Procure no JP

segunda-feira, 25 de junho de 2007

Tupã perde invencibilidade em Rancharia

Olá,

Como faço todo ano no mês de junho, segui para a região de Assis para participar de uma tradicional Festa Junina que é realizada numa chácara de propriedade de familiares. Apesar do clima festivo, o futebol não ficou de fora e, aproveitando a proximidade, no sábado à tarde, rumei até a bela cidade de Rancharia, mais precisamente ao Estádio Francisco Franco para acompanhar ao jogaço AA Ranchariense x Tupã FC, válido pela décima segunda rodada da primeira fase do Campeonato Paulista da Segunda Divisão.

Mesmo com as duas equipes já classificadas matematicamente para a segunda fase, a partida era cercada de expectativa, pois envolvia times que defendiam suas invencibilidades, ou seja, o Tupã tentava se manter sem perder no campeonato e a Ranchariense procurava continuar sem ser derrotada em sua casa. Com todos esses ingredientes o jogo prometia e as duas equipes não decepcionaram o bom público presente.

Para começar apresento os protagonistas da partida nas fotos EXCLUSIVAS abaixo:


AA Ranchariense - Rancharia/SP. Foto:Orlando Lacanna.


Tupã FC - Tupã/SP. Foto: Orlando Lacanna.


Quarteto de arbitragem comandado por Luciano Silva, seus assistente Newton dos Reis Barreira e Marcelo Zemian de Barros, além do quarto árbitro Luciano Monteiro dos Santos com os capitães das duas equipes. Foto Orlando Lacanna.

A partida começou bem disputada com a Ranchariense tomando a iniciativa de jogar mais no campo de ataque visando furar o bloqueio da defesa do Tupã que tem um esquema defensivo bem definido, com zagueiros muito fortes e que não têm vergonha de darem chutões para qualquer lado com o objetivo de eliminar o perigo que possa rondar sua área.


Início de ataque da Ranchariense. Foto: Orlando Lacanna.

Nesse diapasão a Ranchariense mantinha mais tempo a bola em seu poder, porém tinha dificuldade de colocar em perigo a meta do goleiro Anderson do Tupã. Aos 26 minutos, o árbitro marcou pênalti a favor dos visitantes que foi muito contestado pelos donos da casa. O meia Jackson cobrou e o goleiro Pereira praticou excelente defesa, levando a torcida local ao delírio. Depois desse lance, a Ranchariense ganhou mais força e foi com tudo para o campo de ataque e acabou tendo um pênalti marcado a seu favor que foi convertido por Jeferson, aos 43 minutos, levando para o intervalo o placar de 1 a 0 a favor dos anfitriões.


Mais uma tentativa de ataque da Ranchariense. Foto: Orlando Lacanna.


Detalhe do único gol da partida. Foto: Orlando Lacanna.

No segundo tempo, o time da casa voltou mais cauteloso, permitindo ao Tupã maior domínio territorial e com isso boa parte dos lances ocorreu no campo de ataque dos visitantes que criaram algumas oportunidades de gol, mas aí apareceu a estrela do bom goleiro Pereira que numa atuação de gala, praticou pelo menos três defesas espetaculares, impedindo o empate.

A Ranchariense se defendia e quando recuperava a posse de bola saía com rapidez em perigosos contra-ataques, e dessa maneira o jogo ficou emocionante, deixando a torcida presente em estado permanente de suspense, pois o Tupã poderia empatar a qualquer momento, assim como a Ranchariense poderia aumentar a vantagem.


Tentativa de ataque do Tupã no segundo tempo. Foto: Orlando Lacanna.


Defesa do Tupã cercando atacante adversário com o bom público ao fundo. Foto: Orlando Lacanna.

Depois de muita luta por parte das equipes, a partida terminou mesmo com o placar de Ranchariense 1 - 0 Tupã, com os dois times deixando uma boa impressão e enchendo suas torcidas de esperanças quanto às campanhas na próxima fase. Tanto Ranchariense quanto Tupã têm times competitivos e poderão fazer bom papel na segunda fase e, por isso seus futuros adversários que se cuidem.

Faço questão de ressaltar a atenção e o carinho que o pessoal de Rancharia e Tupã dedicaram ao JP, deixando aqui meus agradecimentos a todos e em especial ao técnico Polaco (ex-zagueiro do Corinthians e Palmeiras) da Ranchariense e ao seu irmão Ulisses, responsável pelo Jornal da Ranchariense. Logo após o término do jogo, voltei para Cândido Mota para participar da Festa Junina na Chácara Nova Esperança, com muita comida típica e música sertaneja, mas sem deixar de planejar o jogo que seria acompanhado por mim no domingo cedo, mas isso é assunto para depois.

Abraços,

Orlando

Nenhum comentário:

Postar um comentário