Procure no JP

quarta-feira, 31 de março de 2010

Guarani escapa do rebaixamento na última rodada da Série A2

Olá,

Seguindo com a cobertura do último final de semana, no domingo pela manhã, viajei até a cidade de Campinas, com o objetivo de acompanhar a partida Guarani F.C. x G. Catanduvense de F., válida pela última rodada (19ª) da primeira fase do Campeonato Paulista da Série A2, cujo palco foi o Estádio Brinco de Ouro da Princesa

Essa partida era decisiva para o time campineiro se manter na Série A2, uma vez que começou a última rodada, colocado na 16ª posição, com 20 pontos, sendo que em caso de derrota, combinada com a vitória do Osvaldo Cruz sobre o América, em São José do Rio Preto, o rebaixamento do "Bugre" para a Série A3, estaria consumado, o que seria uma tristeza muito grande para todos de gostam do alviverde campineiro. Por outro lado, o Catanduvense entrava em campo como franco atirador, pois estava na 11ª posição, com 25 pontos e sem maiores pretensões na competição e, com isso, iria apenas cumprir tabela.

Quando cheguei em Campinas, notei uma movimentação acima do normal de policiais e de pessoas ligadas a organização do trânsito, bem como observei diversas ruas interditadas. Procurei saber o que estava acontecendo e fui informado que o antigo terminal rodoviário da cidade iria ser implodido às 11:00 hs, sendo que toda aquela movimentação fazia parte do esquema de segurança. Daí fica a pergunta: O que esse fato tem com o jogo? A rigor nada, a não ser a comparação que alguns torcedores postados à frente do portão principal, fizeram, ou seja, se o Guarani fosse rebaixado, o Brinco de Ouro também deveria ser "implodido" com a Diretoria e atletas. A propósito, quando ingressei no gramado, percebi que os policiais estavam muito atentos a qualquer movimentação dos torcedores, que demonstravam muita insatisfação com a situação do time.

Deixando de lado a questão extra-campo, fiz o meu credenciamento e fiquei aguardando a entrada dos participantes da partida, à beira do gramado, para fazer as tradicionais fotos oficiais, as quais, são uma marca registrada aqui no JP. Abaixo apresento as fotos:


Guarani F.C. - Campinas/SP. Foto: Orlando Lacanna. 


G. Catanduvense F. - Catanduva/SP. Foto: Orlando Lacanna. 


Quarteto de arbitragem com o árbitro Vinicius Furlan, os assistentes Maurício Machado Ferronato e Douglas Pereira Lopes e o quarto árbitro Edson Nascimento Moreira junto com os capitães das equipes. Foto: Orlando Lacanna. 

A partida começou num ritmo eletrizante por parte do Guarani, que saiu com tudo para cima do Catanduvense, tendo criado três ótimos momentos para inaugurar o marcador, aos 4, 5 e 7 minutos, em jogadas concluídas por Fabinho, Ricardo Xavier e Paulinho, sendo que no terceiro lance, o goleiro Renato do Catanduvense, operou um verdadeiro milagre.


Um dos vários ataques do Bugre no início da partida. Foto: Orlando Lacanna. 

O Catanduvense que não tinha nada a perder, de vez em quando incomodava a defesa bugrina, como aconteceu aos 8 e 17 minutos, em ataques que participaram Hernane e Júnior Barbosa. À medida que o tempo ia passando e o gol campineiro não saía, os atletas do Guarani começaram a dar sinais de nervosismo, passando a errar passes e não conseguindo criar novas jogadas de ataque.

Somente na marca dos 32 minutos, o time da casa chegou com perigo, através de um arremate venenoso do meia Walter Minhoca, que passou muito perto. Quatro minutos depois, o Bugre inaugurou o marcador, através de um golaço de Cleber Goiano, que recebeu uma bola enfiada por Fabinho pelo meio e fuzilou o goleiro Renato.


Bola no fundo do barbante do Catanduvense no primeiro gol do Guarani. Foto: Orlando Lacanna. 

A marcação do primeiro gol deu um alívio ao Guarani, que passou a jogar com mais tranquilidade e, com isso, chegou ao seu segundo gol, aos 41 minutos, anotado por Fabinho, em jogada que começou com uma saída errada da defesa do Catanduvense. Aos 45 minutos, o Bugre poderia ter aumentado a diferença, numa ótima chance desperdiçada por Ricardo Xavier, mas como o gol não saiu, a primeira etapa foi encerrada com o placar de 2 a 0 a favor do alviverde.


Defesa bugrina cortando cruzamento vindo da direita em cobrança de escanteio. Foto: Orlando Lacanna. 

Na segunda etapa o Guarani voltou mais relaxado, assumindo uma postura mais defensiva e procurando sair em contra-ataque quando recuperava a posse de bola, porém como saía sem velocidade, não conseguia chegar à área adversária. O Catanduvense aproveitou a situação e subiu para o ataque, criando algumas situações que exigiram atenção da defesa bugrina em especial do goleiro Juliano (ex-Votoraty), que praticou ótima defesa, logo no primeiro minuto, segurando firme um arremate de Alekito.


Boa defesa do goleiro Juliano do Guarani no início do segundo tempo. Foto: Orlando Lacanna. 

A partida foi se arrastando sem nenhuma emoção até a marca dos 24 minutos, quando o centro-avante Ricardo Xavier, perdeu um gol inacreditável, desviando para fora, uma bola recebida no interior da pequena área, levando a torcida da casa a ficar na bronca com o atacante.


Oportunidade de ouro desperdiçada por Ricardo Xavier. Foto: Orlando Lacanna. 

Para se ter uma ideia de como a partida vinha rolando na segunda etapa, o goleiro titular do Catanduvense Renato, foi substituído aos 25 minutos, apenas para permitir ao goleiro suplente Lucas jogar alguns minutos. Nove minutos depois da sua entrada, o Guarani marcou o seu terceiro gol, anotado por Ricardo Xavier, em cobrança de pênalti com paradinha.


Terceiro gol do Guarani marcado por Ricardo Xavier cobrando pênalti. Foto: Orlando Lacanna. 

Nos últimos dez minutos quase nada de importante aconteceu, a não ser algumas poucas tentativas ofensivas dos dois times em um ou outro lance, mas sem aquela inspiração, até porque ninguém almejava mais nada na partida e, com isso, o jogo foi encerrado com o placar mostrando Guarani 3 - 0 Catanduvense, que deixou o time campineiro na modesta 14ª colocação com 23 pontos, que convenhamos, é muito pouco para um time da Série A do Brasileirão e que começou a Série A2 do Paulista, como um dos favoritos ao acesso. 

Caso o Guarani tivesse sido derrotado, mesmo assim, se livraria do rebaixamento, pois o concorrente direto, o Osvaldo Cruz, foi derrotado por 3 a 2 pelo América em São José do Rio Preto. Quanto ao Catanduvense, a sua campanha também não foi das melhores, pois acabou na 12ª colocação com 25 pontos.

Tão logo a partida foi encerrada, boa parte da torcida presente (1.773 pagantes), passou a apupar os atletas que deixavam o gramado, bem como protestou muito contra a Diretoria, exigindo mudanças imediatas para encarar o Brasileirão, que começará no início de maio. 

Tudo terminado e mais uma viagem com destino a São Paulo, visando aproveitar o resto do domingão ao lado de familiares e acompanhar a transmissão, ao vivo, do clássico "Majestoso". Foi isso.

Abraços,

Orlando

Nenhum comentário:

Postar um comentário