Procure no JP

terça-feira, 23 de agosto de 2005

JP caindo na estrada (parte 2 de 2)

Olá,

Já é hora de revelar nosso novo destino: Jacutinga. Apesar de não ser tão perto de Porto Ferreira, dava tempo para chegar, então saímos a luta. O Jurandyr assumiu logo o papel de navegador, e munido de mapas, anotações e muita disposição começou a traçar o caminho.

Começamos em estradas boas, depois estradas não tão boas assim. Mas o melhor foi quando encontramos uma placa indicando "Divisa de estado Minas / São Paulo". Até aí, beleza! Estávamos no caminho certo, mas poucos metros depois veio outra placa não tão legal assim: "Fim do asfalto".


Caminhos de Jacutinga: nada nos impede de assitir a um bom joguinho de futebol. Fotos: Estevan Mazzuia.

Como sempre a navegação do Jurandyr foi perfeita e chegamos em Jacutinga, meio em cima da hora, mas a tempo de assistir a fantástica partida Jacutinga x Araxá. Na porta do Estádio Luiz Morais Cardoso, estava acontecendo algo que não esperávamos, fila para comprar ingresso e para entrar. Como sempre gostamos de ter, como lembrança, um ingressinho da partida, tivemos que pegar a fila. Porém, não ia dar tempo de tirar as famosas fotos das equipes. Então foi necessário o Jurandyr usar sua lábia para termos alguns privilégios.

Entramos correndo e já fomos atrás de acessar o campo. Porém, o tiozinho que tinha a chave tinha sumido e ficamos ali esperando alguém para abrir o portão. Aí bateu um desespero, o Araxá já estava em campo e o Jacutinga já estava entrando quando finalmente o tiozinho apareceu e nos liberou. Seguem as suadas e quase perdidas fotos oficiais:


Jacutinga A.C. - Jacutinga / MG. Foto: Emerson Ortunho.


Araxá E.C. - Araxá / MG. Foto: Emerson Ortunho.


Trio de arbitragem e capitães. Foto: Emerson Ortunho.

Antes de falar da partida, tenho que registrar o grande público presente, certamente mais de 1.500 pessoas acompanharam a partida.


Ótimo público presente no Estádio. Foto: Estevan Mazzuia.


Arquibancada praticamente lotada do estádio que está recebendo o apelido de "La Babedera". Foto: Emerson Ortunho.

Enfim, vamos ao jogo: o time da casa começou querendo mostrar serviço, afinal era sua primeira partida oficial em casa, e foi logo pra cima. Mas a equipe do ex-goleiro Sergio Guedes, aquele mesmo de Ponte e Santos, não esperava que ia se deparar com um grande goleiro pela frente. O guarda-metas do Araxá simplesmente começou a praticar defesas atrás de defesas.


Ataque do Jacutinga insistindo para chegar ao gol. Foto: Emerson Ortunho.


Nova cabeçada para fora. Foto: Emerson Ortunho.

E seguindo a velha métrica de quem não faz toma, o Araxá chegou ao primeiro gol. A equipe da casa sentiu bastante o golpe e o jogo parou um pouco, seguindo sem muitas emoções até o intervalo. Nessa altura do campeonato nossa fome já era de lascar, afinal estávamos sem almoçar. O jeito então foi atacar no sorvete...

Na segunda etapa, o jogo teve uma única tônica: o Jacutinga correndo atrás do empate e o Araxá fazendo bons contra-ataques. Nessa toada o Araxá começou a levar vantagens, já que seu goleiro não deixava passar nada e seus contra-ataques eram perigosíssimos. Assim saíram o segundo e o terceiro gols da equipe visitante, deixando perplexo e irritado o grande público presente.


Goleiro do Araxá praticando mais uma boa defesa no segundo tempo. Foto: Estevan Mazzuia.


Agora com o pé, o goleiro salva a meta do Araxá. Foto: Estevan Mazzuia.

Final de jogo: Jacutinga 0 x 3 Araxá. Não dá pra dizer que o resultado não foi justo, mas o time da casa merecia ter feito pelo menos um golzinho. Aproveito para registrar o bom papo que batemos com o Marcello Lujan, do jornal Imprensa de Jacutinga, que nos entrevistou e fotografou para registrar nossa presença lá em Jacutinga. Abraços a ele!

Fim de aventura? Nem pensar, ainda tínhamos que voltar e agora durante a noite... Antes precisávamos comer, então começamos procurar um lugar pra matar a fome. O Estevan não disse nada, mas ele era bem conhecido no pedaço:


Estevan na sua rua, onde ele manda e desmanda. Cardápio da pizzaria do Bié, onde matamos nossa fome, também situada na rua Coronel Estevan. Fotos: Emerson Ortunho.

Devidamente alimentados saímos em busca do retorno ao lar. Não teve jeito, de novo fomos parar em estrada de terra:


O que dava para enxergar das estradinhas em que passamos. Fotos: Estevan Mazzuia.

Mais uma vez a destreza do Jurandyr foi importante para encontrarmos o caminho. Após penar um pouco na terra, chegamos ao asfalto e rumamos em estradas mais conhecidas para São Paulo.


Equipe do JP dando uma ajudinha na divulgação da partida. Foto: Estevan Mazzuia.

E isso aí! Mais uma vez valeu por tudo! Fazer o trajeto São Paulo-Porto Ferreira-Jacutinga-São Paulo, foi uma grande maluquice. Só para constar saímos às 07:30 da manhã e chegamos às 10:40 da noite. Tudo por pura diversão.

Abraços!

Emerson

Nenhum comentário:

Postar um comentário