Procure no JP

segunda-feira, 30 de agosto de 2021

O não-jogo entre Barcelona e Paulista de Jundiaí pela Segundona

Texto e fotos: Fernando Martinez


A manhã do domingo reservava um jogo imperdível pelo Campeonato Paulista da Segunda Divisão. O encontro surreal entre Barcelona Capela e Paulista de Jundiaí no Estádio Nicolau Alayon. Confronto válido pela terceira rodada da fase inicial em seu Grupo 4. Confesso que aguardava essa peleja com bastante ansiedade.

O Elefante vinha de duas derrotas - 0x2 contra o Mauaense também no Nacional e 0x2 contra o Flamengo em Guarulhos - e buscava melhor sorte contra o tradicionalíssimo Galo do Japi. O time jundiaiense foi campeão da competição em 2019, mas fez uma A3 horrorosa em 2020 e retornou à última divisão. Na estreia, empate contra o Corvo e na sequência um revés até certo ponto inesperado contra o Colorado de Caieiras.

Fez frio no domingo e até o decano Milton Haddad resolveu acompanhar tudo de uma grade nos campos sintéticos que ficam no portão da ambulância. Como ali existe uma visão boa e ele estava há um ano e meio sem futebol ao vivo, o velho amigo quis retornar à ativa na base do improviso. Pena que não teve futebol e vimos uma série de acontecimentos lamentáveis.


Barcelona e Paulista pisando no gramado do Nicolau Alayon




As fotos clássicas dos times posados e do quarteto com os capitães antes do não-jogo pela Segundona

As equipes foram ao gramado na hora marcada e, pouco antes do apito inicial, notamos que o quarteto de arbitragem estava próximo aos bancos de reservas. No mesmo momento vi a ausência da famigerada ambulância. Bom, na verdade faltavam as DUAS definidas pelo regulamento. Já pintou aquele desespero e o que ouvíamos era que "ela estava chegando".

Ficamos esperando a boa vontade e pouco antes das dez e meia pintou uma, só que no portão errado. Aí foi mais tempo até ela chegar no local determinado. Ela chegou, de acordo com o relato dos que estavam no gramado, faltando um integrante. Quando bateu exatamente 30 minutos de atraso o Paulista passou a fazer pressão na arbitragem para que a maior autoridade em campo desse o WO. O que se viu a partir daí foi aquele disse-não-disse e muita pressão visitante.

Por volta das 10h40 pintou a segunda ambulância no horizonte. Alguém na arquibancada deu a letra e ao mesmo tempo o escrete de Jundiaí retornou aos vestiários. Ficou claro que eles não queriam correr o risco de disputarem a partida e perderem algum ponto. O Barcelona tentou convencer a todos que estava tudo certo... e não teve sucesso. Por volta das 10h45 o árbitro desistiu de esperar. Na minha visão, dava tranquilamente para a bola rolar. Faltou uma pitada de bom senso a mais.

Quando fomos atrás de explicações, ficamos sabendo que o clube da capital foi o menos culpado. A ambulância contratada simplesmente achou que o horário da peleja era às três da tarde. Quando os responsáveis do Barcelona se tocaram que a rapaziada não chegaria, chamaram outra às pressas. De qualquer forma agora a situação fica por conta do STJD. Lamentável.



Aquele bate-papo nada proveitoso na espera pela partida. O que vi de barbaridade nesse meio-tempo não foi brincadeira


Já com o jogo suspenso, o elenco do Barcelona se reuniu no centro do gramado. Uma manhã vergonhosa no Nacional

Eis que fiquei sem o jogo da manhã e sem o jogo da tarde pelo Brasileiro sub-20, pois a CBF mudou o horário no sábado. Tinham outras pelejas na parte da tarde pela Segundona, porém como não estava credenciado, não restava opção a não ser pegar o caminho de casa. Para quem estava com planos de ver uma rodada dupla ficar sem nada é complicado.

Até a próxima!


Atualização: Em 13 de setembro o STJD decidiu que o Barcelona perdeu os pontos e foi obrigado a pagar multa de R$ 100,00. A gente já imaginava...

Nenhum comentário:

Postar um comentário