Procure no JP

sexta-feira, 16 de março de 2007

Ares de Série A no Canindé

Opa,

Vamos agora com o jogo da rodada noturna do JOGOS PERDIDOS da última quarta-feira. Tive a chance de respirar ares de Série A do Brasileiro no Estádio do Canindé depois de quase cinco anos. É, pela Copa do Brasil, a Portuguesa recebeu a equipe do Cruzeiro, equipes que não se enfrentavam desde 2002, ano da queda da Lusa para a Série B.


Times perfilados para o Hino Nacional Brasileiro antes da partida. Foto: Fernando Martinez.

Os times já proporcionaram dois duelos históricos em fases decisivas de Brasileiros, com uma vitória para cada um: em 1996, a Lusa eliminou a Raposa pelas Quartas-de-Final e em 1998, o Cruzeiro eliminou o time do Canindé na semi-final da Série A daquele ano. Tempos que estão difíceis para voltar ao Canindé. O time mereceria estar de volta à principal divisão do Brasileiro, mas por vários fatores a equipe esteve mais perto da Terceirona do que da Primeirona. Quem sabe esse ano não vai?

Mas mesmo assim, fui acompanhar esse jogão, que vi pela primeira vez em 2001. De um lado uma Portuguesa líder da A2 e de outro o atual líder do Campeonato Mineiro. Sozinho, acompanhei um começo de jogo fulminante nas molhadas arquibancadas do Canindé. Logo no primeiro minuto grande chance da Portuguesa, e no minuto seguinte, pênalti indiscutível para o Cruzeiro. Na cobrança, o jogador Marcinho chutou e o goleiro Tiago fez uma defesa fantástica.


Grande chance para a Raposa abrir o placar, mas o goleiro Tiago não permitiu. Foto: Fernando Martinez.

O jogo continou bom com a Portuguesa levando mais perigo nas suas chances. Mas o time insistia nas jogadas em profundidade e em quase 100% delas seus atacantes ficavam em impedimento. O Cruzeiro por sua vez criava pouco e abusava de erros de passe.


Visão geral do jogo entre Portuguesa e Cruzeiro. Foto: Fernando Martinez.

E nesse ritmo, o jogo foi para o intervalo sem a abertura de contagem. Nesse intervalo fui passear pelo Canindé e pude curtir vários conhecidos lá. Pena que o jogo tenha tido um público pequeno, já que foi a partida mais importante da Portuguesa em 2007 até aqui. Quem sabe se os ingressos fossem mais baratos tivéssemos mais gente no Canindé.

O segundo tempo então chegou e mostrou que os dois times tomaram uma injeção de ânimo nos vestiários. A Portuguesa criou boas chances, numa delas o jogador Preto partiu livre, mas na hora do drible do goleiro vacilou. E logo depois, uma bola na trave azul levou a torcida rubro-verde ao delírio.


Lance de escanteio para a Lusa ainda no primeiro tempo de partida. Foto: Fernando Martinez.

O time do Cruzeiro também criou suas chances, uma em cobrança de falta ensaiada e outra em lance que a zaga da Portuguesa tirou a bola de cima da linha. Mas depois dessas chances, o lateral da Lusa foi o jogador mais homenageado em campo. Errando posicionamento e passes, o jogador Wílton Goiano levou a torcida ao desespero. Com ele foram desperdiçados alguns importantes ataques lusitanos.


Jogadores se preparam para cobrança de falta dentro da área do Cruzeiro no segundo tempo. Foto: Fernando Martinez.

E nessa toada o jogo foi até seu final. Nos acréscimos que então aconteceu o lance mais polêmico do jogo. O camisa 18 Rivaldo foi lançado e para a maioria dos presentes sofreu pênalti. O juiz nada marcou, e deixou a torcida revoltadíssima nas arquibancadas. Vi o lance pela TV e confesso que tenho minhas dúvidas.


Mais um cruzamento dentro da área da Raposa no segundo tempo. Foto: Fernando Martinez.

Final de jogo: Portuguesa 0-0 Cruzeiro. Bom resultado para a Raposa, que agora precisa de uma vitória simples em casa. Mas nada está perdido para a Lusa, já que qualquer empate com gols classifica o time, e sem gols leva o jogo para os pênaltis. É esperar para ver...

Depois do jogo, fui para casa já me preparar mentalmente para uma possivel viagem em breve... quem sabe?

Abraços à todos

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário