Procure no JP

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Rio Branco de Americana é o Campeão Paulista da Série A3

Olá, 

Após termos acompanhado vários jogos ao vivo e em cores do Campeonato Paulista da Série A3, o JOGOS PERDIDOS não poderia deixar de comparecer à partida decisiva que definiu o time Campeão. Coube a mim a grata missão de, no último domingo pela manhã, viajar até a progressista cidade de Americana, para conferir tudo o que rolou no jogo de volta entre o Rio Branco E.C. contra o G.E. Osasco, realizado no Estádio Municipal Décio Vitta

No domingo anterior, também com a presença do JP, foi realizada a partida de ida, na cidade de Osasco, cujo resultado foi 0 x 0. Por conta de ter realizado melhor campanha ao longo da competição, o Rio Branco poderia jogar por dois resultados iguais. Sendo assim, o alvinegro de Americana pisou no tapete verde, precisando apenas de mais um empate para conquistar o título. 

Como deixei São Paulo com o dia amanhecendo, cheguei ao meu destino com quase duas horas antes do início da partida, numa viagem supertranquila, o que me permitiu fazer o credenciamento e obter as escalações sem nenhuma pressa, além de conversar com diversas pessoas ligadas aos dois clubes, bem como o pessoal da imprensa. 

Depois do social, finquei pé na lateral do gramado, junto ao meio de campo, com o objetivo de conseguir uma boa posição para fazer as tradicionais fotos oficiais, que são marca registrada do JP e que estão apresentadas abaixo: 


Rio Branco E.C. - Americana/SP. Foto: Orlando Lacanna. 


G.E. Osasco - Osasco/SP. Foto: Orlando Lacanna. 


Quarteto de arbitragem com o árbitro Leandro Bizzio Marinho, os assistentes Herman Brumel Vani e João Bourgalber Nobre Chaves e o quarto árbitro Luciano Alves de Lima ao lado dos dois capitães. Foto: Orlando Lacanna. 


Os dois troféus que foram entregues ao final da partida. Foto: Orlando Lacanna. 

A bola começou a rolar e, com menos de 20 segundos, o Rio Branco foi com perigo ao ataque, numa penetração pela direita do camisa 11 Túlio, que cruzou para o interior da área e exigiu que o camisa 3 Bruno Leandro se redobrasse para desviar a bola para escanteio. A resposta do Grêmio Osasco veio aos 5 minutos, através de um cobrança de falta da entrada da área executada por Rogério, com a bola indo por cima do travessão. 

O domínio do Rio Branco foi se acentuando cada vez mais e, aos 7 minutos, outro bom ataque do "Tigre", mais uma vez através de Túlio, obrigando o goleiro Yamada a fazer ótima defesa. Apesar de jogar pelo empate, o time da casa não dava trégua à defesa osasquense, tanto que, aos 13 minutos, o gol inaugural foi marcado por Túlio, aproveitando rebote do goleiro Yamada, que não conseguiu segurar arremate cruzado da direita, desferido por Marcos Denner. 


Yamada defendendo parcialmente arremate de Marcos Denner. Foto: Orlando Lacanna. 


Detalhe do gol de Túlio ao aproveitar rebote do goleiro. Foto; Orlando Lacanna. 

Mesmo vencendo, o Rio Branco não parava de atacar, não deixando o Grêmio Osasco criar situações ofensivas. Aos 17 e 20 minutos, os donos da casa chegaram mais uma vez arrepiando, quase chegando ao segundo gol, através de jogadas com as participações de Rafael Chorão e Oliveira, cujas conclusões foram desviadas para escanteio. Só dava Rio Branco. 


Uma das várias chances do Rio Branco nos primeiros 20 minutos. Foto: Orlando Lacanna. 

De tanto insistir, o "Tigre" de Americana chegou ao seu segundo gol, na marca dos 22 minutos, anotado por quem? Quem pensou em Túlio, acertou, pois o camisa 11 estava com "o diabo no corpo", jogando uma barbaridade. 

Precisando virar o marcador, anotando pelo menos três gols, o Grêmio Osasco tentou sair mais para o ataque, porém o que conseguiu foi a marcação de algumas faltas na intermediária ou um pouco mais próximas à grande área, porém nenhuma delas chegou a levar maior perigo ao goleiro Éder. Somente aos 44 minutos, o time visitante criou uma situação de real perigo, quando o camisa 9 Celsinho disparou pela meia direita e mandou um canudo que explodiu contra o travessão da meta defendida por Éder. Foi o melhor momento do time da Grande São Paulo. 

Mais alguns minutos e a primeira etapa foi encerrada com a vantagem de 2 x 0 a favor do Rio Branco, que já estava com pelo menos uma das mãos na taça. A torcida alvinegra já fazia festa, pois só um desastre daqueles é que poderia tirar o título do Rio Branco, mas ainda restavam 45 minutos. 

Na segunda etapa, o Grêmio Osasco, até porque não tinha outra alternativa, saiu mais para o setor ofensivo, tendo criado um bom momento, aos 6 minutos, quando o camisa 7 Mineiro arriscou de fora da área, porém não acertou o alvo. Com o passar do tempo, o Rio Branco voltou a atacar, embora sem o mesmo ímpeto do primeiro tempo e, só não chegou ao seu terceiro gol, aos 14 minutos, por conta de uma ótima defesa do goleiro Yamada, que neutralizou arremate forte do camisa 9 Marcos Denner. 


Ótima defesa do goleiro osasquense na segunda etapa. Foto: Orlando Lacanna. 

Apesar do Rio Branco ter "tirado o pé", aos 21 minutos, o incrível aconteceu, pois o terceiro gol não saiu por um verdadeiro milagre do goleiro e da zaga, que desviaram por três vezes, arremates que tinham o endereço certo, num bate-rebate de tirar o fôlego. 


Mais uma chance do Rio Branco que parou nas mãos de Yamada. Foto: Orlando Lacanna. 

Nos últimos 20 minutos o jogo perdeu muito do ritmo, uma vez que o Rio Branco passou a gastar o tempo e o Grêmio Osasco não tinha forças para reverter a situação. O jeito era só aguardar o apito final e a festa começar. Só para constar, aos 42 minutos, o camisa 8 Arthur do time visitante recebeu o cartão vermelho direto. 

Fim de jogo com o resultado Rio Branco 2 - 0 Grêmio Osasco, que deu o primeiro título da história ao time de Americana, fazendo com que a sua torcida fosse à loucura, comemorando o retorno à Série A2, mas já pensando no retorno à elite em 2.014. Além do Rio Branco e Grêmio Osasco, também conseguiram o acesso à Série A2 de 2.013, o Capivariano e o tradicional Juventus. 

Assim que o árbitro encerrou a partida, teve início um verdadeiro carnaval nas arquibancadas e também no interior do gramado, com os atletas, comissão técnica e dirigentes entrando em êxtase. Foi uma das comemorações mais intensas que eu presenciei nos últimos anos. 


Início da festa pelo título logo após o encerramento da partida. Foto: Orlando Lacanna. 


As lindas modelos que abrilhantaram a entrega das medalhas e dos troféus. Foto: Orlando Lacanna. 

A primeira equipe a subir no pódio foi o Grêmio Osasco, que recebeu com muita alegria, as medalhas e o troféu prateado pelo Vice-Campeonato. Vale ressaltar que, quando o time visitante deixou o pódio, foi aplaudido pela torcida do Rio Branco, emocionando a todos que lá estavam. Foi um gesto muito simpático da torcida alvinegra, com os atletas visitantes não acreditando no que viam. 


Entrega das medalhas aos Vice-Campeões. Foto: Orlando Lacanna. 


Os alegres integrantes do Grêmio Osasco com as medalhas e o troféu. Foto: Orlando Lacanna. 

Após a primeira premiação, foi a vez do Rio Branco subir ao pódio e levar os seus torcedores a um estado de euforia de emocionar. Os atletas e demais integrantes do time, também fizeram muita festa. 


Entrega das medalhas aos Campeões com alguns atletas comemorando muito. Foto: Orlando Lacanna. 


Os Campeões recebendo o troféu dourado pela conquista. Foto: Orlando Lacanna. 


Agora, a tradicional volta olímpica, com o troféu sendo mostrado aos torcedores. Foto: Orlando Lacanna. 


Os Campeões, o troféu e a torcida. Foto: Orlando Lacanna. 

Deixo aqui registrados os cumprimentos do JOGOS PERDIDOS a todos que de uma forma ou de outra contribuíram para essa brilhante conquista. Cumprimentamos também o Grêmio Osasco pelo Vice-Campeonato, o Capivariano e o Juventus pela conquista do acesso. 

Jogo e festa encerrados e retorno a São Paulo, com a sensação de dever cumprido e a satisfação de ter contribuído com o registro de mais um pedaço da história do futebol interiorano. Foi isso. 

Abraços, 

Orlando

Nenhum comentário:

Postar um comentário