Procure no JP

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Portuguesa começa a A2 com derrota no Canindé

Texto e fotos: Fernando Martinez


Após acompanhar o empate entre Nacional e São Bernardo FC, novamente o Campeonato Paulista da Série A2 na sua primeira rodada foi a pauta. Numa sessão noturna no Estádio Oswaldo Teixeira Duarte, fui ver de perto a estreia da Portuguesa na competição contra o sempre genial Batatais FC.

Sem disputar a Série A1 desde 2015, a Lusa vai para a sua terceira disputa seguida na A2 tentando emplacar uma boa campanha, algo que não aconteceu nos dois últimos anos (foi 13º tanto em 2015 quanto em 2016). Só que as coisas pelos lados do Canindé são uma incógnita e os nomes que foram contratados não dizem muita coisa por enquanto.


Associação Portuguesa de Desportos - São Paulo/SP


Batatais Futebol Clube - Batatais/SP


Capitães dos times junto com o árbitro Thiago Luis Scarascati, os assistentes Fábio Rogerio Baesteiro e Osvaldo Apipe Filho e o quarto árbitro Regildenia de Holanda Moura

Quase mil pessoas pagaram ingresso e viram que a luz no horizonte ainda não está tão visível assim. O técnico Guilherme estreou em partidas oficiais levando o primeiro gol logo aos cinco minutos. A zaga vacilou geral e Cléber, camisa 6 do Batatais, marcou.

Demorou um tempo pro onze local realmente começar a incomodar a defesa visitante. Apenas por volta dos 20 minutos que os rubro-verdes iniciaram uma pressão tímida em busca do empate. Nada assim uma maravilha, diga-se de passagem, mas foi melhor do que nada.

Aos 21, Gian viu o goleiro adiantado e tentou marcar do meio de campo. Os locais fizeram vários cruzamentos dentro da área alvirrubra e em dois desses lances a bola passou perto da trave. Mesmo com mais tempo com a pelota nos pés, a etapa inicial terminou com a vitória parcial do Fantasma.


Fabiano, camisa 4 do Batatais, se preparando pra arrepiar a bola



Duas chegadas lusitanas pela direita durante o tempo inicial


Zaga do Fantasma fazendo aquele corte maroto pelo alto

No tempo final só deu Portuguesa e o Batatais pensou apenas em se defender. Pereira e Fernandinho entraram bem e foi a vez do goleiro Juninho mostrar serviço. Quando as finalizações não iam pra fora, o camisa 1 batataense trabalhou de forma segura e impediu o empate.

Conforme a peleja foi chegando ao seu final, a pressão se intensificou. Léo Coelho aos 31 e Gian aos 35 só não empataram o placar pois Juninho mandou bem demais de novo. Aos 43 aconteceu a última grande chance em cobrança de falta de Pereira. O chute caprichosamente bateu na trave e Raul desperdiçou o rebote. É, a noite não era da Lusa.



Dois momentos em que a Portuguesa tentou o empate no segundo tempo


A cobrança de falta de Pereira que bateu na trave aos 43 do tempo final

O Portuguesa 0-1 Batatais não foi nem em sonho um resultado animador pro onze paulistano. Como faltam 14 jogos pro fim dessa fase e só dois são os rebaixados pra A3 de 2019 (eram seis os rebaixados no ano passado), tudo pode acontecer. Ainda dá pra esperar que o futebol pelos lados do Canindé possa dar alguma esperança pro seu sofrido torcedor.

Foi isso... e como 2018 até aqui tem sido um ano recheado de pelejas da Lusa, a próxima parada será nas quartas da Copa São Paulo contra o Palmeiras no Pacaembu. Será que a molecada rubro-verde vai surpreender mais uma vez no certame? Saberemos na sexta-feira.

Até lá!

Nenhum comentário:

Postar um comentário