Procure no JP

sexta-feira, 29 de junho de 2007

Efemérides Futebolísticas: 29 de junho

Opa,

Hje é dia das tradicionais EFEMÉRIDES FUTEBOLÍSTICAS aqui no JP. Sempre fornecidas pelo Denis Haddad, elas nos contam um pouco da história do futebol pelo Brasil e pelo mundo. E hoje, fechando o mês de junho, temos eventos dos dias 28, 29 e 30. Vamos começar com eventos futebolísticos de 28 e 30 de junho ao longo da História:

- 28 de junho de 1958 - sábado à tarde - Campeonato Paulista da Primeira Divisão - Parque São Jorge - Comercial, da Capital, 2 x Nacional 0. Na mesma data, em disputa pelo terceiro lugar da Copa do Mundo, em Estocolmo, França 6 x Alemanha Ocidental 3, com 32.643 pagantes.
- 28 de junho de 1959 - domingo - Campeonato Paulista da Primeira Divisão de Profissionais - Vila Belmiro - Jabaquara 1 x Ponte Preta 0.
- 28 de junho de 1986 - sábado pela manhã - Campeonato Paulista da Primeira Divisão - Estádio Ismael de Biasi, em Novo Horizonte - Novorizontino 0 x Palmeiras 3, com 6.727 pagantes.
- 30 de junho de 1940 - domingo - Campeonato Paulista - Parque São Jorge - Corinthians 7 x Comercial, da Capital, 0. Na mesma data e pelo mesmo campeonato, em Vila Belmiro, Santos 8 x Juventus 1.
- 30 de junho de 1957 - domingo - Campeonato Paulista da Terceira Divisão de Profissionais - em Ipauçu - Ipauçuense 7 x União Ferroviária Anastaciana, de Santo Anastácio, 2.
- 30 de junho de 1999 - quarta-feira - Estádio Espanha - Campeonato Paulista da Série B-1A - Jabaquara 2 x XV de Novembro, de Caraguatatuba, 1. Essa foi a primeira vitória do Jabaquara na competição, após 11 rodadas. Na mesma data, pela Copa América, em Ciudad del Este, no Paraguai, Brasil 7 x Venezuela 0.
- 30 de junho de 2002 - domingo - amistoso - em Thimphu, capitão do Butão - Butão 4 x Montserrat 0. Na mesma data, pela final da Copa do Mundo, em Yokohama, no Japão, Brasil 2 x Alemanha 0, com 69.029 espectadores.

E agora, eventos futebolísticos de 29 de junho:

- 29 de junho de 1901 - sábado - Campeonato Argentino da Primeira Divisão - em Buenos Aires - Belgrano Athletic 8 x Quilmes 2.
- 29 de junho de 1902 - domingo - Campeonato Argentino da Primeira Divisão - Barracas Athletic 1 x Alumni 8.
- 29 de junho de 1911 - quinta-feira - Campeonato Paulista - Velódromo - Americano 2 x Paulistano 1.
- 29 de junho de 1919 - domingo - Campeonato Carioca da Primeira Divisão - Rua Figueira de Melo - São Cristóvão 11 x Mangueira 1, a maior goleada aplicada pela equipe "cadete" em jogos da categoria principal.
- 29 de junho de 1933 - quinta-feira - Eliminatórias para a Copa do Mundo de 1934 - em Kaunas, capital da Lituânia - Lituânia 0 x Suécia 2.
- 29 de junho de 1941 - domingo - Campeonato Paulista - Estádio Prof.Nami Jafet, na Rua dos Sorocabanos - Ipiranga 5 x Portuguesa de Desportos 2.
- 29 de junho de 1958 - domingo - final da Copa do Mundo - Estádio Solna, em Estocolmo - Suécia 2 x Brasil 5, com 49.737 espectadores.
- 29 de junho de 1966 - quarta-feira - Campeonato Cearense - em Fortaleza - Ceará 3 x Nacional 0.
- 29 de junho de 1967 - quinta-feira à tarde - Campeonato Paulista da Primeira Divisão de Profissionais (divisão de acesso) - Estádio Nicolau Alayon - Nacional 4 x Saad 0.
- 29 de junho de 1974 - sábado à tarde - Campeonato Brasileiro - Pacaembu - Santos 1 x Coritiba 0, com 3.351 pagantes.
- 29 de junho de 1986 - domingo - Final da Copa do Mundo - Estádio Azteca, na Cidade do México - Argentina 3 x Alemanha Ocidental 2, com arbitragem do brasileiro Romualdo Arpi Filho.
- 29 de junho de 1997 - domingo - Final da Copa América - em La Paz - Bolívia 1 x Brasila 3, com 43.753 espectadores.
- 29 de junho de 2002 - sábado - Campeonato Estadual da Segunda Divisão do Rio de Janeiro - estádio do Céres - Céres 6 x Campo Grande 2.
- 29 de junho de 2003 - domingo pela manhã - Copa F.P.F. - Morumbi - São Paulo "B" 3 x Rio Claro 1, com 216 pagantes.

E por enquanto foi só... semana que vem tem mais!

Abraços

Fernando

quarta-feira, 27 de junho de 2007

Bela vitória rubro-verde na Série B

Opa,

Mudando o foco da Segundona Paulista, na última terça-feira tivemos rodada noturna do Campeonato Brasileiro da Série B no Canindé. Em campo, as equipes da Portuguesa e do Vitória se enfrentaram pela sétima rodada do campeonato. A Portuguesa buscando reafirmar seu bom momento depois de ganhar fora do São Caetano e o Vitória buscando se manter na ponta de cima da tabela. Junto comigo, o Jurandyr curtiu o jogo.

Mas logo ao chegar no Canindé, vi que uma verdadeira palhaçada estava rolando. Desde algumas ruas antes do estádio, cambistas vendiam os ingressos meia-entrada em maços, circulando livremente por ali. Ao chegar então nas bilheterias vi enormes filas para o pessoal comprar ingresso. E todos, repito, TODOS os ingressos de meia-entrada haviam se esgotado. isso com várias pessoas de carteirinha na mão e os bilheteiros lavando as mãos, num ato extremamente ridículo, penalizando os torcedores da Lusa.

E quem imagina isso pode achar que o estádio recebu um público de 15 a 20 mil pessoas, certo? Errado! O público pagante foi de 2.741 torcedores, o que mostra que a diretoria e bilheteiros da Portuguesa estão realmente de brincadeira mais uma vez. Falta de fiscalização e muita bagunça já são comuns em vendas de ingresso no Canindé, mas assim já é demais!

Bom, depois de acompanhar a palhaçada lá fora, entrei no jogo e vi uma partida muito boa. A Portuguesa começou o jogo tentando mostrar que a virada no ABC não foi fruto do acaso, e tinha mais posse de bola. Mas criava pouco, e nessas poucas chances o ataque não funcionou. No contra-ataque, o Vitória até tentou algo, mas parou nas defesas do goleiro Tiago e na falta de sorte dos atacantes baianos.


Escanteio para Portuguesa no começo do segundo tempo. Foto: Fernando Martinez.

No segundo tempo, a Portuguesa deixou claro como seria a tônica do jogo: ataque 100%. E isso se acentuou quando o Vitória perdeu um jogador expulso no começo dos 45 minutos finais. A Portuguesa então passou a fazer um jogo de ataque contra defesa. Pena que os atacantes lusitanos não estavam inspirados, e o time cansou de perder chances incríveis.


Ataque da Portuguesa no segundo tempo. Foto: Fernando Martinez.

A torcida então pegou no pé do jogador Rivaldo. O camisa 9 perdeu gol até sem goleiro e irritou todo mundo que estava no Canindé, mas aos 22 minutos a torcida fez a festa, uma vez que depois de um chute de longe do mesmo Rivaldo, o goleiro rebateu e o jogador Vaguinho marcou com categoria. Portuguesa finalmente com a vantagem no placar.


Zaga do Vitória tenta afastar o perigo. Foto: Fernando Martinez.

E durante o resto do jogo, a Portuguesa continuou perdendo várias chances de ampliar o placar e ficar tranquila no jogo. O Vitória levou algum perigo nos contra-ataques, mas o dia era mesmo do time rubro-verde. Final de partida: Portuguesa 1-0 Vitória. Belo resultado para o time do Canindé, que se afasta da zona do rebaixamento e chega perto dos líderes.

Depois do jogo foi a vez de curtir um bom sono... sem me preocupar com mais nada...

Até mais

Fernando

Goleada histórica do Joseense

Olá, amigos!

Neste último domingo viajei à simpática cidade de Jacareí, para acompanhar o Derby do Vale, entre Jacareí A.C. e C.A. Joseense, pela 12ª rodada da primeira fase do Campeonato Paulista da Segunda Divisão. O palco do belo espetáculo que assisti foi o maravilhoso Estádio Stavros Papadopoulos. Agradeço à calorosa recepção que tive, e apresento as fotos oficiais da partida:


Jacareí A.C. - Jacareí / SP. Foto: Estevan Mazzuia.


C.A. Joseense - São José dos Campos / SP. Foto: Estevan Mazzuia.


Quarteto de arbitragem comandado por Leonardo Vinicius Pereira, seus assistentes Mateus Camolesi e Leonardo Ferreira Alves, além do 4º árbitro Leomar Oliveira Neves junto com os capitães das equipes. Foto: Estevan Mazzuia.

O jogo começou muito movimentado e disputado. Enquanto o time da casa, eliminado, colocou seu time sub-20 em campo, visando a disputa do campeonato da categoria, o Joseense teve força máxima, pois ainda mantinha chances matemáticas de classificação.


Disputa de bola no primeiro tempo. Foto: Estevan Mazzuia.

Os visitantes tinham leve domínio quando, aos 18 minutos, Mauro chutou na trave do goleiro Fernando. Na sequencia do lace, Cléber bateu o braço na bola dentro da área, e foi expulso. Na cobrança da penalidade máxima, Lê abriu o placar para o JAC.


Detalhe do primeiro gol da partida. Foto: Estevan Mazzuia.

Gradativamente, apesar da desvantagem no número de atletas, os visitantes retomaram o domínio da partida e viraram o placar ainda na primeira etapa: aos 34 minutos, Thiago cruzou rasteiro da direita para Robinho, já caindo, desviar do goleiro Renato e empatar e; aos 47 minutos, foi a vez de Robinho presentear Éder com um cruzamento da esquerda. Com a cabeça, o centroavante definiu o placar da primeira etapa em 2a1 para os visitantes, para tristeza da pequena torcida presente.


Detalhe do gol de empate marcado por Robinho. Foto: Estevan Mazzuia.

Na volta para o segundo tempo, o Jacaré foi pra cima do Tigre, e Guel quase empatou de cabeça logo aos dois minutos, após cobrança de escanteio. Mas aos 7 minutos, veio o balde de água fria: Robinho cruzou da direita, para Éder ampliar, tocando tranquilo para o fundo das redes. Quatro minutos depois, o JAC perde duas incríveis chances de diminuir, em uma delas o goleiro Fernando, já caído no chão, conseguiu uma defesa à queima-roupa! Logo depois, Gabriel cobrou uma falta da direita; a bola pingou, atravessou a área, e enganou Fernando, sem bater em ninguém. O JAC estava novamente vivo no jogo.


Tentativa de empate do Jacareí no segundo tempo. Foto: Estevan Mazzuia.

Aos 18 minutos, Thiagoi Martins perdeu uma boa chance de ampliar para os visitantes, tocando fraco no contra-pé de Renato, mas a bola passou à esquerda do gol. Aos 20 minutos, o capitão da equipe local foi expulso mas, assim como já havia ocorrido com os visitantes, o número menor de jogadores favoreceu a equipoe, que empatou a partida aos 35 minutos: após cobrança de escanteio, e bate-rebate na área, fernando dá um daqueles chutes de olho fechado, bem forte, a bola sai batendo em todo mundo e na trave, antes de entrar.

O placar era até justo pelo conjunto da partida, mas nos 10 minutos finais brilhou com muita força a estrela da dupla de ataque joseense, Robinho e Éder. Aos 36 minutos, Éder recebeu um cruzamento da direita e cabeceou para desempatar a partida.


Éder faz 4 a 3 para o Joseense. Foto: Estevan Mazzuia.

O gol matou o jacaré. Sem esboçar reação, o time passou a assistir um show da dupla nos 5 minutos finais, com mais 3 gols: Aos 40, Éder cruzou da esquerda, Robinho fez o corta-luz e Djair aproveitou pra fazer 5x3. Aos 43, mais um contra-ataque joseense, a defesa parou e Robinho bateu forte, com tranquilidade, pra fazer 6a3. aos 45, Éder fechou o placar, com seu quarto gol na partida.


Éder faz seu quarto gol no jogo dando números finais e espetaculares à partida. Foto: Estevan Mazzuia.

Fim de jogo: Jacareí 3-7 Joseense. Placar que em nenhuma hipótese reflete o que foi o jogo, mas mantém acesas as parcas esperanças do Tigre se classificar para a fase seguinte. Na volta para São Paulo, aproveitei pra conhecer a simpática cidade de Santa Isabel, mas foi só. O cansaço decorrente da epopéia de sábado impediu-me de alçar vôos maiores nesse domingo!

Até a próxima!!!

Estevan

terça-feira, 26 de junho de 2007

Vitória do Falcão do Vale sobre o Azulão em Assis

Olá,

Depois de curtir uma bela festança em Cândido Mota, no domingo pela manhã fui até Assis, no Estádio Antônio Viana da Silva, também chamado de "Tonicão" para acompanhar ao clássico da região CA Assisense x EC Paraguaçuense, válido pela antepenúltima rodada da primeira fase do Campeonato Paulista da Segunda Divisão. Dada a má colocação das duas equipes no campeonato, apesar de ser um clássico, a partida não atraiu muito público.

Era voz corrente no estádio que o Assisense ainda não perdeu as esperanças de obter a classificação para a próxima fase, pois segundo comentam, a Ranchariense poderia desistir de disputar a segunda fase, pois não teria recursos financeiros para custear as próximas viagens. Sinceramente não acredito nessa hipótese, uma vez que vi no sábado em Rancharia um time e um público muito entusiasmados, não dando qualquer sinal de possível desistência. E como de hábito apresento os artistas do espetáculo nas fotos INÉDITAS abaixo:


CA Assisense - Assis/SP. Foto: Orlando Lacanna.


EC Paraguaçuense - Paraguaçu Paulista/SP. Foto: Orlando Lacanna.


Trio de arbitragem comandado por Alexandre Bigai Miranda, com seus assistentes David Botelho Barbosa e Márcio D'Ávila Tragante e os capitães das duas equipes. Foto: Orlando Lacanna.

A partida nem bem tinha começado e logo no primeiro minuto o Paraguaçuense abriu o placar por intermédio de Bahia. O Assisense não sentiu o golpe e foi com tudo para cima do adversário, conseguindo o gol de empate aos 13 minutos através de Cleber cobrando pênalti.


Pênalti cometido pelo goleiro do Paraguaçuense no atacante adversário. Foto: Orlando Lacanna.


Gol de empate do Assisense em cobrança de pênalti. Foto: Orlando Lacanna.

Quando todos esperavam que o time da casa fosse deslanchar na partida, para surpresa geral, os visitantes marcaram dois gols em apenas oito minutos, sendo o segundo marcado novamente por Bahia, de pênalti, aos 20 minutos e o terceiro, aos 28 minutos marcado por Moraes.


Segundo gol do Paraguaçuense marcado em cobrança de pênalti. Foto: Orlando Lacanna.

Como quase sempre acontece, quando um time visitante está ganhando, o Paraguaçuense recuou demais e permitiu ao Assisense voltar a crescer na partida e marcar o seu segundo gol aos 36 minutos, através de Carlinhos, fechando o primeiro tempo com o placar em 3 a 2 para o time de Paraguaçu Paulista.


Disputa de bola acirrada. Foto: Orlando Lacanna.

No segundo tempo deu para notar, logo de cara a queda de rendimento dos visitantes que praticamente não conseguiram mais atacar e, com isso o Assisense tomou conta do jogo e, aos 26 minutos, Rafael empatou a partida para logo em seguida, aos 28 minutos o zagueiro Pompéia marcar o quarto gol da sua equipe, colocando pela primeira vez o time de Assis em vantagem no marcador.


Terceiro gol do Assisense. Foto: Orlando Lacanna.

Depois desse gol o ritmo da partida caiu muito, talvez em razão do forte calor que fazia por volta do meio dia, com o Assisense administrando a vantagem e o Paraguaçuense não tendo forças para tentar o empate.

Final de partida com o placar de Assisense 4-3 Paraguaçuense que nada muda na tabela de classificação, pois as duas equipes já estão eliminadas, apesar de ter sido um jogo apenas para cumprimento de tabela, foi muito agradável de ser assistido, com várias alternâncias no placar e muita garra apresentada pelos atletas. Após o apito final do árbitro voltei para a Chácara Nova Esperança no município de Cândido Mota, para saborear um autêntico almoço caipira, já me despedindo da região, pois o retorno para São Paulo já estava próximo.

Abraços,

Orlando

Grande vitória do Campinas sobre o Guaçuano

Opa,

Nesse último domingo tivemos pouquíssimos jogos perto de São Paulo, então tivemos que nos dividir em alguma equipes de reportagens para algumas viagens pelo interior. A minha caravana - eu sozinho - seguiu até a cidade de Campinas, para mais um jogo do nosso querido Campeonato Paulista da Segunda Divisão. A pedida foi chegar até o Cerecamp, antigo Estádio do Mogiana, para o jogo entre Campinas e Guaçuano.

Mesmo com alguns poréns na logística da viagem - como o ônibus que me levou até Campinas ter atrasado um pouco - cheguei em cima da pinta para as fotos oficiais do jogo:


Campinas FC - Campinas/SP. Foto: Fernando Martinez.


CA Guaçuano - Mogi-Guaçu/SP. Foto: Fernando Martinez.


Os capitães dos times junto com o árbitro Thiago Peixoto e os auxiliares Manoel de Andrade Filho e Itamar Antonelli. Foto: Fernando Martinez.

Como estava sozinho, liguei meu mp3 e fui tirar as fotos acompanhando o ataque do Campinas no primeiro tempo. E antes do primeiro minuto a torcida campineira já fez a festa no Cerecamp. Depois de cobrança de escanteio, a zaga do Guaçuano não afastou e a bola sobrou livre para o jogador Marcão abrir o placar. Campinas 1 a 0.


A bola no fundo das redes do gol dos visitantes logo no começo de jogo. Foto: Fernando Martinez.

O Campinas dominou o jogo durante boa parte do primeiro tempo. O time chegava com facilidade dentro da área do Guaçuano e a partir daí o goleiro Novaes começou a mostrar que estava num dia inspirado, fazendo defesa importantes. Só depois dos trinta minutos o time verde passou a assustar um pouco.


Cruzamento do Campinas que levou bastante perigo. Foto: Fernando Martinez.

O Guaçuano então teve a grande chance do empate com uma cabeçada na trave. E no final dos primeiros 45 minutos, o jogo estava equlibrado e prometia bastante para o segundo tempo. No intervalo tentei curtir um bom pastel do local, mas a muvuca era tremenda... fiquei na vontade!

Então o jogo no seu segundo tempo começou com o Guaçuano pressionando bastante em busca do empate. Empate que deixaria o time com grandes chances de garantir a vaga à segunda fase na próxima rodada. O time pressionou bastante para o gol, mas o Campinas milagrosamente não deu sopa para o azar.


O goleiro Novaes, do Guaçuano, faz mais uma boa defesa na primeira etapa. Foto: Fernando Martinez.

Num contra-ataque o time do Campinas fez o segundo gol aos 8 minutos. A bola foi lançada para o camisa 9 Dick, que sozinho entrou na área e tocou com categoria. Sem perder tempo, o Guaçuano então marcou o seu primeiro gol aos 9 minutos. Num cruzamento da direita, o time fez o goleiro campineito praticar boa defesa no primeiro lance, mas no segundo a bola sobrou para o camisa 11 Felipe Marques, que chutou com força e fez o primeiro dos visitantes. O jogo prometia bastante, novamente com o Guaçuano buscando o sonhado empate. Mas o time cometeu o pecado de deixar o contra-ataque todo para o onze campineiro.


Grande chance perdida pelo Campinas, com grande intervenção de Novaes. Foto: Fernando Martinez.

Em dois desses contra-ataques, o Campinas fechou a partida com mais dois gols. Aos 22 minutos, o jogador Maranhão foi lançado e tocou na saída do goleiro. O quarto saiu aos 28, depois de cruzamento certeiro para o atacante Dick, que encheu o pé e definiu o placar.


Cruzamento certeiro que originou o quarto gol do Campinas. Foto: Fernando Martinez.

O time da casa poderia ter feito mais, não fossem as grandes intervenções do goleiro Novaes, do alvi-verde. Pelo menos três defesas garantiram o placar final: Campinas 4-1 Guaçuano. O Campinas consegue sua classificação à segunda fase, mesmo tendo ganhado só a sua segunda partida em casa. Já o Mandi ainda tem chances, precisando urgente da vitória no próximo jogo contra o Capivariano.

Depois do jogo então a pedida foi voltar para casa para tentar repor um pouco do sono perdido nos dias anteriores... só na paz!

Até mais

Fernando

segunda-feira, 25 de junho de 2007

Rádio JP: Programa #8

Olá!

Continuando nossa saga radiofônica, eu, o David, o Estevan e o Fernando, com a colaboração do nosso produtor Serginho, gravamos mais um Programa Jogos Perdidos de Rádio. Como sempre foi aquele bate-papo descontraído sobre os campeonatos de acesso pelo Brasil.


Equipe do JP em pose oficial do Programa Jogos Perdidos de rádio. Foto: Serginho.

E vai o toque para quem nunca acessou a Rádio JP poder ouvir o programa: para quem tem banda larga é só clicar no microfone e sair ouvindo, agora para quem tem internet discada, o melhor é clicar com o botão direito do "mouse" e depois clicar "salvar destino como", ou seja, primeiro você baixa o programa inteiro no seu computador e depois ouve. Você pode ainda depois de baixar, ouvir o programa no seu Mp3 Player, ou Ipod.


PARTE 1 PARTE 2

CLIQUE NOS MICROFONES PARA OUVIR!

E amanhã tem o nosso programa na ClicTV, às 11 da manhã, sempre ao vivo, com mais detalhes pitorescos e muita conversa sobre os campeonatos perdidos pelo Brasil. Esperamos a audiência de todos! Quem puder, é só dar uma passadinha por lá.

Abraços!

Emerson

Tupã perde invencibilidade em Rancharia

Olá,

Como faço todo ano no mês de junho, segui para a região de Assis para participar de uma tradicional Festa Junina que é realizada numa chácara de propriedade de familiares. Apesar do clima festivo, o futebol não ficou de fora e, aproveitando a proximidade, no sábado à tarde, rumei até a bela cidade de Rancharia, mais precisamente ao Estádio Francisco Franco para acompanhar ao jogaço AA Ranchariense x Tupã FC, válido pela décima segunda rodada da primeira fase do Campeonato Paulista da Segunda Divisão.

Mesmo com as duas equipes já classificadas matematicamente para a segunda fase, a partida era cercada de expectativa, pois envolvia times que defendiam suas invencibilidades, ou seja, o Tupã tentava se manter sem perder no campeonato e a Ranchariense procurava continuar sem ser derrotada em sua casa. Com todos esses ingredientes o jogo prometia e as duas equipes não decepcionaram o bom público presente.

Para começar apresento os protagonistas da partida nas fotos EXCLUSIVAS abaixo:


AA Ranchariense - Rancharia/SP. Foto:Orlando Lacanna.


Tupã FC - Tupã/SP. Foto: Orlando Lacanna.


Quarteto de arbitragem comandado por Luciano Silva, seus assistente Newton dos Reis Barreira e Marcelo Zemian de Barros, além do quarto árbitro Luciano Monteiro dos Santos com os capitães das duas equipes. Foto Orlando Lacanna.

A partida começou bem disputada com a Ranchariense tomando a iniciativa de jogar mais no campo de ataque visando furar o bloqueio da defesa do Tupã que tem um esquema defensivo bem definido, com zagueiros muito fortes e que não têm vergonha de darem chutões para qualquer lado com o objetivo de eliminar o perigo que possa rondar sua área.


Início de ataque da Ranchariense. Foto: Orlando Lacanna.

Nesse diapasão a Ranchariense mantinha mais tempo a bola em seu poder, porém tinha dificuldade de colocar em perigo a meta do goleiro Anderson do Tupã. Aos 26 minutos, o árbitro marcou pênalti a favor dos visitantes que foi muito contestado pelos donos da casa. O meia Jackson cobrou e o goleiro Pereira praticou excelente defesa, levando a torcida local ao delírio. Depois desse lance, a Ranchariense ganhou mais força e foi com tudo para o campo de ataque e acabou tendo um pênalti marcado a seu favor que foi convertido por Jeferson, aos 43 minutos, levando para o intervalo o placar de 1 a 0 a favor dos anfitriões.


Mais uma tentativa de ataque da Ranchariense. Foto: Orlando Lacanna.


Detalhe do único gol da partida. Foto: Orlando Lacanna.

No segundo tempo, o time da casa voltou mais cauteloso, permitindo ao Tupã maior domínio territorial e com isso boa parte dos lances ocorreu no campo de ataque dos visitantes que criaram algumas oportunidades de gol, mas aí apareceu a estrela do bom goleiro Pereira que numa atuação de gala, praticou pelo menos três defesas espetaculares, impedindo o empate.

A Ranchariense se defendia e quando recuperava a posse de bola saía com rapidez em perigosos contra-ataques, e dessa maneira o jogo ficou emocionante, deixando a torcida presente em estado permanente de suspense, pois o Tupã poderia empatar a qualquer momento, assim como a Ranchariense poderia aumentar a vantagem.


Tentativa de ataque do Tupã no segundo tempo. Foto: Orlando Lacanna.


Defesa do Tupã cercando atacante adversário com o bom público ao fundo. Foto: Orlando Lacanna.

Depois de muita luta por parte das equipes, a partida terminou mesmo com o placar de Ranchariense 1 - 0 Tupã, com os dois times deixando uma boa impressão e enchendo suas torcidas de esperanças quanto às campanhas na próxima fase. Tanto Ranchariense quanto Tupã têm times competitivos e poderão fazer bom papel na segunda fase e, por isso seus futuros adversários que se cuidem.

