou ao ataque e criou chances de ouro, e em muitas delas o goleiro do Lençoense teve intervenções milagrosas, garantindo o empate até então. O Lençoense criava lances pelo lado direito do ataque, mas em todas elas faltava um detalhe para que a jogada fechasse de forma mais produtiva.


Ataque do Lençoense no segundo tempo de jogo. Foto: Fernando Martinez.

Com esse panorama, o jogo foi seguindo para o seu final sem a alteração no placar. Mas aos 41 minutos, um lance antológico - e que espero que tenha sido captado pelas poucas câmeras no local - determinou a sorte final da partida. Em jogada individual, vinda do meio-campo, o jogador Fernando Fabri foi driblando de forma especial os marcadores do time andreense... um, dois, três, quatro, cinco deles ficaram para trás, e depois também de driblar o goleiro, o jogador só empurrou a bola para as redes e virou o jogo para o Lençoense.

Festa absoluta nas arquibancadas e todos aplaudindo de pé tal pintura de gol. Sem forças para reagir, o Santo André não fez mais muita coisa até o fim do jogo. Final de partida: Lençoense 2-1 Santo André. Grande resultado para o alvinegro, que agora esperaria o resultado do Paraná para ver o que teria que fazer no domingo.

Bom, e o jogo do Paraná foi um daqueles jogos que você sabe que a história foi escrita ali mesmo, no lugar em que você está. E ela fica para o próximo post.

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário