Procure no JP

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Nacional vence Guarani fora de casa!

Olá pessoal,

Pelo título alguns até poderiam imaginar se tratar de um jogo entre os tradicionais Guarani de Campinas e Nacional de São Paulo, mas na verdade, na última quinta-feira a tarde fui assistir o embate entre Guarani de Pouso Alegre e Nacional de Uberaba, válido pelo Campeonato Mineiro da 2ª divisão. Esta é a primeira vez no ano que temos um post deste campeonato, sendo que isso se explica pelo fato do mesmo somente começar no final do ano. Infelizmente é um campeonato de tiro curto, que se fosse mais longo certamente teria mais atenção, principalmente pela quantidade de equipes que não aparecem na "grande mídia".

Vale ainda ressaltar que esse "jogo perdido" foi realizado no Estádio Cel. Erasmo Cabral, na cidade de Santa Rita do Sapucaí, pois o estádio de Pouso Alegre ainda não possui todos os laudos exigidos para sediar uma partida de futebol profissional. Mas antes do jogo vamos as fotos das equipes que são de exclusividade do JP.


Guarani FC - Pouso Alegre/MG. Foto: Victor Minhoto.


Nacional FC - Uberaba/MG. Foto: Victor Minhoto.


Capitães das equipes, árbitro Emerson Almeida Ferreira e assistentes Marley Leite da Silva e Cinthia Mara da Silva (que são mãe e filha). Foto: Victor Minhoto.

Como as duas equipes vinham de derrota na primeira rodada, o "grande" público de 22 pagantes estava animado com a possibilidade dos dois quadros entrarem em campo com o objetivo da vitória. Até que isso aconteceu, e os dois lados apresentaram muita vontade, porém a técnica ficou um pouco de lado. O que se via era muita briga no meio de campo e o Guarani tentando chegar a seu gol por meio de cruzamentos pouco eficientes.

Como o Nacional se mostrava levemente superior nos quesitos técnica e tática, em um bom contra-golpe aos 9 minutos do primeiro tempo, o camisa 10 Ratinho recebeu um belo passe da direita que deixou o goleiro adversário vendido, e apenas teve o trabalho de tocar para o fundo da meta verde e abrir o placar em favor da quadro alvinegro.


Dura disputa de bola na 1ª etapa. Foto: Victor Minhoto.

Esse gol deixou a equipe do triângulo mineiro mais a vontade na partida, já os locais começaram a demonstrar um certo nervosismo e, com isso, buscavam o empate na base de longos lançamentos e "chuveirinhos" que apenas serviam para consagrar a defesa adversária. Assim, sem maiores emoções, transcorreu todo o primeiro tempo.


Equipes prontas para o início do 2º tempo com o pequeno público ao fundo. Foto: Victor Minhoto.

No intervalo, devido ao grande calor saí de dentro do campo e fui me acomodar na arquibancada, mas antes passei pelo bar e pedi um refrigerante e um pastel, mas para minha surpresa o "pastel" nada mais era senão um empanado de carne. Ainda tentei argumentar com a responsável legal pelo estabelecimento, porém a mesma não demonstrou nenhum conhecimento técnico do conceito de pastel, mas como a fome estava apertando acabei fazendo um acordo extra-judicial e fui me acomodar para acompanhar a segunda etapa.


A equipe alvinegra começou a 2ª etapa pressionando o adversário. Foto: Victor Minhoto.

O segundo tempo se iniciou com o Nacional melhor em campo e levando perigo a meta adversária. Como se via, o segundo gol era questão de tempo, e veio aos 15 minutos. Em outro contra-ataque bem articulado o zagueiro Ricardo Brito, camisa 3 do Guarani, fez uma falta por trás nas proximidades de sua área, o resultado foi sua expulsão. Marcelo, o outro camisa 3, agora do Nacional, cobrou a falta com muita categoria e colocou a bola no canto esquerdo baixo da meta dos locais, estava decretado o segundo gol no placar.


Em bela cobrança de falta Marcelo faz o segundo gol do Nacional. Foto: Victor Minhoto.

Após esse momento imaginei que os visitantes poderiam até mesmo chegar a uma goleada, mas a verdade é que a equipe se acomodou, e essa atitude teve um preço. Aos 25 minutos, depois de um cruzamento despretensioso, a zaga do triângulo permitiu que o camisa 18 do Guarani, Ricardo Batista, subisse sozinho e escorasse a bola para o gol, diminuindo o marcador.


Em mais uma boa oportunidade, o ataque do Nacional cabeceia a bola rente a trave adversária. Foto: Victor Minhoto.

A partir desse momento o que se viu foi uma injeção de ânimo na equipe do Sul de Minas, é bem verdade que na base da raça, mas esse empenho quase foi premiado com o empate. Aos 36 minutos Kelson, camisa 4 do Nacional, fez uma falta violenta na entrada de sua área, o que causou sua expulsão. Na cobrança, o arqueiro alvinegro rebateu a bola para cima e o centroavante do Guarani, mesmo livre de marcação e com o gol aberto, escorou a bola para fora, desperdiçando a melhor oportunidade de empatar a partida.

A partir desse momento nada mais de importante aconteceu e o jogo terminou mesmo em Guarani 1x2 Nacional. Apesar das equipes não apresentarem um grande futebol na parte técnica e tática, talvez pelo fato do campeonato estar apenas começando, a partida valeu pelo empenho das equipes.

Até a próxima,

Victor

Nenhum comentário:

Postar um comentário