Procure no JP

quinta-feira, 8 de março de 2007

Mais uma derrota do Mauaense pela A3

Fala pessoal!

Depois do grande The Watcher ter feito mais um post por aqui, chega a minha vez de contar a minha rodada dupla na última quarta-feira. Com um calor dos infernos, seguimos até a cidade de Mauá, aonde mais um jogo do Campeonato Paulista da Série A3 nos esperava. O jogo em questão reuniu dois times em posições ruins na tabela de classificação, Mauaense e Catanduvense.

E dessa vez não nos limitamos a curtir só o jogo. Antes da partida fomos passear no Museu Barão de Mauá, no centro da cidade. Muitas histórias e dúvidas foram respondidas com o historiador Renato Dotta. Vimos fotos e histórias de times históricos, como o AA Industrial e o Cerâmica de Mauá. Mas um dia iremos lá com mais tempo, pois valeu a visita.


Turma do JOGOS PERDIDOS antes do jogo, no Museu Barão de Mauá, aonde dizem que foi a casa do próprio. Foto: Renato Dotta.

Bom, e um quórum respeitável do JP esteve em Mauá nessa tarde: eu, David, Orlando, Seu Natal e Emerson, e ainda o Mílton chegou com o primeiro tempo em andamento. E mais uma vez, fomos simpaticamente autorizados a entrar em campo para as fotos oficiais (exclusivas) da partida:


GE Mauaense - Mauá/SP. Foto: Fernando Martinez.


G Catanduvense de F - Catanduva/SP. Foto: Fernando Martinez.


O árbitro Paulo Roberto de Souza Júnior, os assistentes Marcelo Pereira de Lima e Ricardo Pavanelli Lanutto e o quarto árbitro Édson Alves da Silva posam junto com os capitães das duas equipes. Foto: Fernando Martinez.

Falando do jogo, os times tinham que buscar a vitória à qualquer custo, já que os dois estavam na zona de rebaixamento. Jogando em casa, todos esperavam que o Mauaense tivesse a maior vontade no jogo. Mas o Catanduvense começou melhor e dava sinais que queria resolver a partida logo. Tanto que, com a pressão inicial aplicada, o time acabou saindo na frente do placar. Isso foi aos 19 minutos, depois de cruzamento da esquerda que o jogador Léo só escorou.


Cabeçada do ataque do Catanduvense que levou perigo à meta do time de Mauá. Foto: Fernando Martinez.

Com a desvantagem no placar, o Mauaense acordou um pouco e passou a criar chance de perigo contra o gol do time de Catanduva. E não demorou muito para finalmente a torcida local comemorar um pouco. Aos 25 minutos, depois de cruzamento pela direita, o jogador Luís Henrique cabeceou com estilo e empatou a partida.


Zagueiro do Mauaense segura a bola na linha de fundo, acossado por atletas adversários. Foto: Fernando Martinez.

Mas até o final do primeiro tempo, o placar não mais alterado. Aproveitamos o intervalo para passear no Estádio Municipal de Mauá. Como sempre fomos bem recebidos, e o pessoal agradeceu nossas visitas aos jogos do Mauaense. E ainda tem muito mais jogo do Mauaense que iremos até o final da A3...


Visão geral do jogo entre Mauaense x Catanduvense. Foto: Fernando Martinez.

O segundo tempo começou e o jogo voltou às mãos do Catanduvense. O time se acertou no vestiário e passou a dominar a partida, sem que o Mauaense mostrasse alguma resistência. E aos 16 minutos, os visitantes passaram novamente à frente do placar. Depois de cobrança de escanteio, o jogador Cleiton pegou de primeira, sozinho, e marcou o segundo do Catanduvense.


Visão geral do jogo com o "fog" tradicional da cidade de Mauá reaparecendo depois de muito tempo. Foto: Fernando Martinez.

O terceiro, que decretou o final de esperanças ao Mauaense, veio aos 32 minutos. Em jogada pela direita, o jogador Bruno Augusto, o Pelé, entrou sozinho na área e só deslocou do goleiro do time de Mauá. O time da casa ainda tentou fazer o seu, mas não encontrou forças nem para assustar os visitantes no final da partida.


Mais uma visão do "fog" na cidade de Mauá. Bela visão que temos no portão que dá entrada ao campo de jogo. Foto: Fernando Martinez.

Final de jogo: Mauaense 1-3 Catanduvense. Boa vitória do time de Catanduva e mais uma derrota para o Mauaense. O time precisa acordar logo caso não queira terminar 2007 na Segundona.


Quem viu achou que era real: o David batendo um pênalti imaginário e o Seu Natal voando (literalmente) para fazer a defesa. Um dos momentos incomparáveis do JP. Fotos: Fernando Martinez.

Depois do jogo ainda viemos rapidinho para São Paulo porque a rodada de noite não poderia esperar. Logo mais o jogo noturno no blog.

Até

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário