Procure no JP

quinta-feira, 4 de março de 2010

Guaratinguetá vence fora de casa e melhora sua posição na Série A2

Olá,

Seguindo com a cobertura do Campeonato Paulista da Série A2, na última quarta-feira, foi realizada a décima terceira rodada da primeira fase e, mais uma vez, o JOGOS PERDIDOS marcou presença, comparecendo em dois jogos dessa rodada, cabendo a mim acompanhar, na vizinha cidade de Guarulhos, o confronto entre a A.A.Flamengo contra o Guaratinguetá F.L., realizado no Estádio Antônio Soares de Oliveira

Como a competição está afunilando, pois faltavam sete rodadas, a luta pelos três pontos fica ainda mais acirrada, uma vez que as equipes que bobearem, poderão ficar de fora da segunda fase. Além disso, há aquelas que estão na parte de baixo da classificação e, se não reagirem, correm sério risco de serem rebaixadas à Série A3, sendo que nesse contexto, as duas equipes entraram em campo com objetivos bem definidos e distintos. 

Enquanto o time da casa iniciava a rodada na 19ª posição com 9 pontos, lutando para fugir da degola, o time visitante queria dar mais um passo em busca de uma das vagas à próxima fase, tentando melhorar a sua posição na classificação, que no início da rodada, era 6ª colocação com 20 pontos. A partida tinha tudo para ser arduamente disputada e agradar aos 216 pagantes presentes.

Por conta das dificuldades normais de trânsito para chegar até Guarulhos, cheguei meio em cima da hora e fui direto para o interior do gramado para anotar as escalações dos dois times, bem como ajeitar o esquema para as tradicionais fotos, as quais apresento abaixo, sendo mais uma vez feitas com exclusividade.


A.A. Flamengo - Guarulhos/SP. Foto: Orlando Lacanna.


Guaratinguetá F.L. - Guaratinguetá/SP. Foto: Orlando Lacanna.


Quarteto de arbitragem com o árbitro Guilherme Carlos da Silva, os assistentes Adailton Alberto de Souza e Marcelo Sanches Moreno e o quarto árbitro David Ricardo Mioto junto com os capitães das equipes. Foto: Orlando Lacanna.

Enquanto permaneci no gramado aguardando a entrada das equipes, observei que o céu estava com cara de poucos amigos, sinalizando que viria muita chuva e, não deu outra, uma vez que a água começou a desabar justamente no momento em que os times e os árbitros entravam em campo. Como estava sem guarda-chuva, contei com a colaboração de um dos integrantes da comissão antidopagem, que acabou me emprestando o seu. Tão logo concluí a sessão de fotos, devolvi o guarda-chuva e me mandei para as cabines de imprensa para acompanhar a partida lá de cima. Não foi fácil conseguir um lugarzinho, mas, mesmo assim deu para fazer as fotos do jogo. 

Com a chuva caindo, a partida foi iniciada com o Flamengo mostrando muita disposição, impondo o seu ritmo e pressionando o adversádio no seu campo de defesa. Apesar de manter a bola no seu campo de ataque, o time de Guarulhos apresentava dificuldades para criar jogadas mais agudas, por conta do bom desempenho da defesa do Guaratinguetá. O primeiro bom momento, foi criado pelos visitantes, aos 17 minutos, quando o lateral Fábio Silva cobrou um falta com veneno, assustando o goleiro Paulão, que viu a bola passar muito perto do travessão da sua meta.


Bola passando por cima do travessão em cobrança de falta por Fábio Silva. Foto: Orlando Lacanna.

Mesmo com a boa atuação da defesa do Guaratinguetá, o Flamengo continuou insistindo no ataque, até que, aos 23 minutos, chegou ao seu primeiro gol, numa bonita enfiada de bola de Clayton para Ronaldo, pela meia direita, que invadiu a área e bateu com categoria, mandando a bola para o fundo da rede da meta guarnecida por Jaílson.


Ronaldo invadindo a área e marcando o primeiro gol do Flamengo. Foto: Orlando Lacanna. 

Em vantagem no marcador, o Flamengo continuou tendo mais presença na partida, com destaque ao seu novo meio-campista Piovesan (ex-PAEC e Guarani), que tocava a bola com refinamento, criando algumas jogadas que permitiam aos avantes rubro-negros, chegarem com perigo junto à área adversária, como aconteceu aos 26, 29 e 38 minutos, em lances que terminaram com conclusões de Luiz Carlos, Clayton e Rodrigo Lopes, que levaram perigo, mas não resultaram em gols.

