Procure no JP

domingo, 12 de fevereiro de 2006

Paulista Série A2: Guaratinguetá 3-2 Nacional

Olá,

No último sábado, pelo terceiro final de semana seguido, fui ao Vale do Paraíba. Sendo que dessa vez à cidade de Guaratinguetá, no Estádio Prof. Dario Rodrigues Leite e presenciei ao jogão Guaratinguetá 3 - 2 Nacional, válido pela segunda rodada da primeira fase do Campeonato Paulista Série A2.

Antes de focar o jogo, quero ressaltar a boa acolhida do pessoal local ao JP, em especial ao Presidente da Liga Municipal, o Sr. Dionísio Roberto Domingos, ex-árbitro de futebol que atuou em 973 jogos, dentre os quais destaco a primeira partida da final do Campeonato Paulista de 1993, em que o jogador Viola marcou o gol da vitória do Corinthians sobre o Palmeiras e na comemoração imitou um porco. No jogo de sábado ele estava desempenhando a função de Delegado da Federação Paulista de Futebol (FPF), responsável pela elaboração do Relatório Técnico da Arbitragem, que no caso era a árbitra Sílvia Regina de Oliveira. Imagino o conteúdo desse relatório, pois a atuação do trio não foi das mais felizes.


Ataque do Nacional na partida contra o Guaratinguetá. Foto: Orlando Lacanna.

Com relação ao jogo, no primeiro tempo o Tricolor do Vale tomou a iniciativa de ataque e logo aos 4 minutos, o atacante Laércio abriu o placar em uma jogada de velocidade pela meia direita. O Nacional sentiu o golpe e permitiu que o domínio do Guaratinguetá prevalecesse até a metade dessa etapa. Aos poucos, o Naça foi equilibrando as ações e conseguiu o empate, aos 36 minutos, através do zagueiro Felipe em cobrança de falta, levando para o intervalo o resultado de 1 a 1.


Detalhe do primeiro gol da equipe do Guaratinguetá. Foto: Orlando Lacanna.


Detalhe da cobrança de falta que originou o primeiro gol do Naça. Foto: Orlando Lacanna.

O segundo tempo começou pegando fogo, pois logo aos 3 minutos aconteceu a primeira grande mancada da arbitragem, que não marcou um pênalti claro cometido pelo zagueiro do Nacional, que deu uma cortada na bola com o braço direito. Esse lance revoltou a torcida, que logo se acalmou pela marcação do segundo gol do time da casa, aos 5 minutos, com o zagueiro Rocha, que escorou de cabeça escanteio cobrado pela direita.


Ataque do Nacional no segundo tempo da partida. Foto: Orlando Lacanna.

Daí em diante o Guará continuou dominando o jogo, até que aos 28 minutos, o Nacional chegou ao gol de empate, através de Leto, que estava em posição irregular não assinalada. Aí a torcida voltou a ficar agitada. Aos 35 minutos o Guará conseguiu seu terceiro gol, marcado por Almir de cabeça, que também estava em posição irregular não assinalada pela arbitragem. Para encerrar o festival de enganos da árbitra, não foi marcado outro pênalti claro a favor do Guará, em lance que o avante Laércio foi derrubado dentro da área. Acho desnecessário comentar a reação do público presente.


Segundo gol do Nacional, marcado no segundo tempo da partida. Foto: Orlando Lacanna.


Pênalti não marcado a favor do time ferroviário. Foto: Orlando Lacanna. [140411]

O jogo, apesar da influência da arbitragem no resultado final, foi muito bom, com várias jogadas que levantaram o público e acabou apontando como vencedora a equipe local, que foi a que mais procurou a vitória. As duas equipes ainda podem crescer muito na competição, pois mostraram um bom futebol.

Abraços,

Orlando

Nenhum comentário:

Postar um comentário