Procure no JP

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Sem sufoco, Portuguesa elimina o Goiás e está nas quartas

Texto e fotos: Fernando Martinez


As oitavas-de-final da Copa São Paulo de Futebol Júnior chegaram e mais uma vez restou a chance de seguir a rota da Portuguesa na competição. Em nova sessão futebolística no Estádio Osvaldo Teixeira Duarte, o escrete lusitano recebeu o Goiás tentando igualar a campanha de 2010 e chegar às quartas.

O onze esmeraldino terminou na liderança do Grupo 29 e nas fases seguintes eliminou o Trindade e o Grêmio. Já tinha visto o tricolor gaúcho ao vivo (vitória de 3x0 em cima do União Mogi ainda pela primeira fase) uma vez e achei surpreendente a eliminação da equipe. O resultado positivo a favor do Alviverde me fez crer que a partida seria complicada pro clube paulistano.


Associação Portuguesa de Desportos (sub-20) - São Paulo/SP


Goiás Esporte Clube (sub-20) - Goiânia/GO


Capitães de Portuguesa e Goiás junto ao quarteto de arbitragem

De novo fez bastante calor e mais uma vez, apesar de ter sido uma sessão para desempregados ou pessoas de férias, um bom público foi ao estádio. E diferente do que vimos nas duas vitórias locais nos pênaltis (contra o São Paulo do Amapá e também contra o América Mineiro), praticamente não teve emoção nos 90 minutos do duelo contra o time do Centro-Oeste.

Deu a impressão que o Goiás gastou todo seu futebol no triunfo contra o Grêmio, já que o time não jogou nada. Bom, pra não dizer que a atuação toda foi uma tragédia, a defesa se portou bem e dificultou a ação do ataque local. No ataque, uma única chance boa antes mesmo do primeiro minuto, em lance que o goleiro Mateus fez ótima defesa.

O melhor momento local no tempo inicial aconteceu aos sete minutos, quando Pernambuco surgiu entre a zaga e cabeceou firme, tirando tinta da trave de Enzo. No mais, um calor dos infernos e concentração máxima no meio-campo. Os 45 minutos demoraram o dobro pra passar.


O Goiás deu pouco trabalho pra zaga lusitana durante toda a partida


Thalles batendo escanteio pela esquerda do ataque goiano


Rafael, camisa 7 goiano, tentando chapelar zagueiro local

No tempo final a Lusa voltou mais ligada, mas em conversa com o amigo Ricardo Espina chegamos à conclusão que a peleja estava com cara total de 0x0. Pouco tempo depois, como numa resposta à nossa brilhante dedução, os locais abriram o marcador (ufa!). Aos 19 minutos a bola foi lançada na esquerda, Cesinha cruzou e Davi surgiu livre pra fazer o primeiro.

Com o 1x0, o filme dos compromissos anteriores se repetiu e os rubro-verdes recuaram demais. Felizmente para a torcida que dessa vez o adversário não conseguiu chegar ao empate. O Goiás ficou zanzando dentro da área da Lusa sem conseguir sucesso nas investidas. Não deu nem pro pessoal ficar nervoso. Aos 39 quase saiu o segundo gol da Portuguesa num lance onde Douglas ficou cara-a-cara com Enzo mas chutou em cima do camisa 1.


Rafael tentando fazer a ligação com o camisa 10 Thalles em lance do tempo final


O Goiás ocupou o setor defensivo rubro-verde depois de sofrer o gol porém não fez muito barulho


Bola levantada na área lusitana no fim do jogo

Quando o árbitro trilou pela última vez o seu apito, o placar eletrônico do Canindé mostrava o resultado de Portuguesa 1-0 Goiás. O triunfo recolocou a equipe paulistana nas quartas-de-final da Copinha após oito anos. O adversário na nova fase será o mesmo de 2010, o Palmeiras. É a 17ª vez em 47 participações que a Lusa chega entre os oito melhores da competição.

No dia seguinte dei uma pausa nas coberturas da Copa São Paulo e vi de perto a grande abertura do Campeonato Paulista da Série A2 com direito a rodada dupla na capital. Teve retorno genial após onze anos e estreia rubro-verde dentro de casa na pauta.

Até lá!

Nenhum comentário:

Postar um comentário