Nos últimos cinco minutos, o Guaratinguetá passou a forçar o ataque e, aos 40 minutos, conseguiu a igualdade no placar, através de um gol anotado pelo lateral Renato Peixe (ex-São Bernardo), em jogada que nasceu pelo lado direito do ataque. Esse gol provocou um baque no Flamengo que ficou meio perdidos na partida, tanto que, três minutos após, o Guaratinguetá saltou à frente no marcador, agora com um gol anotado por Allan, num arremate desferido da entrada da área, com a bola fazendo uma curva incrível, deixando o goleiro Paulão na saudade.


Renato Peixe marcando o gol de empate do Guaratinguetá. Foto: Orlando Lacanna.


Agora, Allan mandando uma bomba e marcando o gol da virada dos visitantes. Foto: Orlando Lacanna. 

Assumindo a vantagem no placar, o Guaratinguetá cadenciou o ritmo da partida, aguardando o término da primeira etapa, levando para o intervalo, a vantagem de 2 a 1, num jogo em que o Flamengo foi melhor em quase todo o tempo, porém falhou em algumas conclusões e acabou se perdendo ao sofrer o empate, enquanto o Guaratinguetá foi mais objetivo. Restava aguardar o poder de reação do time de Guarulhos ao longo do tempo final. 

Durante o intervalo permaneci na cabine, uma vez que a chuva não parava e, de lá, vi um início de segundo tempo com o Flamengo mantendo a mesma pegada da etapa inicial e saindo para o ataque, sendo que, logo aos 3 minutos, criou uma ótima oportunidade, mas, mais uma vez, a conclusão foi falha, agora através de Ronaldo. Como o Guaratinguetá é uma equipe experiente e bem armada, não desperdiçou a oportunidade surgida aos 11 minutos, quando o artilheiro da equipe, Lúcio Flávio, marcou o terceiro gol do seu time e o nono seu na competição, concluindo com perfeição um passe rasteiro vindo da direita. 


Terceiro gol do Guaratinguetá marcado pelo artilheiro Lúcio Flávio. Foto: Orlando Lacanna.

Com a desvantagem de dois gols no placar, o Flamengo não tinha outra alternativa a não ser tentar diminuir a diferença, mesmo com alguns de seus atletas apresentando queda de rendimento, como foi o caso de Piovesan, mas, ainda sim, chegou com perigo, aos 16 minutos, por intermédio de Clayton, porém, para variar, a conclusão não foi legal. Para piorar as coisas para o Flamengo, o seu camisa 11 Luiz Carlos, recebeu cartão vermelho direto por ter ofendido o árbitro. 

Se com 11 já estava difícil, imaginem com 10, mas, como o futebol é uma caixinha de surpresas (essa é nova, hein?), o Flamengo conseguiu marcar o seu segundo gol, aos 31 minutos, através de Rodrigo Lopes, numa jogada em que o goleiro Jaílson foi infeliz no lance.


Jogada de ataque do Flamengo que antecedeu o segundo gol. Foto: Orlando Lacanna. 

Os atletas do Flamengo ensaiaram uma reação, porém nem houve tempo para ameaçar a vantagem dos visitantes, pois três minutos após a marcação do segundo gol, surgiu o quarto tento do Guaratinguetá, marcado por Leandro Fonseca, numa penetração pelo meio, que acabou num arremate por cobertura, encobrindo o goleiro Paulão.


Bola no fundo do gol e Leandro Fonseca saindo para comemorar com a galera. Foto: Orlando Lacanna.

Nos últimos dez minutos, o ritmo da partida caiu, uma vez que o Guaratinguetá passou a cadenciar as jogadas e fazendo o tempo passar, enquanto o Flamengo já não tinha mais mais forças para tirar a diferença. 

Dessa forma, o árbitro encerrou o jogo com o placar registrando Flamengo 2 - 4 Guaratinguetá, que melhorou a posição do time visitante na tábua de classificação, agora com 23 pontos no 4º lugar, enquanto o time de Guarulhos permaneceu na penúltima (19ª) colocação com os mesmos 9 pontos, se firmando como um dos candidatos ao rebaixamento, mas como ainda restam 18 pontos a serem disputados e o elenco foi reforçado, ainda há condições de recuperação.

Jogo encerrado e volta imediata para Capital, enfrentando mais uma vez as costumeiras dificuldades no trânsito na Via Dutra e Marginal, por conta das obras e da chuva, mas no fim deu tudo certo. Foi isso.

Abraços,

Orlando

Nenhum comentário:

Postar um comentário