Procure no JP

quinta-feira, 6 de outubro de 2005

Brasileiro Série B: Portuguesa 1-2 Náutico

E aí??

Ontem, na segunda parte da nossa Overdose de Série B dessa semana, estivemos acompanhando mais um martírio lusitano no Estádio do Canindé. Eu e o Mílton (para variar um pouquinho) fomos ver o jogo entre Portuguesa e Náutico, no duelo pela liderança do grupo da segunda fase.

Um tanto quanto heróica foi a nossa caminhada até o estádio. Exatamente às 18:30 estávamos entrando no metrô Clínicas, para ir até o metrô Ana Rosa, pegar o carro dele, e seguir por vias de trânsito complicado (23 de maio e Anhangabaú). Milagrosamente não pegamos NENHUM trânsito e conseguimos a proeza de entrar no Canindé às 19:25. Um prêmio mais do que merecido.

A chuva começou justamente na hora em que adentramos a casa de espetáculos, e conseguimos por isso um belo lugar lá no alto da arquibancada do Osvaldo Teixeira Duarte. Mesmo de longe pudemos ver tudo o que rolou na partida.


Lá do alto um detalhe do jogo entre Portuguesa e Náutico no Canindé. Foto: Fernando Martinez.

Já de cara não estava com uma boa impressão do jogo. Modéstia à parte, cantei a bola do que iria acontecer já na última sexta-feira, quando a Lusa ganhou o jogo lá em Recife. Foi uma partida totalmente sem-graça por parte da Portuguesa, que se limitou a tocar bola sem nenhuma disposição, ou qualquer sinal de vibração, ou raça.

A Lusa até que começou com um pouco mais de disposição, mas sem ser nada efetiva. Um domínio territorial foi criado no início da primeira etapa, mas sem que nenhuma chance legal tenha sido criada. Até que conseguiu a marcação de um pênalti a seu favor. Na hora, estávamos logo do lado do lance e claramente nos pareceu que tinha sido um penal indiscutível. Só pela TV pude perceber que não foi pênalti não. Como a Lusa não tinha nada com isso, o jogador Cléber foi lá e fez 1 a 0.

Até poderia ser um momento de alegria da Lusa, se o goleiro Gléguer não tivesse falhado bisonhamente e permitido que o Náutico chegasse ao empate, sem nenhum merecimento. As coisas já mostravam que não ficariam bem e o primeiro tempo acabou no 1 a 1 mesmo.


De pênalti, Cléber marca 1 a 0 para a Portuguesa. Foto: Fernando Martinez.

A segunda etapa foi mais cruel ainda para toda a torcida lusitana presente no Canindé. Logo de cara e depois de uma falha magistral de toda a defesa da Lusa, os jogadores do Náutico pintaram e bordaram dentro da área antes de marcar o segundo gol e decretar a virada. Depois disso, foi um festival de incompetência, falta de vibração, descaso, displicência, que chegava a ser irritante e o pior, nenhuma raça mostrada por parte do time do Canindé. Nem vale a pena falar mais sobre o time, que só fez uma pressão etérea aos 44 do segundo tempo.

Final de jogo: Portuguesa 1-2 Náutico. E fico achando que a Lusa tá pensando que a Série B é boa demais para ela, é muita displicência para um time só.

E foi só, sexta-feira tem mais.

Abraços

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário