Procure no JP

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Ilha Solteira pára o Guarujá fora de casa

Olá,

Dando continuidade à cobertura especial que o JP dedica ao Campeonato Paulista da Segunda Divisão, no sábado à tarde, desci a Serra do Mar e segui em direção à badalada cidade do Guarujá, indo mais precisamente ao Estádio Antônio Fernandes, para cobrir a partida A.D. Guarujá x A.E. Ilha Solteira, válida pela antepenúltima rodada do Grupo 8 da segunda fase do campeonato.

Esse jogo era de fundamental importância para o Guarujá, pois só a conquista da vitória manteria as remotas chances do time praiano alcançar a classificação para a terceira fase. O time adversário viajou quase 12 horas, chegando direto para o jogo e trazendo somente 12 atletas. Diante dessas dificuldades, observando a campanha do Ilha Solteira e pelo fato de jogar em sua casa, o Guarujá era o favorito natural para conseguir os três pontos, mas isso teria que ser provado dentro das quatro linhas.

Antes de começar a falar do jogo, vamos com as fotos oficiais da partida que são exclusivas e, nessa oportunidade, o quarteto de arbitragem contou com um nome de peso que foi o assistente Ednílson Corona, integrante do quadro da FIFA, que antes dessa partida trabalhou em 06/09/2.008 no jogo Colômbia 0 - 1 Uruguai pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2.010. Deve ser uma experiência diferente, trabalhar num jogo oficial de seleções e uma semana depois, participar de um jogo da Segundona Paulista. Ah, as fotos estão abaixo:


A.D. Guarujá - Guarujá/SP. Foto: Orlando Lacanna.


A.E. Ilha Solteira - Ilha Solteira/SP. Foto: Orlando Lacanna.


Quarteto de arbitragem formado por Vinícius Furlan, seus assistentes: Ednílson Corona (FIFA) e Claudson Lincoln Biggiato, além do quarto árbitro Rafael Porcari, acompanhado pelos capitães das equipes. Foto: Orlando Lacanna.

Mesmo num gramado que não estava em boas condições, os times procuraram criar jogadas que pudessem levar perigo aos goleiros, porém esse objetivo não foi alcançado, tanto é verdade que somente aos 20 minutos o time da casa conseguiu concluir pela primeira vez contra a meta de Bruno, com a bola encobrindo a meta do Ilha Solteira.


Árdua disputa de bola junto à intermediária. Foto: Orlando Lacanna.


Um dos poucos lances de ataque do Guarujá na primeira etapa. Foto: Orlando Lacanna.

A partida seguiu com poucos lances de área, com o Guarujá tendo maior posse de bola, porém a maioria dos lances se concentrou no meio campo. Aos 38 minutos, os visitantes deram um susto no Guarujá, numa boa jogada de Grilo pela direita, mas que acabou concluindo para fora, assustando o goleiro Russo que já estava vencido no lance. Após essa jogada, mais nada de importante aconteceu e a igualdade sem gols continuou até o fim da primeira etapa.


Lance perigoso do ataque visitante no final do primeiro tempo. Foto: Orlando Lacanna.

No segundo tempo, o Guarujá voltou com outra disposição e foi com tudo em busca da abertura da contagem, tornando a partida um pouco mais interessante. Nessa toada, o avante Douglas Amaral levou perigo à meta do Ilha Solteira aos 11 minutos, obrigando o goleiro Bruno a praticar boa defesa.Um minuto após, outra boa jogada do ataque praiano, mas os atletas Douglas Amaral e Cayo Necaxa, na mesma jogada, "furaram" e desperdiçaram boa chance e aí ficou claro que as condições do gramado jogaram contra o time da casa.


Uma das jogadas de ataque do Guarujá no início da segunda etapa. Foto: Orlando Lacanna.

A partida seguia com domínio do Guarujá que criou a sua melhor chance, aos 24 minutos, por intermédio de Douglas Vieira que se livrou dos zagueiros, mas acabou concluindo contra o poste esquerdo da meta dos visitantes. Daí em diante, o jogo continuou sendo dominado pelo Guarujá, porém não apresentava objetividade nas conclusões, sendo que em alguns momentos, o Ilha Solteira dava suas escapadas e incomodava o setor defensivo do time da Baixada Santista. Uma dessas escapadas aconteceu aos 33 minutos, quando o avante Clayton entrou pelo meio da área do "Tubarão" e levou perigo ao goleiro Russo. Para finalizar, a última chance de gol do Guarujá aconteceu aos 37 minutos, quando o avante Wellington obrigou o goleiro Bruno a praticar mais uma boa defesa.


Uma das raras investidas ao ataque do Ilha Solteira no segundo tempo. Foto: Orlando Lacanna.


Defesa visitante intercepta cruzamento do ataque praiano. Foto: Orlando Lacanna.

Apesar dos esforços das duas equipes, não teve jeito mesmo e a partida foi encerrada com o marcador indicando Guarujá 0 - 0 Ilha Solteira que terminou com qualquer possibilidade do time da casa sonhar com a classificação à próxima fase e que acabou premiando o time visitante que lutou bravamente, apear de todas as dificuldades. Aos dois times restam cumprir a tabela até o fim da segunda fase (faltam apenas dois jogos), para depois começarem a pensar na competição de 2.009.

Fim de jogo e início de uma bela caminhada do estádio até o Terminal Rodoviário, sob uma chuvinha fina e chata, para subir a serra de volta para São Paulo, pois no domingo a jornada iria continuar. Foi isso.

Abraços,

Orlando

Nenhum comentário:

Postar um comentário