Procure no JP

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Argentinos Juniors surpreende e derrota o Palmeiras pela Sul-Americana

Fala pessoal!

Depois do brilhante post do nosso amigo The Watcher, agora segue a segunda partida que o JP acompanhou na última quarta-feira. Mas não foi um jogo nada perdido, e sim a chance de ver um genial time que raramente dá as caras na cidade de São Paulo. O torneio em questão foi a Copa Sul-Americana, e após uma sessão no dentista corri para o Estádio Palestra Itália para o jogo entre Palmeiras e a genial Associación Atletica Argentinos Juniors.

O time argentino foi campeão da Libertadores em 1985, e na primeira fase daquele ano ainda teve a companhia do não menos fantástico Ferrocarril Oeste no seu grupo (em tempo, os dois jogaram contra Fluminense e Vasco na primeira fase daquele ano). Desde então passei a curtir o time, e poder vê-lo ao vivo era simplesmente uma chance de ouro.

Cheguei no Palestra e logo vi um bom público para um jogo "desinteressante" para imprensa e para o próprio clube. Ainda batemos na tecla que é um absurdo o desdém com que os times brasileiros tratam a Copa. Título é título, e acho que um clube de futebol vive deles, não é mesmo? O pior é a imprensa e os times fazerem uma "luta" para que o time entre na zona de classicifação para a Sul-Americana num ano e simplesmente desistirem dela no ano seguinte. Melhor nem jogar...


Ataque do Argentinos Juniors no começo da segunda etapa. Foto: Fernando Martinez.

Quando o jogo estava para começar, o Emerson (que fazia contato comigo pelo celular) viu uma cena que não conseguimos ver direito lá no estádio. Todos os atletas do time argentino entraram com flâmulas. Isso mesmo, os onze jogadores tinham flâmulas para, na cabeça deles, trocarem com os jogadores alviverdes. Mas obviamente isso não acontece mais aqui, e depois de alguns minutos sem saber o que fazer com aquilo nas mãos, os jogadores colocaram as flâmulas num saco fornecido por um membro da comissão técnica do time vermelho. Ou seja, algo bem deselegante.

Bom, voltando ao jogo, ele começou e logo encontrei o Jurandyr , membro-zumbi do JP, nas alamedas do Parque. Junto com ele os amigos Mílton e Fernando Correia estavam lá matando a esquadra argentina. De um bom lugar nas arquibancadas do Palestra vimos um jogo um tanto quanto modorrento no primeiro tempo. A melhor chance de gol, e como todos devem ter visto, foi do Palmeiras num gol que não foi validado. Após cobrança de falta, a bola bateu na trave, quicou dentro do gol, voltou para a pequena área para mais uma vez bater na trave após cabeçada. Do outro lado do estádio tivemos a impressão de gol. Imaginem para quem estava perto...


Detalhe da cobrança de falta que seria do primeiro gol palmeirense, caso o árbitro tivesse sido mais atento. Foto: Fernando Martinez.

Mas o jogo não estava bom, e aproveitamos para colocar a conversa em dia. Ligados na Série C e nos grupos da 40ª Copa São Paulo (muita coisa boa vem por aí), passamos os 45 minutos iniciais viajando como só nós conseguimos viajar. No intervalo ia beber algo em virtude do grande calor na cidade de São Paulo. Mas pagar 4 pilas num copo de refrigerante, e ainda por cima sem gás, não tem cabimento. O jeito foi ficar na sede mesmo, já pensando nas barraquinhas na porta do estádio no final de jogo.


Detalhe do jogo entre Palmeiras x Argentinos Juniors, que aconteceu pela primeira vez na história dos clubes. Foto: Fernando Martinez.

Veio então o segundo tempo, muito mais animado do que a primeira etapa. Aos 12 minutos, o confuso árbitro colombiano deu pênalti para o time da casa. Com uma paradinha monstro, Diego Souza marcou mas o juiz anulou e ainda deu cartão para o jogador. Na segunda cobrança, eu e o Jurandyr profetizamos e o goleiro fez a defesa. Não antes sem voar uns 5 metros para conseguir chegar na bola. Mais uma pisada do juiz da Colômbia. E logo depois, aos 21 minutos, o time argentino marcou seu gol com o jogador Escudero. Ele ainda foi fazer uma graça em cima de uma escavadeira atrás do gol, deixando o pessoal cabreiraço nas arquibancadas.


Pênalti defendido pelo goleiro argentino. Mas ele adiantou MUUUITO. Foto: Fernando Martinez.


Jogador palmeirense caído e a zaga argentina aliviando. Foto: Fernando Martinez.

O Palmeiras então sentiu o gol e não conseguiu mais criar nenhuma chance efetiva. Ainda teve dois jogadores expulsos em bobagens do tamanho do mundo. Final de jogo: Palmeiras 0-1 Argentinos Juniors. Após o apito final o pau quebrou, com isso teremos um jogo nervosíssimo lá na Argentina. Os amigos do Rio da Prata não vão deixar quieto. Agora o alviverde precisa vencer o jogo a todo custo caso ainda queira continuar na Sul-Americana, o que eu particularmente duvido. Mas o que vale mesmo para nós que estivemos lá foi chegar em casa e marcar mais um time na Lista!

Bom, depois do jogo ainda peguei uma carona providencial para meu lar, doce lar. Cansadíssimo, mas já pensando na rodada do final-de-semana...

Abraços!

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário