Procure no JP

quinta-feira, 19 de julho de 2007

JP no Pan 2007 em grande goleada brasileira

Fala povo!

Como disse no meu post anterior, depois da rodada da Série B no Canindé na terça à noite, aguardei o Emerson e o David em casa para seguirmos em mais uma "Magical Mystery Tour" até a cidade do Rio de Janeiro para jogos e times novos nos Jogos Panamericanos 2007. E à bordo de uma Belina 1984, fomos seguindo pela Via Dutra em plena madrugada em busca de nosso feito.

Chegamos no Rio cedinho e mais uma vez contamos com a amizade do Cláudio Burger, que é do site Tribuna da Bola, para estacionar a Belina e seguir pela malha ferroviária do Rio até nossos destinos. O Emerson e o David seguiram até o bairro de Campo Grande, enquanto eu desci na Estação Engenho de Dentro para me maravilhar com a visão do Estádio Olímpico João Havelange, o Engenhão.


Fachada do Estádio Olímpico João Havelange, visto da saída da estação Engenho de Dentro. Foto: Fernando Martinez.

Falar da grandiosidade do estádio e que me senti dentro de um jogo de Copa do Mundo é pouco. Falcatruas à parte, o lugar ficou maravilhoso e de longe, muito longe, é o melhor estádio do Brasil na atualidade. Duvido que alguém consiga superar o que foi feito lá. Bom, e ainda zonzo com tanta grandiosidade fui curtir um jogo do Torneio Feminino de Futebol, entre as seleções do Brasil e do Equador.

Mais do que super favorita, a seleção brasileira tinha a seu favor um grande retrospecto contra as equatorianas, e a goleada era mais do que esperada. As mais de 11 mil pessoas presentes viram uma apresentação perfeita.


Falta para o Brasil no primeiro tempo do jogo. Foto: Fernando Martinez.

Logo aos 9 minutos o escrete brasileiro abriu o placar, e até o final do primeiro tempo a equipe ainda marcaria mais quatro vezes, em grande atuação da melhor atleta do mundo, a camisa 10 Marta. A única coisa triste foi saber que todas essas atleas tem que jogar fora do país, já que aqui não existe uma liga feminina de futebol. Eita nóis...


Visão geral do Engenhão no primeiro tempo do jogo entre Brasil e Equador. Foto: Fernando Martinez.

Com o placar de 5 a 0 no final do primeiro tempo, a esperança da torcida é que a velha máxima "vira cinco, acaba dez" fosse acontecer lá. E logo aos 2 minutos da segunda etapa a camisa 11 Cristiane fez uma pintura de gol no Engenhão. Ela percebeu a goleira adiantada e de muito longe tocou com estilo encobrindo a atleta equatoriana e levando a torcida ao delírio.


Mais uma chance do Brasil no segundo tempo, buscando os dez gols. Foto: Fernando Martinez.

Jogando sozinha, a seleção não dava espaços às equatorianas e ia massacrando o time azul. O time então marcou mais três vezes, e aos 27 minutos o placar indicava uma virória brasileira por 9 a 0. Aí então surgiu uma coisa que nunca tinha visto: as equatorianas passaram a fazer cera para não levar o décimo. Enquanto o Brasil perdia chances e mais chances, as atletas do Equador caíam toda hora e buscavam trancar o jogo mais e mais.


Zaga do Brasil afasta o "perigo" do ataque equatoriano. Foto: Fernando Martinez.

A avalanche de chances perdidas levava as jogadoras e a torcida à loucura. A pergunta geral era "será que o Brasil não faz o décimo?". Mas no crepúsculo da partida a festa foi completa. A melhor do mundo, Marta, entrou na área e depois de um lançamento longo tocou na saída da goleira. Era o décimo!


Mais uma chance do Brasil no segundo tempo de jogo. Foto: Fernando Martinez.

Final de jogo: Brasil 10-0 Equador. Agora o time brasileiro joga contra o Canadá buscando o primeiro lugar do seu grupo e uma eventual vantagem nas semifinais do Torneio Feminino de Futebol.


Brasil 10-0 Equador: uma grande partida no Engenhão. Foto: Fernando Martinez.

Depois desse jogo, todos tiveram que se retirar do Engenhão, em vista da rodada dupla que aconteceria lá na parte da tarde. E logicamente eu ficaria lá para incluir mais dois times na minha Lista e ver mais um jogo de time brasileiro. Mas isso fica para o próximo post.

Abraços

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário