Procure no JP

segunda-feira, 14 de maio de 2007

JP na Amazônia (parte 2 de 2): Clássico manauara eletrizante

Olá,

Depois de vivenciar uma aventura espetacular em Manacapuru, que foi fechada com chave de ouro numa emocionante travessia noturna do Rio Negro, cheguei de volta a Manaus e segui direto ao belíssimo Estádio Vivaldo Lima, também conhecido como 'Vivaldão', para acompanhar o segundo jogo da semifinal do Campeonato Amazonense da Primeira Divisão. A partida em questão foi o clássico São Raimundo EC x Nacional FC.

Dessa vez, infelizmente, não consegui as tradicionais fotos dos times e dos árbitros, pois quando cheguei ao estádio o jogo já estava rolando há pelo menos cinco minutos. Cheguei tarde graças a muvuca ocorrida em Manacapuru, que retardou minha saída do estádio e aí não teve jeito de evitar o atraso, apesar de todo o esforço. Fica para uma próxima oportunidade.

A partida começou num ritmo eletrizante com as duas equipes jogando para frente e, logo aos 8 minutos, o Nacional abriu o placar por intermédio de Wagner, para em apenas onze minutos sofrer a virada, com o São Raimundo marcando duas vezes aos 17 e 19 minutos através de Lopes e Branco.


Cruzamento perigoso no primeiro tempo na área do São Raimundo. Foto: Orlando Lacanna.


Disputa de bola no meio de campo. Foto: Orlando Lacanna.

Além das alternâncias no placar, o jogo continuava sensacional com jogadas seguidas de tirar o fôlego dos torcedores presentes, tanto que o Naça voltou a ficar em vantagem no placar com gols de Esquerdinha (aquele mesmo que já rodou por várias equipes paulistas) em cobrança de pênalti e Zé Rebite aos 28 e 34 minutos, levando a vantagem de 3 a 2 para o intervalo.


Zagueiro do Nacional isola bola para frente. Foto: Orlando Lacanna.

Com a desvantagem do empate, o Tufão iniciou o segundo tempo pressionando e encurralando o adversário em seu campo de defesa e num descuido do seu sistema defensivo, permitiu a Esquerdinha marcar novamente aos 15 minutos em rápido contra-ataque.


Ataque do Sâo Raimundo pela ponta direita no segundo tempo. Foto: Orlando Lacanna.

O jogo continuou lá e cá e tudo poderia acontecer, até que aos 28 minutos o árbitro marcou outro pênalti, agora a favor do São Raimundo que foi convertido por Lander diminuindo a diferença. Os últimos quinze minutos foram tensos e emocionantes com novas chances sendo criadas e desperdiçadas pelas duas equipes.


Detalhe do 3º gol do São Raimundo marcado em cobrança de pênalti. Foto: Orlando Lacanna.


Chance desperdiçada pelo ataque do São Raimundo. Foto: Orlando Lacanna.

Final de partida com o placar de São Raimundo 3 - 4 Nacional, num dos jogos mais bonitos e eletrizantes que acompanhei nos últimos tempos, e que não poderia faltar uma pequena confusão na saída dos atletas do gramado.


Início de confusão no final da partida. Foto: Orlando Lacanna.

Com esse resultado o Nacional se classificou para a grande final da segunda fase que seria realizada contra o Princesa do Solimões, mas foi suspensa pelo Presidente do TJD local que novamente concedeu Mandado de Garantia ao Rio Negro que apesar de não ter permitido a cobrança de um pênalti contra a sua equipe, ainda tenta no "tapetão" chegar à final. É uma pena que ainda hoje isso aconteça no futebol profissional.


Placar final, observem o detalhe dos nomes dos times. Foto: Orlando Lacanna.

Após o apito final do árbitro, voltei ao hotel para finalmente ter um pouco de descanso, pois no dia seguinte iria voltar a São Paulo, uma vez que eu não acreditei que haveria jogo pela final e eu estava certo. Voltei na hora certa. Foi isso que rolou no Amazonas e até uma próxima aventura.

Abraços,

Orlando

Nenhum comentário:

Postar um comentário