Procure no JP

segunda-feira, 21 de maio de 2012

JP na semifinal da Copa do Brasil de Futebol Feminino

Olá, 

Aproveitando a oportunidade de, quando possível, apresentar algo diferente aos amigos internautas que nos acompanham, no último sábado, não viajei e fui até o Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho, o charmoso Pacaembu, para conferir a partida de ida de uma das semifinais da Copa do Brasil de Futebol Feminino. A partida em questão foi Associação Desportiva Centro Olímpico/SP contra o Vitória de Santo Antão Associação Acadêmica e Desportiva/PE

Essa competição foi iniciada com 32 equipes divididas em 16 grupos, sendo disputada desde o início no sistema de mata-mata, com jogos de ida e volta, com exceção da primeira e segunda fases, nas quais, vitória do time visitante por diferença de dois ou mais gols, elimina a partida de volta. Nesse contexto, o time paulistano estreou na competição, fora de casa, contra o CEPE/Duque de Caxias/RJ, vencendo por 4 x 0 e eliminando o jogo de volta. Na sequência, enfrentou o Atlético Mineiro, vencendo as duas partidas (2 x 1 e 5 x 0). Em seguida teve como adversário o Vasco da Gama, tendo empatado o primeiro jogo em 0 x 0 e vencido o segundo por 3 x 0, chegando à semifinal. 

Pelo lado das pernambucanas, a trajetória foi iniciada contra o Boca Júnior/SE, com uma goleada de 9 x 0, sem a necessidade do jogo de volta. Em seguida, teve pela frente o América de Natal, tendo aplicado uma sonora goleada de 15 x 0, sendo que também não precisou da segunda partida. Na sequência, cruzou com o Pinheirense/PA e o venceu por duas vezes (2 x 0 e 1 x 0), carimbando o passaporte para a semifinal. 

Ao chegar no Pacaembu, a minha primeira ação foi obter as escalações das duas equipes, que utilizaram os antigos vestiários localizados atrás da meta do portão principal, me remetendo aos velhos tempos. Analisando as duas formações, observei que os dois times estavam recheados de ex-atletas do Santos FC, que desativou o departamento de futebol feminino, sendo que o time de São Paulo contava com 10 ex-santistas (5 titulares e 5 suplentes), enquanto o Vitória apresentava 8 ex-Sereias da Vila (6 titulares e 2 reservas). Por conta dos dois elencos, a expectativa era de uma partida equilibrada. 

Conseguidas as escalações, subi para o gramado e, junto à lateral, fiquei aguardando a entrada das equipes e do quarteto de arbitragem, com o objetivo de fazer as tradicionais fotos oficiais, as quais estão apresentadas abaixo: 


A.D. Centro Olímpico - São Paulo/SP. Foto: Orlando Lacanna. 


Vitória de Santo Antão A.A.D - Vitória de Santo Antão/PE. Foto: Orlando Lacanna. 


Quarteto de arbitragem e as duas capitãs. Foto: Orlando Lacanna. 


A linda Maurine, uma das várias ex-Sereias da Vila, agora defendendo as cores do Centro Olímpico. Foto: Orlando Lacanna. 

Com a bola em movimento, o Centro Olímpico tomou iniciativa de ir ao ataque e foi criando alguns momentos de perigo ao setor defensivo pernambucano, como aconteceu logo aos 2 minutos, quando a camisa 10 Gabi (ex-Santos) desviou de cabeça, um cruzamento vindo da direita, assustando a goleira Thaís. Aos 9 minutos, foi a vez da camisa 7 Debinha criar problemas à defesa do Vitória, mas a goleira Thaís praticou difícil defesa, demonstrando ótimo reflexo. 


Ação ofensiva do Centro Olímpico pela esquerda no começo da partida. Foto: Orlando Lacanna. 

O domínio paulista continuou e, aos 15 minutos, a goleira do Vitória voltou a mostrar serviço ao defender uma arremate venenoso da camisa 23 Naty, porém, na marca dos 26 minutos, não teve jeito e o Centro Olímpico chegou à marcação do seu gol, através de Gabi, que invadiu a área pela direita e arrematou cruzado, com a goleira chegando a tocar na bola, mas não evitando que a gorduchinha fosse para o fundo da sua meta. 


Momento exato do arremate de Gabi, que resultou no gol do Centro Olímpico. Foto: Orlando Lacanna. 


Bola indo morrer no fundo da rede pernambucana, com a linda bandeira do Vitória ao fundo. Foto: Orlando Lacanna. 

Em inferioridade no placar, as meninas do Vitória foram com mais determinação ao campo ofensivo e passaram a exigir mais atenção da defesa paulistana, sendo que aos 32 minutos, o Vitória levou grande perigo à goleira Vivi, que tirou com os olhos uma cobrança de falta executada por Thaisinha (ex-Santos), com a bola passando muito perto do travessão. 


Bola raspando o travessão em cobrança de falta de Thaísinha. Foto: Orlando Lacanna. 

Mesmo em vantagem, o Centro Olímpico esteve mais próximo da marcação do seu segundo gol, do que o Vitória chegar à igualdade. Aos 39 e 46 minutos, a goleira visitante entrou em ação novamente e evitou que a sua meta fosse vazada de novo, praticando outras duas boas defesas, neutralizando arremates de Gabi e Karen (também ex-Santos). Apesar do maior domínio do Centro Olímpico, o Vitória quase chegou ao empate, aos 43 minutos, num lance em que a goleira Vivi e a camisa 19 Andréia não se entenderam e quase entregaram o gol de bandeja, mas conseguiram se recuperar e, com isso, o primeiro tempo foi encerrado com a vantagem mínima a favor das paulistas. 

Na segunda etapa, logo no começo, aos 2 minutos, o Vitória chegou forte no ataque, através da sua camisa 10 Bia (outra ex-Santos), mas na hora da conclusão, a zaga paulista conseguiu atrapalhar a atacante pernambucana, que acabou perdendo o equilíbrio e finalizou fraco e pra fora. Foi a melhor chance do Vitória até aquele momento da partida. A resposta do Centro Olímpico foi quase imediata, pois aos 4 minutos, Naty penetrou pela esquerda, limpou a zaga e cruzou com precisão para trás, encontrando Gabi, que concluiu por cima do travessão, desperdiçando ótima chance. 


Bola alçada na área do Vitória no início da segunda etapa. Foto: Orlando Lacanna. 

Apesar do maior ímpeto ofensivo do Vitória, foi o Centro Olímpico que criou as melhores chances de alterar o placar, como aconteceu aos 11, 23 e 24 minutos, em jogadas que foram concluídas por Gabi (duas vezes) e Karen, sendo que no primeiro e terceiro lances, a goleira Thaís salvou a lavoura nas duas oportunidades, constituindo-se no grande nome do jogo. No segundo lance, a bola foi para fora, porém levou perigo. 

Nos últimos 10 minutos o Vitória foi com tudo, uma vez que um gol na casa do adversário seria muito importante na definição da equipe que seguirá na competição. O melhor momento do "Tricolor das Tabocas", aconteceu na marca dos 43 minutos, quando a camisa 99 Carol Baiana mandou de cabeça a bola para o fundo da rede paulista, mas a assistente levantou a bandeira e o gol não foi validado. Não houve reclamações. 


Boa defesa da goleira Vivi do Centro Olímpico nos minutos finais da partida. Foto: Orlando Lacanna. 


Detalhe do gol não validado do Vitória no fim da partida. Foto: Orlando Lacanna. 

Fim de jogo com o placar eletrônico do Pacaembu mostrando Centro Olímpico 1 - 0 Vitória, resultado que dá a vantagem do empate ao time paulista no jogo de volta, que definirá uma das vagas à final e que será realizado em Vitória de Santo Antão/PE, no Estádio Severino Cândido Carneiro, no próximo sábado, dia 26/5. O time pernambucano para avançar precisa vencer por dois gols de diferença ou repetir o placar de 1 x 0, levando a decisão para os pênaltis. A equipe vencedora dessa semifinal, enfrentará o vencedor de São José/SP e São Francisco/BA, que também jogaram no último sábado, com a vitória sendo conquistada pelas paulistas por 4 x 1. Portanto, podemos ter uma final entre duas equipes de São Paulo. Agora é aguardar os jogos de volta. 

Partida encerrada e um pequeno giro pela Avenida Paulista, recordando os velhos tempos do meu antigo "front", porém não demorei muito, pois teria que dormir cedo, uma vez que no domingo de madrugada iria iniciar mais uma viagem ao interior, para cobrir mais uma decisão de título de uma das competições de acesso, mas isso é papo pra outro post. Foi isso. 

Abraços, 

Orlando

Nenhum comentário:

Postar um comentário