Procure no JP

terça-feira, 2 de janeiro de 2007

Estádios pelo Brasil, volume 14: Estádio José do Rego Maciel (Arruda) (Recife/PE)

Alô amigos!

Feliz 2007 a todos! Aproveitando a entre-safra de começo do ano, dou início à trilogia de posts sobre a visita que fiz ao Recife, em junho de 2006. Em meio a um verdadeiro dilúvio, achei que não conseguiria meu objetivo, mas com o auxílio de minhas amigas e anfitriãs Joana e Natália, pude realizar meu desejo.


Na praia de Boa Viagem, e ao lado de um simpático habitante de Recife, pelas ruas do Bairro Bongi. Fotos: Arquivo Pessoal.

Minhas amigas, extremamente solidárias ao meu desespero, ensinaram-me uma simpatia para fazer a chuva parar: colocar a "Mariazinha" atrás da porta, e prometer tirá-la do "castigo" assim que a chuva parar. E não é que funciona? Bom, o melhor vem depois: pra não dar azar, a "Mariazinha" tem que ser levada pra passear, e quem sugeriu o roteiro, fui eu. Um roteiro bem JP, por sinal.


Entre Joana e Natália, eu, com Mariazinha. Foto: Arquivo Pessoal.

Confesso que por um momento achei que tudo estivesse perdido. Na Ilha do Retiro, fomos impedidos de entrar. Nos Aflitos, nova negativa. Restava o Arruda. Até então, eu tinha deixado às minhas amigas a responsabilidade de nos apresentar e solicitar a visita. Diante de duas negativas, tive que ser mais agressivo. Antes que as duas pudessem se manifestar, ao chegar ao José do Rego Maciel, pulei do carro e fui conversar com o porteiro.


Fachada do Santa Cruz Futebol Clube. Foto: Estevan Mazzuia.

Entrada liberada, volto ao carro e encontro as duas de boca aberta, uma mistura de surpresa e indignação, mas com satisfação também. Difícil de descrever o momento, hehe. Se eu tivesse tomado a iniciativa nos outros estádios, talvez a coisa tivesse sido diferente, não? Mas ainda assim elas teriam atuação importantíssima, mas isso será tema de outro episódio.


Limpo, belo e imponente, o estádio impressiona ainda por fora; notem no canto inferior esquerdo, minhas amigas ao lado do carro, que fez as vezes de viatura JP por Recife. Foto: Estevan Mazzuia.

Infelizmente, não pude entrar no gramado, e fiz a mais rápida de minhas 3 visitas. Já soube que deixei passar muitos detalhes interessantes do clube, como uma parte da arquibancada que passa por cima de uma rua, mas ainda assim, acho consegui registrar nessas poucas fotos os detalhes do maior estádio pernambucano:


Alegria JP evidente neste sorriso, não? Foto: Arquivo Pessoal.

O Estádio José do Rego Maciel foi inaugurado em 4 de junho de 1972, como o jogo entre Santa Cruz e a Seleção Brasileira Amadora. O jogo foi vencido pelo Santa por 1 a 0, e o primeiro gol do estádio foi marcado pelo jogador Betinho. O estádio teve seu recorde de público num amistoso entre Brasil e Argentina, em 23 de março de 1994, vencido pelo escrete canarinho por 2 a 0. O público naquela partida foram fantásticos 90.200 torcedores.


Tem muito estádio no eixo SP-RJ que desejaria um gramado desses. Foto: Estevan Mazzuia.


Vista geral do setor coberto. Foto: Estevan Mazzuia.

E deixo aqui um agradecimento ao atencioso Cristiano da Silva Oliveira, que foi muito simpático comigo. E na saída do estádio, ainda passamos em frente à sede da Torcida Organizada Inferno Coral, que possui um belo grafite em seu muro frontal


Detalhe da fachada da sede da Torcida Organizada Inferno Coral. Foto: Estevan Mazzuia.

Estimulado por essa fantástica visita, consegui convencer minhas amigas a retornar e tentar novamente conhecer os demais estádios. E como eu já estraguei a surpresa, anunciando o post como o primeiro da trilogia, aguardem os próximos, hehe

Abraços

Estevan

Nenhum comentário:

Postar um comentário