Procure no JP

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Corinthians x Linense: Um duelo cheio de história no Pacaembu

Fala, pessoal!

No último domingo me fiz presente num jogo do Campeonato Paulista depois de mais de dois de ausência (o último tinha sido em janeiro de 2010). A presença no jogo Corinthians x Linense era obrigatória, já que esse duelo, mesmo não sendo um "jogo perdido" propriamente dito, voltava a ser disputado no Estádio Paulo Machado de Carvalho, o Pacaembu, após um longo hiato de 55 anos.

Cheguei nas redondezas do estádio paulistano faltando poucos minutos para o começo da partida, e como muitas vezes costumo fazer em jogos "grandes" por lá, fui adquirir meu ingresso na torcida visitante. Mas diferente de jogos anteriores, dessa vez encontrei uma grande fila, já que o tradicionalíssimo time da cidade de Lins sempre leva um grande número de torcedores nos seus jogos.


Times perfilados para o Hino Nacional Brasileiro. Foto: David Libeskind.

Encontrei o amigo Álvaro por ali, e com cerca de 10 minutos de partida finalmente conseguimos o ingresso e fomos garantir nosso espaço do meio da torcida do Elefante da Noroeste. O David e o Mílton já estavam ali, animadíssimos com o ineditismo do confronto.

A clima festivo ali era grande, já que para muitos era a primeira vez que tinham a chance de ver um jogo no Pacaembu. Gostaria muito que os boçais da grande mídia e que ficam com falácias e discursos vazios pedindo o fim dos estaduais, sempre com o "fortíssimo" argumento "o que um time pequeno tem para adicionar no futebol atual?", pudessem estar ali, vendo a relação de amor de todo o pessoal da cidade interiorana com o seu time.


Bandeirão com o escudo do querido time de Lins e sua grande torcida presente no Pacaembu. Foto: Fernando Martinez.

Claro que muitos pontos na confecção do campeonato poderiam ser melhorados, desde o número de participantes até a mudança da fórmula da competição, mas a certeza é uma só: O paulistão não pode acabar em hipótese alguma. Mas para os elitistas da grande mídia, que não tem a menor noção do que significa o futebol do interior do estado, a extinção dos estaduais é a única opção. Complicado demais.


Ataque corintiano pela esquerda durante o primeiro tempo. Foto: Fernando Martinez.

Independente dessas bobagens que somos obrigados a ouvir, muitos ali não sabiam que essa foi a volta do Linense ao Pacaembu após quase 55 anos de ausência. A última vez que a equipe tinha disputado uma partida oficial no estádio tinha sido no longínquo 20 de julho de 1957, quando perdeu de 7x0 para o São Paulo, na sua fase pré-Morumbi. Já o último jogo contra o Corinthians por lá foi válido pelo campeonato de 1956, com uma derrota do Elefante da Noroeste por 4x3 em 12 de setembro daquele ano.


Chance alvinegra pelo alto. Foto: Fernando Martinez.

Voltando mais um pouco no tempo, o então Estádio Municipal do Pacaembu (o nome atual só foi adotado em 1961) foi o palco da maior glória futebolística do Clube Atlético Linense, o título da segundona paulista de 1952. Depois de ter sido vice-campeão desse campeonato em 1948 e 1951, o time chegou à final contra a Ferroviária de Araraquara, levando o título e conquistando a vaga na principal divisão do estado após uma vitória por 3x0 no dia 31 de maio de 1953.

Depois de tantas efemérides, só nos resta voltar aos dias atuais. Na A1 desse ano, o Linense luta por uma das duas vagas na Série D com outros oito times (Paulista, Mogi Mirim, Ituano, Comercial, Botafogo, Mirassol, Catanduvense e XV Piracicaba). Como essa é a única forma de disputar a sonhada competição nacional, a disputa é bastante acirrada. Nos dois jogos anteriores, o Elefante da Noroeste tinha conquistado 4 pontos.


Bola alçada dentro da área do Linense. Foto: Fernando Martinez.

Só que jogar contra o atual campeão brasileiro dentro da sua casa não é nada fácil. Mesmo assim, o Linense mostrou um bom futebol e deu poucos espaços ao Corinthians. O Timão teve duas chances nos primeiros minutos da etapa inicial, e nada mais. Aos 37 minutos, o zagueiro Fabão marcou um gol, que foi anulado pela arbitragem. Depois do árbitro ter sido massacrado por todos os jornalistas presentes (ou não) no Pacaembu, uma foto publicada nessa terça-feira mostrou que ele estava com a razão.

No segundo tempo o jogo continuou com um ritmo moroso, e com o onze visitante mostrando boa resistência defensiva. Depois de perder uma grande chance pela esquerda do seu ataque, o Linense sofreu o gol da derrota aos 34 minutos. O jogador Alex cruzou bola na área, e o camisa 11 Emerson Sheik acertou um tirambaço meio sem ângulo pela direita e decretou a vitória alvinegra.


Grande chance para o Elefante da Noroeste no segundo tempo. Foto: Fernando Martinez.

Final de jogo: Corinthians 1-0 Linense. A vitória levou o Mosqueteiro à vice-liderança na tábua de classificação, com 9 pontos e atrás do São Paulo apenas no saldo de gols. Já o Linense ocupa a 9ª posição com seus 4 pontos conquistados. Se o campeonato acabasse hoje, Paulista (no 3º lugar) e Mogi Mirim (na 5ª posição) estariam classificados para a Série D.

Até a próxima, pessoal!

Fernando

Audax vence a primeira na A2 2012

Fala, povo!

O final de semana pintou com alguns alvos fáceis para o JP em jogos pelas divisões de acesso de São Paulo, mas no final das contas estivemos presentes apenas em um jogo válido pelo Campeonato Paulista da Série A2. Enfrentando um dia de inverno, fui para o Estádio Nicolau Alayon no sábado cedo acompanhar a estreia do Audax (ex-Pão de Açúcar) em casa jogando contra o São Carlos.

Não dormi durante a noite, e depois de acompanhar a derrota da musa Sharapova na final do Aberto da Austrália (sim, eu adoro assistir jogos de tênis) segui capengando para a casa nacionalina. Cheguei cedo, e ainda deu tempo de tentar ficar alerta com vários copos de café num boteco na Avenida Santa Marina. Ao chegar no estádio, logo fui autorizado para as fotos tradicionais.


Audax São Paulo EC - São Paulo/SP. Foto: Fernando Martinez.


São Carlos FL - São Carlos/SP. Foto: Fernando Martinez.


Quarteto de arbitragem da partida e capitães dos times. Foto: Fernando Martinez.

Após ter jogado o segundo semestre de 2011 com a camisa do Audax, mas ainda registrado como Pão de Açúcar na FPF, o time paulistano finalmente pode estrear de forma oficial com a nova denominação no dia 25 de janeiro, quando perdeu por 2x1 para o Penapolense. Sempre é legal acompanhar esse tipo de efeméride in loco. Já o time visitante, que eu não via ao vivo há quase quatro anos, venceu o primeiro jogo contra o São Bernardo FC dentro dos seus domínios.


Falta para o São Carlos e bola alçada na área do Audax. Foto: Fernando Martinez.

Ao sair do campo, encontrei o amigo Rodrigo Ramos, agora trabalhando novamente na equipe sãocarlense. Colocamos o papo em dia e fui então para o tradicional alambrado da Comendador Souza conferir a movimentação dos times. O primeiro tempo foi bastante equilibrado, sem que nem Audax, nem São Carlos, tivessem amplo domínio.


Ataque do time visitante no gramado do Nicolau Alayon. Foto: Fernando Martinez.

Enquanto a peleja rolava, encontrei o Nílton, mais uma vez madrugando e vindo direto de Suzano só para 90 minutos de futebol. O jogo não estava tão bom assim, e o que valeu mesmo foi a sempre agradável conversa sobre o início de vários campeonatos. Sem novidades no gramado, o 0x0 foi o marcador na chegada do intervalo.


O camisa 10 Leandro Miranda cobrando mais uma falta para o São Carlos. Foto: Fernando Martinez.

Para o segundo tempo, fomos acompanhar o ataque local no gol "de fundo" do Nicolau Alayon. Os times adotaram uma postura diferente e a partida melhorou bastante. Aos 15 minutos, o Audax marcou o primeiro através do seu "homem-gol" Rafael Martins. A jogada começou com Denílson carregando a bola entre os zagueiros. Ele errou o chute, mas deu enorme sorte, pois o goleiro Ronaldo deixou a bola passar entre suas mãos e ela bateu na trave. No rebote, o camisa 7 apareceu entre os zagueiros para tocar e marcar o seu.


Rafael Martins correndo para comemorar o primeiro gol do Audax contra o São Carlos. Foto: Fernando Martinez.

Só que na saída de jogo foi a vez do São Carlos comemorar seu gol. Quem deu uma forcinha foi o zagueiro Diogo, pois ele tentou recuar com o peito uma bola para o arqueiro Rafael Defendi, mas sem antes ver que o camisa 1 não estava debaixo das traves. Resultado: Gol contra e 1x1 no marcador.


Disputa de bola pela lateral do campo. Foto: Fernando Martinez.

A partida seguiu com o Audax melhor em campo, mas sem conseguir marcar o segundo. O São Carlos se defendia de forma correta e não sofria sustos. Aos 42 minutos porém, a zaga visitante deu bobeira, e viu o matador Rafael Martins fazer o segundo gol do time paulistano. Após belíssimo lançamento para dentro da área, o camisa 7 apareceu entre os zagueiros e tocou firme para marcar o gol da vitória.


Exato momento do chute de Rafael Martins que originou o segundo gol do Audax, o gol da vitória contra o São Carlos. Foto: Fernando Martinez.

Final de jogo: Audax 2-1 São Carlos. Após duas rodadas realizadas, a equipe paulistana ocupa a 10ª posição na tábua de classificação, enquanto o time sãocarlense é 11º. Na rodada do meio de semana, o Audax joga contra o Sorocaba fora de casa, enquanto o São Carlos visita o Rio Claro.

Com sono e sem dormir, voltei para casa ainda contando em ver algum jogo na parte da tarde. Mas compromissos me deixaram sem conseguir descansar e sem conseguir acompanhar outro joguinho. Somente no domingo voltei aos estádios, agora para ver uma partida que não acontecia desde o longínquo ano de 1956.

Até lá!

Fernando

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Palmeiras B vira em cima do Sorocaba na estreia da A2 2012

Opa,

No dia em que a cidade de São Paulo comemorou o aniversário de 458 anos, o Campeonato Paulista da Série A2 teve a sua primeira rodada disputada. E a abertura da competição foi com o jogo Palmeiras B x Atlético Sorocaba, realizado justamente na capital bandeirante, mas precisamente no Estádio Conde Rodolfo Crespi, a Rua Javari.

O feriado, combinado com o forte calor, animou torcedores palestrinos para acompanharem a partida do time B na casa juventina. Essa partida marcou a volta da equipe alviverde como mandante na sua cidade, já que jogou a A2 de 2011 sediando seus jogos na cidade de Jaguariúna. Esperamos que continue assim daqui por diante.

Depois de um bom almoço, saí de casa cedo para chegar na Rua Javari sem nenhum problema. No caminho, acabei encontrando o Orlando fazendo uma boquinha na esfiharia Juventus depois de de ter acompanhado o oitavo título corintiano na Copa São Paulo. Cerca de meia hora depois, fomos ao estádio e fizemos as fotos exclusivas das duas equipes.


SE Palmeiras B - São Paulo/SP. Foto: Fernando Martinez.


C Atlético Sorocaba - Sorocaba/SP. Foto: Fernando Martinez.

Após as fotos, fomos para a parte coberta da Javari, que recebia uma grande presença de torcedores (o público pagante foi de 188 pessoas, um bom número se considerarmos jogos do Palmeiras B). Dali vimos com vários amigos (alguns que não víamos há tempos) uma abertura de campeonato muito disputada, e um jogo acima da média.

O onze sorocabano começou a peleja melhor em campo, e aos 9 minutos o time fez o primeiro gol do jogo e do campeonato. Quem marcou foi o jogador Fabio Gomes, após bom chute de longe que bateu num jogador palmeirense e enganou o goleiro Pegorari. Mas nem deu tempo para o pessoal visitante comemorar direito, pois dois minutos depois, o Palmeiras B igualou o marcador com o gol do atacante Caio.


Exato momento do chute de Fábio Gomes, que originou o primeiro gol do Sorocaba e o primeiro da A2 2012. Foto: Fernando Martinez.


Bom ataque sorocabano na etapa inicial. Foto: Fernando Martinez.

A etapa inicial continuou com muita movimentação, e o Sorocaba ainda tinha o domínio das ações ofensivas. O time chegou perto de fazer o segundo gol por três vezes, a melhor delas aos 30 minutos, num chute colocado do camisa 6 Marquinhos e que obrigou o arqueiro Pegorari fazer uma belíssima defesa. O alvi-verde conseguiu na base do sufoco levar o jogo empatado para o intervalo.


Camisa 10 palmeirense jogando a bola dentro da área do Atlético. Foto: Fernando Martinez.


Grande chute de Marquinhos, que obrigou o goleiro Pegorari a fazer brilhante defesa. Foto: Fernando Martinez.

Para o segundo tempo, o onze paulistano buscou uma melhor postura dentro de campo, mas sofreu o segundo gol do Sorocaba aos 8 minutos. Num contra-ataque rápido pela esquerda, Luan driblou o zagueiro e tocou na saída do goleiro local. Com o 2x1 a seu favor, o time visitante passou a administrar o jogo, impedindo que o Palmeiras B entrasse no seu campo de defesa.


Chegada do Palmeiras B pela direita no segundo tempo. Foto: Fernando Martinez.

Mas aos 19 minutos, a zaga sorocabana perdeu a bola, que foi lançada para o bom atacante Caio. Ele chutou forte para empatar de novo o jogo. O empate animou o alviverde, que passou a alternar boas chances com o Sorocaba. O gol poderia ter saído para qualquer um dos times. E quem acabou marcando foi o time local, que virou o marcador aos 28 minutos com um chutaço de Caio da entrada da área. A bola ainda bateu na trave superior, sem a menor chance do goleiro do Atlético fazer a defesa.


Disputa de bola pelo alto. Foto: Fernando Martinez.

Agora em desvantagem, o Sorocaba passou a comandar as ações ofensivas e chegou muito, mas muito perto, de fazer o terceiro e empatar de novo a peleja. Mas no melhor esquema de "quem não faz, toma", o Palmeiras B aproveitou um contra-golpe preciso aos 46 minutos e selou a vitória. Peterson recebeu pela esquerda, driblou dois zagueiros e chutou com classe no ângulo esquerdo do arqueiro sorocabano.


Lance do quarto gol do Palmeiras B, marcado por Peterson. Foto: Fernando Martinez.

Final de jogo: Palmeiras B 4-2 Sorocaba. A vitória por dois gols de diferença, a única vista na primeira rodada da competição, deixou a equipe palmeirense na primeira colocação da Série A2. O Sorocaba, por sua vez, ocupa a 20ª e última posição após a rodada inicial do certame. Além da bela partida, uma das melhores do ano até aqui, esse jogo valeu também por ter reencontrado vários amigos, alguns pela primeira vez nesse ano de 2012. Fazia muito tempo que não conseguíamos juntar tanta gente conhecida numa mesma peleja. Valeu a pena.


A "Confraria da Javari" presente para a abertura da Série A2 2012. Na ordem, Fernando Martinez, Victor Minhoto, Orlando Lacanna, Jurandyr Junior, Alfredo "Mancebo", Mílton Haddad, Sérgio "Barba", Sérgio "Manjuillo", Rodrigo Colucci, Luiz e Sérgio Oliveira. Foto: Transeunte.

Nesse final-de-semana começa a Série A3, e a A2 terá sua segunda rodada disputada. Com certeza o JP se fará presente em jogos perdidos variados tanto no sábado, quanto no domingo. 2012 finalmente começou direito!

Até lá!

Fernando

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Corinthians conquista a Copa São Paulo pela oitava vez

Olá,

Na última quarta-feira, feriado municipal comemorativo aos 458 anos de fundação da cidade de São Paulo, foi realizada a partida decisiva da 43ª Copa São Paulo de Futebol Júnior, envolvendo o S.C. Corinthians Paulista e o Fluminense F.C. do Rio de Janeiro, cujo palco foi o Estádio Dr. Paulo Machado de Carvalho, o charmoso Pacaembu, que recebeu um público superior a 37.000 pessoas entre pagantes e não pagantes. Mais uma vez, a Fiel Torcida compareceu em massa.

Vale lembrar que nos últimos oito anos, o JOGOS PERDIDOS se fez presente em seis decisões, sendo que coube a mim a grata missão de representar o JP em mais essa final. A propósito, a partida decisiva colocou frente à frente, dois "papões" de títulos dessa competição, uma vez que o Timãozinho do Parque São Jorge havia conquistado o título em sete oportunidades (1.969, 1.970, 1.995, 1.999, 2.004, 2.005 e 2.009), enquanto o Tricolor das Laranjeiras levantou a taça por cinco vezes (1.971, 1.973, 1.977, 1.986 e 1.989).

Como o jogo foi realizado pela manhã, saí de casa bem cedo, pois tinha certeza que o movimento de torcedores chegando ao estádio seria enorme e, não deu outra. Além disso, a presença da mídia foi gigantesca, fazendo com que tivesse muita gente no interior do gramado. Mesmo assim, consegui um lugarzinho junto aos inúmeros fotógrafos e fiz as fotos oficiais da partida, as quais estão apresentadas abaixo:


S.C. Corinthians Paulista (Sub - 18) - São Paulo/SP. Foto: Orlando Lacanna.


Fluminense F.C. (Sub - 18) - Rio de Janeiro/RJ. Foto: Orlando Lacanna.


Quarteto de arbitragem aos lados dos capitães. Foto: Orlando Lacanna.


Troféus ao Campeão (dourado) e ao Vice-Campeão (prateado). Foto: Orlando Lacanna.

Apesar do incentivo da Fiel Torcida, a garotada do Corinthians começou a partida de forma cautelosa, procurando tocar a bola e encontrar o momento certo de ir ao ataque, Por outro lado, o time carioca, imprimindo velocidade às jogadas, chegava com mais perigo, obrigando ao goleiro Matheus a praticar importante defesa logo aos 4 minutos, após bela jogada do camisa 11 Marcos Júnior. Nos primeiros dez minutos, o Flu foi mais agressivo, sendo que o Corinthians levou certo perigo à meta carioca. apenas uma vez, aos 6 minutos, através de uma penetração do camisa 2 Cristiano, que avançou pela direita e arrematou por cima do travessão, animando a galera alvi-negra.


Ataque do Fluminense no início da partida. Foto: Orlando Lacanna.

À medida que o tempo ia passando, o Corinthians foi equilibrando as ações e também passou a incomodar a defesa adversária, como aconteceu na marca dos 14 minutos, quando o camisa 9 Douglas, assustou o goleiro Silézio, ao cabecear uma bola rente ao poste direito. Aos 19 minutos, o camisa 10 Matheuzinho também levou perigo pela esquerda, concluindo com perigo.


Arremate do ataque corintiano da entrada da área. Foto: Orlando Lacanna.

Mesmo com o crescimento do desempenho corintiano, o Fluminense não deixava de criar momentos ofensivos que poderiam resultar na abertura do placar, só não acontecendo, por conta das boas defesas de Matheus e também por erros nas finalizações.


Uma das várias defesas do goleiro Matheus durante a primeira etapa. Foto: Orlando Lacanna.

O primeiro tempo teve como característica o equilíbrio das ações, com períodos alternados de domínio de uma ou outra equipe, com o Fluminense tendo um pouco mais de volume ofensivo. Nessa toada, os ataques chegavam próximos às áreas, porém na hora "H", a conclusão não era precisa, como aconteceu aos 27 minutos, numa boa avançada do camisa 21 do alvinegro, Leonardo, mas, mais uma vez, a bola saiu pela linha de fundo.


Lance de perigo para o goleiro Silézio do Fluminense ainda no primeiro tempo. Foto: Orlando Lacanna.

O tempo passou rapidamente num bom primeiro tempo, que acabou sem que ninguém mexesse no placar, ficando para a segunda etapa a expectativa de como as equipes iriam se comportar, visando a conquista da taça.

Durante o intervalo, fiz um lanche rápido numa pequena lanchonete próxima aos vestiários e logo depois, encontrei a assessora de imprensa da FPF, Isabel Tanese, que estava com a apresentadora do Programa Futebol e Criança, Carolina Galan, a quem fui apresentado. Conversamos um pouco sobre a ideia central do programa, que é produzido pela própria FPF e transmitido através da Rede Vida de Televisão, aos domingos às 14:00 horas. Não deu para falarmos mais, por conta do reinício da partida.


A lindíssima Carolina Galan, apresentadora do Programa Futebol e Criança. Foto: Orlando Lacanna.

A bola voltou a rolar e, logo aos 4 minutos, a garotada carioca fez a festa, pois Michael abriu o marcador, ao empurrar a bola para o gol vazio, após o goleiro corintiano não conseguir segurar um cruzamento vindo da direita. Esse gol encheu de alegria e esperança os poucos torcedores do Flu presentes ao estádio.


Jogada que originou o gol de abertura no início da segunda etapa. Foto: Orlando Lacanna.

O gol provocou um abatimento no time corintiano, que por alguns minutos ficou meio perdido na partida, só não sofrendo o segundo gol, graças a uma espetacular defesa do goleiro Matheus, que se redimiu da infelicidade no primeiro gol, desviando para escanteio um arremate perigosíssimo de Higor, que entraria no ângulo superior esquerdo.

O Timãozinho apresentava afobação na tentativa de ir ao ataque e, com isso, errava muitos passes. Apesar das dificuldades, a Fiel Torcida não parava um segundo de incentivar os atletas alvinegros, que na base da raça, chegavam ao campo de ataque. Aos 20 minutos, o Corinthians teve um escanteio a favor, pelo lado esquerdo, cuja cobrança ficou a cargo do camisa 10 Matheuzinho, que colocou a bola na cabeça do camisa 3 Antônio Carlos (ex-Fluminense), que a mandou para o fundo da rede carioca, decretando o empate e levando a Fiel à loucura.


Bola na rede do Flu no gol de empate de Antônio Carlos de cabeça. Foto: Orlando Lacanna.

Depois do gol de empate, a Fiel passou a incentivar ainda mais o seu time, levando o Flu a se encolher no campo de defesa e tentar sair em contra-ataque. Dava para perceber que o time carioca desejava levar a decisão para a cobrança de pênaltis. Na base da raça, o Corinthians ia com tudo para o ataque, visando chegar ao gol da virada.


Um dos vários ataques do Corinthians após o gol de empate. Foto: Orlando Lacanna.

A partida chegou aos últimos dez minutos, com o time alvinegro forçando a defesa tricolor, tendo chegado muito próximo ao gol da virada, aos 39 minutos, quando Leandro invadiu pela esquerda e cruzou rasteiro para a pequena área, encontrando Wesley, que desviou a bola por cima do travessão, levando à Fiel ao desespero com a chance perdida quase embaixo do gol.

Quando todos esperavam que partida terminasse empatada, o que levaria a decisão para a cobrança de pênaltis, o Corinthians conseguiu outro escanteio, agora pelo lado direito, cuja cobrança resultou no tão sonhado gol da virada, anotado novamente por Antônio Carlos, de cabeça aos 43 minutos, numa repetição do primeiro gol. Esse gol fez explodir o Pacaembu, tanto fora quanto dentro das quatro linhas.

Os últimos minutos e os acréscimos foram emocionantes, com a contagem não sofrendo alteração e, dessa forma. o árbitro encerrou o jogo com o placar eletrônico indicando Corinthians 2 - 1 Fluminense, resultado que deu o oitavo título ao time paulista, provocando uma imensa comemoração no interior do gramado e nas arquibancadas, com os atletas indo até o alambrado para compartilhar a grande alegria pela conquista com os torcedores. A vitória coroou uma excelente campanha com 100% de aproveitamento, com 8 vitórias em 8 jogos, com o ataque marcando 30 gols e a defesa sofrendo só 2, deixando o incrível saldo de 28 gols.

Após o encerramento da partida, em meio às comemorações dos atletas corintianos, ainda no gramado, foi iniciada a cerimônia de entrega das medalhas e troféus aos dois times, com as autoridades da FPF fazendo a entrega aos jogadores, comissões técnicas e dirigentes.


Garotada do Fluminense exibindo o troféu de Vice-Campeão. Foto: Orlando Lacanna.


Agora os atletas do Corinthians recebendo as medalhas pela conquista do título. Foto: Orlando Lacanna.


Alegria dos corintianos já de posse o troféu de Campeão. Foto: Orlando Lacanna.


A tradicional volta olímpica com os jogadores exibindo o troféu aos torcedores. Foto: Orlando Lacanna.

Deixo aqui os cumprimentos do JOGOS PERDIDOS aos jogadores, comissões técnicas, dirigentes e torcedores dos dois times pelas campanhas excelentes, desejando que todos os jogadores possam conseguir um lugar ao sol na carreira e segui-la com sucesso. Sei que é difícil, mas observei bons jogadores não só nesses dois times, mas também em outros (Coritiba, Internacional, Rondonópolis, etc). A jornada é árdua. mas é possível chegar com muito sacrifício e um pouco de sorte.

Mais uma decisão terminada, mais uma festa e outra vez o JP se fazendo presente na competição, não só na final, mas desde o seu início. Deixei o estádio com a sensação de dever cumprido e já planejando as coberturas dos Campeonatos das Séries A2 e A3 que começam em janeiro, sendo que a A2 começou quarta-feira mesmo. Foi isso.

Abraços,

Orlando

sábado, 21 de janeiro de 2012

Coxa na semi da Copinha depois de oito anos

Fala, pessoal!

Na tarde da última sexta-feira estive no Estádio Nicolau Alayon para cobrir o duelo das quartas de final entre Coritiba e Vitória, que foi também a despedida da 43ª Copa São Paulo de Futebol Júnior na casa nacionalina. Tudo bem que foi uma despedida um tanto quanto sem sentido, já que poderíamos ter uma semi-final realizada ali sem problemas. Mas com a cidade de São Carlos bem prestigiada nos dias atuais, só restaram lamentações para a capital bandeirante.

Mesmo sendo um dia útil, cheguei sem problemas na Barra Funda. O problema mesmo foi que um verdadeiro dilúvio estava prestes a desabar na região. Mesmo com todo mundo rezando para que a tempestade chegasse pelo menos depois do apito inicial, ela veio forte cerca de 20 minutos antes do jogo. Não teria a menor condição de fazer as fotos posadas debaixo de tanta água, mas de forma milagrosa a chuva parou logo após a execução do Hino Nacional. Ufa!


Coritiba FC (sub-18) - Curitiba/PR. Foto: Fernando Martinez.


Vitória FC (sub-18) - Salvador/BA. Foto: Fernando Martinez.


Trio de arbitragem da peleja, com a presença do amigo Daniel Luís Marques, e capitães dos times. Foto: Fernando Martinez.

Depois de vencer os três primeiros jogos da fase inicial no Grupo V, o Coritiba venceu Mirassol e Internacional/RS (nos pênaltis) para garantir sua vaga nas quartas de final da Copinha. Já o Vitória se classificou na segunda posição do Grupo J com dois resultados positivos e uma derrota. Na segunda fase eliminou o Botafogo/RJ nos pênaltis e nas oitavas massacrou o Rondonópolis. Pelas campanhas, tudo levava a crer que o Coxa era favorito.


Chegada do Vitória pela esquerda. Foto: Fernando Martinez.


Árbitro distribuindo cartão amarelo para o camisa 10 baiano. Foto: Fernando Martinez.

Durante o tempo inicial a sequência de lances mostrou realmente que o Coritiba tem um melhor time. Mesmo assim, encontrou dificuldades contra o motivado time baiano. O campo estava encharcado, e nenhum jogador tentou surpreender o arqueiro adversário com chutes de longe. Com isso, o jogo ficou bastante concentrado na intermediária e os primeiros 45 minutos se foram com o placar em branco.


Outra chegada do Leão pela esquerda durante o primeiro tempo. Foto: Fernando Martinez.

No intervalo fui me abastecer com uma sempre bem vinda Coca-Cola na lanchonete local e conversei bastante com os amigos presentes lá: Seu Natal, Sérgio, Rodrigo Colluci, Álvaro e o Shrek. Todos torcendo para que o sempre incômodo 0x0 fosse embora no tempo final.


Bola alçada na área paranaense no segundo tempo. Foto: Fernando Martinez.


Chance perigosa do Vitória. Foto: Fernando Martinez.

Com mais vontade, o Coxa começou o segundo tempo mais incisivo e bem focado na busca do gol. Ele acabou vindo num lance extremamente infeliz da zaga baiana aos 8 minutos. Depois de uma bola fraca cruzada pela direita, dois zagueiros do Vitória furaram na pequena área de forma bisonha, e ela sobrou livre para Gustavo chutar e colocar o Coritiba em vantagem no marcador.


Atletas apostando corrida no setor defensivo do Coxa. Foto: Fernando Martinez.

A partir daí o jogo melhorou muito. O Leão se mandou para o ataque pata tentar o empate, enquanto o Coxa ficou com o contra-ataque à sua disposição, levando enorme perigo à meta baiana. Embora o Vitória tenha entrado várias vezes na área adversária, as chances de gol não foram tão agudas.


Mais uma tentativa rubro-negra pela direita. Foto: Fernando Martinez.

A peleja seguia num perigoso 1x0 para o onze curitibano quando, aos 39 minutos, Dener se livrou de um zagueiro pela direita e chutou cruzado para marcar o segundo. Essa foi a pá de cal nas pretensões do Vitória na partida e a sacramentação da classificação do Coritiba.


Falta marcada para o onze baiano. Foto: Fernando Martinez.

Final de jogo: Coritiba 2-0 Vitória. Essa vitória colocou o Coxa entre os quatro melhores da Copa São Paulo depois de oito anos (a equipe perdeu a semi-final de 2004 nos pênaltis para o Corinthians). O adversário da semi será o Fluminense no domingo cedo na prestigiadíssima cidade de São Carlos. O vencedor pega o Corinthians na decisão da próxima quarta-feira. O time do Parque São Jorge simplesmente aniquilou o Atlético/PR por 6x0 na semi desse sábado.

Até a próxima!

Fernando