Faço questão de ressaltar a atenção e o carinho que o pessoal de Rancharia e Tupã dedicaram ao JP, deixando aqui meus agradecimentos a todos e em especial ao técnico Polaco (ex-zagueiro do Corinthians e Palmeiras) da Ranchariense e ao seu irmão Ulisses, responsável pelo Jornal da Ranchariense. Logo após o término do jogo, voltei para Cândido Mota para participar da Festa Junina na Chácara Nova Esperança, com muita comida típica e música sertaneja, mas sem deixar de planejar o jogo que seria acompanhado por mim no domingo cedo, mas isso é assunto para depois.

Abraços,

Orlando

Segundona com empate no Guarujá

Fala pessoal!

Depois do jogo em São Vicente no sábado pela manhã, o seu Natal desistiu da jornada e eu, o Emerson, o Estevan e o David nos vimos sozinhos no centro de São Vicente, com o tempo contado para a segunda partida do dia. Então num percurso táxi-balsa-táxi, chegamos até a bela cidade do Guarujá, para mais um jogo do Campeonato Paulista da Segunda Divisão. No Estádio Antônio Fernandes, a gente foi curtir o jogo entre Guarujá e Barcelona.


Detalhe do mar, visto de dentro da balsa Santos-Guarujá e o David encontrando alguns aerolitos no estádio do Guarujá. Fotos: Fernando Martinez.

Chegamos e já fomos nos informar como entrar no campo para as fotos oficiais do jogo. E mais uma vez conseguimos essas exclusivas fotos.


AD Guarujá - Guarujá/SP. Foto: Fernando Martinez.


Barcelona ECL - São Paulo/SP (mas mandando seus jogos em Ibiúna). Foto: Fernando Martinez.


O árbitro Guilherme Carlos da Silva, os auxiliares Claudson Beggiato e Fábio Aparecido Ribeiro e os capitães dos times posam para o JP. Foto: Fernando Martinez.

Mesmo com a autorização demorando um pouco, ficamos dentro do campo para curtir o jogo. Mesmo com o time da casa em último lugar no Grupo 6 e o Barcelona na sexta colocação, o jogo foi muito movimentado. Até pela vitória do Elosport de manhã, o Barcelona estava animado para conseguir uma vitória que deixaria o time ainda vivo na tábua de classificação. E com o jogo equilibrado quem abriu o placar foi o time paulistano. Aos 19 minutos, em cobrança de pênalti, o jogador Clebinho fez a festa e colocou os visitantes em vantagem.


Primeiro gol do Barcelona, marcado pelo camisa 9 Clebinho. Foto: Fernando Martinez.

Durante todo o resto do primeiro tempo, o jogo foi bom, com chances de gols para as duas equipes. Quem via o jogo não imaginava as posições ruins na tabela. Com tamanho equilíbrio, o jogo foi para o intervalo sem mais alterações no marcador.


Bola disputada na lateral de campo no primeiro tempo de jogo. Foto: Fernando Martinez.

Na volta para o segundo tempo, o Guarujá estava disposto a empatar a partida logo. E conseguiu isso com uma cobrança de falta perfeita do camisa 6, Wagno. Ele bateu com categoria aos 2 minutos e deixou tudo igual no placar. O jogo então seguiu - com o Guarujá em vantagem numérica, depois da expulsão de um jogador do Barça - no mesmo equilíbrio da primeira etapa.


Gol de empate do Guarujá, no comecinho da segunda etapa. Foto: Fernando Martinez.

Conforme o jogo ia chegando ao seu final, os times ainda iam buscando a chance do gol da vitória, mas os goleiros fizeram boa partida, impedindo a vitória para qualquer que fosse a equipe. Os poucos torcedores que foram ao Estádio Antônio Fernandes, foram recompensados com um espetáculo bastante agradável e que não deixou a desejar.


Lance de confusão dentro da área do Barcelona, no segundo tempo. Foto: Fernando Martinez.

Final de jogo: Guarujá 1-1 Barcelona. Resultado que não influi na posição do Guarujá no campeonato, mas que deixa o Barcelona mais longe da vaga para a segunda fase, precisando e uma combinação de resultados para obter sua classificação.


Turma do JP voltando para a hora da janta no Guarujá depois do jogo. Foto: Estevan Mazzuia.

Depois da partida, fizemos o mesmo esquema de balsa para voltar ao Guarujá. Jantamos numa boa pizzaria de lá, jogamos muita conversa fora e voltamos para São Paulo cansados, mas com o dia ganho.

Até mais

Fernando

Fortes emoções em Atibaia pela Segundona

Olá pessoal,

Por motivos profissionais não pude acompanhar a caravana JP em direção a São Vicente no sábado pela manhã, mas a tarde consegui uma folga e fui até Atibaia acompanhar a partida entre o próprio Atibaia contra o Brasilis, realizada no Estádio Municipal Salvador Russani. Ao chegar adentrei no gramado para as tradicionais fotos das equipes posadas e fui muito bem recebido pelo quarteto de arbitragem, valendo destacar a simpatia do árbitro Guilherme Cereta de Lima, que já conhecia o JP e é muito amigo do Orlando, inclusive já o tendo presenteado com uma camisa da A.A. Alumínio.


SC Atibaia - Atibaia/SP. Foto: Victor Minhoto.


Brasilis FC Ltda - Águas de Lindóia/SP. Foto: Victor Minhoto.


Capitães das equipes, árbitro Guilherme Cereta de Lima, auxiliares Marcos Joel Alves e Clarice Ferreira Lima e 4º árbitro Marcio Perondi Mendes. Foto: Victor Minhoto.

Este grupo é o mais equilibrado da competição, sendo que até o início da rodada todas as equipes tinham chance de classificação. Por este motivo a partida apresentava grande expectativa ao público presente. Como já era de se esperar o jogo começou muito disputado com ambas equipes procurando o gol, mas o que se observava desde o início era a defesa do Brasilis bem postada impedindo maiores ameças a sua meta. Já o ataque dos visitantes, aos poucos, ia tomando conta da primeira etapa. Até que aos 14 minutos o volante Bahia deu um chute de longa distância que entrou no canto esquerdo da meta do Atibaia.


Defesa do Brasilis impede qualquer chance do Atibaia durante o 1º tempo. Foto: Victor Minhoto.

Mesmo após o gol a equipe da casa não conseguia furar a defesa do Brasilis, que tinha como destaque o próprio Bahia, autor do gol, que além de proteger bem sua zaga conseguia sair jogando com boa técnica e armando perigosos contra-ataques. O jogo seguiu assim até os instantes finais da primeira etapa, quando em um desses contra-ataques, o zagueiro Vinícius, do Atibaia, fez uma falta por trás nas imediações de sua área e corretamente foi expulso sem mesmo ter cartão amarelo. Esta falta foi cobrada pelo arqueiro Adriano do Brasilis, mas ele apenas acertou a barreira e quase foi surpreendido pelo ataque do Atibaia. Entretanto o primeiro tempo acabou mesmo apenas com um gol.


Atacante do Atibaia comete falta no defensor do Brasilis já durante o 2º tempo. Foto: Victor Minhoto.

Tudo indicava que o segundo tempo seria mais fácil para o Brasilis em razão da vantagem no placar e de um jogador a mais em campo, mas o que aconteceu foi o contrário. Os visitantes desperdiçaram uma chance incrível, cara a cara com o goleiro do Atibaia, de aumentar o placar, sendo que daí em diante a equipe mandante passou a pressionar o adversário com uma postura bem diferente da vista no primeiro tempo.


Mais um ataque perigoso do Atibaia mostra a tônica do 2º tempo da partida. Foto: Victor Minhoto.

Logo aos 10 minutos o meia Nilsinho acertou um chute de longa distância na trave do Brasilis, mas o bola rebateu nas costas do goleiro Adriano e entrou no gol, decretando o empate no marcador. Esse gol deu maior ânimo ao Atibaia, que passou a levar grande perigo a meta adversária. Após muita insistência o árbitro, mais uma vez de forma acertada, assinalou tiro penal em favor do Atibaia após o centroavante ser derrubado dentro da área. Coube a Nilsinho a responsabilidade de cobrar o penalti e ele não decepcionou a torcida, bola num canto, goleiro no outro e a virada no placar em favor do Atibaia.


Bola bate na trave, nas costas do azarado goleiro do Brasilis e entra no gol. Foto: Victor Minhoto.

Esse gol fez com que o Atibaia começasse a administrar o resultado, mas essa atitude acabou dando novas forças ao Brasilis, que chegou a criar boas oportunidades de empatar a partida, mas seu ataque não conseguia concluir de forma correta. O jogo foi se encaminhando para seu final de forma emocionante, mas o resultado se manteve mesmo em Atibaia 2x1 Brasilis. Após o apito final houve grande comemoração da torcida e dos atletas do Atibaia.

Com esse resultado o Atibaia se iguala em pontos com o Brasilis mas fica na frente em razão do saldo de gols e entra definitivamente na briga por uma vaga na sefunda fase.

Até a próxima,

Victor