Procure no JP

quarta-feira, 19 de setembro de 2007

Estádios pelo Brasil, volume 25: Estádio Francisco Figueiredo de Lima (Cabedelo/PB)

Olá, amigos!

Hoje, em outro post da nossa série Estádios pelo Brasil, venho apresentar mais uma parada que fiz na minha já lendária viagem pelo nordeste no primeiro semestre desse ano. Antes de deixar João Pessoa, não pude ignorar a vizinha Cabedelo, e seu acanhadíssimo Estádio Francisco Figueiredo de Lima, utilizado pelo glorioso Miramar Esporte Clube, fundado em 25 de março de 1928.


Escudinho do Miramar Esporte Clube. Reprodução: Arquivo Fernando Martinez.

Falando um pouco da cidade, Cabedelo foi fundada em 12 de dezembro de 1956, e seu lema é "Urbs Nescia Vinci" (A cidade que não sabe ser vencida). A principal ligação da cidade com capital do estado é feita pela Estrada de Cabedelo (BR-230) e atualmente tem cerca de 50 mil habitantes, utilizada por muitos como uma cidade dormitório.


Fachada do estádio da cidade de Cabedelo. Foto: Estevan Mazzuia.

Depois de "adquirir" simbolicamente meu ingresso, segui por uma alameda ladeada por chapéus-de-sol antes de adentrar ao gramado do tempo sagrado em visita.



Detalhes das bileterias e da bela alameda de acesso ao gramado. Fotos: Estevan Mazzuia.

O fato mais curioso é a total ausência de arquibancadas no local, embora certos veículos de imprensa já tenham divulgado a capacidade oficial do estádio como sendo de cinco mil espectadores.



Em torno do gramado, nenhum sinal de arquibancadas. Fotos: Estevan Mazzuia.

Conhecido como o Tubarão do Porto (o porto de Cabedelo é o mais importante do estado), o alviverde teve uma única conquista em sua história profissional, quando sagrou-se campeão invicto da segunda divisão, no ano de 2001. A final foi disputada em dois jogos contra o Perilima. Durante os anos de 2002 a 2004, a equipe também participou da elite paraibana. No final daquele ano, a equipe suspendeu suas atividades no profissionalismo.



Entrada dos vestiários, e abundantes coqueiros atrás de uma das metas. Fotos: Estevan Mazzuia.

Na saída, informaram-me que o Nacional, de Cabedelo, também mandava seus jogos no estádio, mas mudou de sede e não deu mais as caras por lá. Mas nada oficial a respeito. Debaixo do escaldante sol que fazia, rumei a novos destinos, assunto para um próximo post.

Até lá

Estevan/Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário