Procure no JP

quinta-feira, 19 de julho de 2007

Vitória mexicana no Engenhão

Opa,

Depois do jogo do Brasil, e com o Engenhão quase todo pra mim, graças à torcida brasileira que foi quase toda embora depois de Brasil e Costa Rica, pude acompanhar uma das minhas metas no Pan 2007. Já tinha visto a seleção venezuelana no domingo, mas a seleção mexicana ainda era um time difícil a ser incluído na minha Lista. Então um "clássico" entre México e Venezuela era um dos jogos mais esperados.


México e Venezuela alinhados para o começo de partida no Engenhão. Foto: Fernando Martinez.

Nesse jogo tive a volta da companhia do Emerson e do David vindos de sua rodada dupla no Miécimo da Silva. Mesmo demorando muito tempo para nos encontrarmos no gigante estádio logo pudemos curtir o jogo juntos. Jogo que teve um México começando de forma avassaladora, marcado o primeiro logo aos 2 minutos. Numa grande rebatida na área, a bola sobrou para o camisa 9 Moisés Velasco, que tocou na saída do goleiro.


Logo no começo da partida o México abriu o placar. Foto: Fernando Martinez.

Sem dar muito tempo para a Venezuela, o time da terra do Chaves logo marcou o segundo. Aos 10 minutos, o camisa 9 mexicano Enrique Esqueda chutou pela esquerda e no meio do caminho o camisa 6 Carlos Fernandez da Venezuela foi tirar e coloclou contra suas prórias redes. México 2 a 0 e um bom futebol em campo.


Chance para a Venezuela em perigosa cobrança de falta no primeiro tempo. Foto: Fernando Martinez.

Mais depois do gol o México tentou administrar sua vantagem e passou a levar perigo em chances isoladas. A Venezuela, já tendo perdido o primeiro jogo contra os Estados Unidos, tentou renascer na partida. Mas o time é limitado demais e todas as suas investidas no ataque pararam nas mãos do goleiro mexicano.


Detalhe do ângulo que ficamos no final do primeiro tempo, com a visão do placar e da fantástica cobertura do estádio. Foto: Fernando Martinez.

E o jogo seguiu para o intervalo com a vantagem mexicana por 2 a 0. Nesse intervalo fomos degustar mais alguns hot-dogs, a única alternativa de alimentação por lá e diferente do CFZ e do Miécimo, que oferecem uma variedade muito maior de lanches. Mas mesmo assim o lanche caiu como uma luva...

Na volta do segundo tempo, parece que o ânimo dos times foi deixado no vestiário, e as equipes jogaram um futebol fraquinho, fraquinho. Então pudemos passear por todas as dependências do estádio e ver os mais diferentes ângulos do espetáculo.


Ataque do México do segundo tempo, em foto tirada do alto das arquibancadas. Foto: Fernando Martinez.

Uma ventania digna de "E o Vento Levou" pairou no estádio nos 45 minutos finais. Quase caindo de cima, vimos que em qualquer ponto do estádio temos uma grande visão de dentro de campo, e podemos garantir que quem for lá assistir as provas do atletismo estará feito. O David ainda tentou descolar um souvenir para seu sobrinho, mas para tristeza dele nada tinha com o tamanho desejado...


Falta para a Venezuela no segundo tempo de jogo. Foto: Fernando Martinez.

E com a única emoção do segundo tempo sendo a queda de energia de um lado dos refletores - que o árbitro não esquentou a cabeça e deixou o jogo rolar mesmo assim - o jogo acabou como estava no primeiro tempo. Final de partida: México 2-0 Venezuela. O México agora disputa o primeiro lugar do grupo contra a Bolivia, substituta do Peru que descobrimos no dia.

Depois do jogo ainda tentamos emendar uma visita à Édson Passos para curtir o jogo do América contra o Jaguaré pela Série C. Mas um atraso monstro no trem que nos levou até lá nos impediu de matar mais um time no dia. Mas sem problema, a nossa missão estava feita! E voltando para a casa do Cláudio para pegar a Belina mágica, ainda curtimos uma bela pizza do mesmo bairro do Maracanã antes de voltar para São Paulo com muito sono e frio. Mas com o sentimento de dever cumprido mais uma vez à flor da pele...

E no sábado ainda teremos mais Pan!

Até

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário