Procure no JP

terça-feira, 30 de abril de 2013

Audax vence Red Bull e se garante na Série A1 do Paulista em 2014

Olá, 

Durante esse ano, o JOGOS PERDIDOS se fez presente em vários jogos válidos pelo Campeonato Paulista da Série A2, tendo mostrado aos amigos internautas que nos acompanham, pelo menos uma vez, todos os 20 participantes da competição e, obviamente, não poderia ficar ausente da última rodada da segunda fase, quando seriam definidos os dois últimos times (Portuguesa e Rio Claro já haviam conseguido o acesso) que estarão na elite paulista no próximo ano. 

Diante disso, caí da cama no último domingo logo cedo e fui em direção ao lendário Estádio Nicolau Alayon, local da realização da partida Audax E.C. x Red Bull F.E. Ltda. Essa duelo colocou frente à frente, duas equipes que ainda poderiam chegar ao tão sonhado acesso, desde que vencesse a partida e ocorresse um tropeço do Guaratinguetá (empate ou derrota) diante do Rio Claro, jogo esse que seria realizada no mesmo horário no Vale do Paraíba. 

Apesar dos imprevistos ao longo do trajeto até o estádio, cheguei com tempo suficiente para conversar com pessoas ligadas aos dois times, conseguir as escalações e ainda fazer o credenciamento, visando minha permanência no gramado, com o objetivo de fazer as fotos que os amigos do JP estão acostumados a ver. Começo apresentando as imagens dos participantes do espetáculo, através das fotos abaixo: 


Audax E.C. - São Paulo/SP. Foto: Orlando Lacanna. 


Red Bull F.E. Ltda. - Campinas/SP. Foto: Orlando Lacanna. 


Quarteto de arbitragem ladeado pelos dois capitães. Foto: Orlando Lacanna. 


Time de gandulas que embelezou o espetáculo. Foto: Orlando Lacanna. 

Com a bola rolando, o que se viu, foi o time de Campinas tomando as primeiras iniciativas de ir ao campo de ataque e, com isso, foi criando jogadas que levaram perigo à meta defendida pelo goleiro Sidão, como aconteceu na marca dos 4 minutos, quando o camisa 11 Marcinho exigiu a primeira boa defesa do goleiro paulistamo. Aos 8 minutos, o mesmo Marcinho exigiu outra boa intervenção de Sidão, que desviou a bola para escanteio. 

A partida vinha sendo disputada num ritmo intenso, com maior predomínio do Red Bull, sendo que aos 9 minutos, novamente o time visitante chegou perigosamente, agora através do camisa 8 Kiros em cabeçada que passou muito perto. 


Bola alçada na área do Audax no início da partida. Foto: Orlando Lacanna. 

O Audax procurava igualar as ações, tocando a bola com rapidez, visando surpreender a defesa do Red Bull, sendo que na primeira ação ofensiva, aos 16 minutos, o time amarelo chegou ao gol de abertura, anotado por Rafinha, numa cabeçada que venceu o goleiro Júlio César, que se esticou todo, mas não conseguiu evitar que a bola estufasse a rede campineira. 


Júlio César saltando como um gato, mas não conseguindo evitar o gol de Rafinha. Foto: Orlando Lacanna. 

Em desvantagem, o Red Bull continuou insistindo no ataque e, aos 23 minutos, o ótimo goleiro Sidão evitou o gol de empate ao praticar duas excelentes defesas na mesma jogada, que começou com um forte arremate de Kiros, defendido parcialmente e que terminou em outra conclusão, agora do camisa 9 Henan, ao aproveitar o rebote, porém o goleirão Sidão estava iluminado e conseguiu conjurar mais esse perigo. 


Arrancada do Red Bull, pela esquerda, ainda na primeira etapa. Foto: Orlando Lacanna. 

Aos poucos o Audax foi equilibrando as ações, tendo chegado com perigo aos 37 minutos, através de um arremate do camisa 11 Danilo, que foi defendido pelo goleiro Júlio César. O time da casa passou a habitar mais o campo de ataque, tendo chegado à marcação do seu segundo gol, aos 42 minutos, numa cobrança de pênalti executada pelo camisa 10 Paulo César. 


Bola no canto direito no segundo gol do Audax anotado por PC. Foto: Orlando Lacanna. 

O encerramento do primeiro tempo se aproximava, mas ainda houve tempo do Red Bull desperdiçar outra oportunidade, aos 44 minutos, quando o camisa 16 Careca, mandou a pelota contra o poste esquerdo da meta dos donos da casa. Mais alguns minutos e o árbitro encerrou os primeiros 45 minutos com a vantagem de 2 x 0 a favor do Audax, que foi objetivo ao aproveitar as oportunidades criadas, enquanto o Red Bull deixava o gramado lamentando as oportunidades perdidas. 

Durante o intervalo, a grande curiosidade era saber o resultado de momento do outro jogo que estava sendo realizado em Guaratinguetá. As notícias eram ótimas, pois o Rio Claro estava vencendo por 1 x 0 e, com esse placar, o Audax estava com um pé na divisão de elite do futebol paulista. Ainda no período de descanso, foi possível apreciar boas músicas apresentadas por uma orquestra de jovens que muito agradou o público presente. 


Show do intervalo com a orquestra de jovens brindando o público com a execução de lindas músicas. Foto: Orlando Lacanna. 

Com a bola voltando a rolar, o Red Bull foi pra cima, do mesmo jeito como havia feito no início da partida, sendo que dessa vez, conseguiu o seu objetivo, pois logo aos 7 minutos, o camisa 28 Allan Dias, diminuiu a diferença, ao cobrar uma penalidade máxima apontada pelo assitente de arbitragem, já que o árbitro central, num primeiro momento, anotou o toque como tendo acontecido fora da área. 


Allan Dias cobrando pênalti que resultou no gol do Red Bull. Foto: Orlando Lacanna. 

Até os primeiros 15 minutos da etapa final, o Red Bull teve predomínio das ações, porém aos 17 minutos, o Audax chegou com perigo, através de Rafael Martins em rápida penetração pela meia direita. Na marca dos 18 minutos, os dois técnicos (Fernando Diniz pelo Audax e Argel pelo Red Bull), foram convidados a deixar os respectivos bancos de reservas, porque estavam se estranhando e um chamando o outro para briga. O clima estava quente. 

A partir dos 20 minutos, a partida ganhou ares de dramaticidade, pois as duas equipes foram com tudo na busca pelo gol. Aos 25 minutos Allan Dias assustou o goleiro Sidão ao cabecear por cima, uma bola que passou muito perto. Aos 27 minutos, foi a vez do Audax levar perigo à meta campineira, novamente através de Rafel Martins, mas o arremate saiu por cima do travessão. 

A jogo seguia no ritmo "lá e cá", sendo que aos 29 minutos, o Audax só não aumentou a diferença, por causa de dois milagres operados pelo experiente goleiro Júlio César, que num primeiro momento rebateu uma cabeçada, à queima-roupa, desferida pelo camisa 3 Thiago Martinelli e, em seguida, desviou com a perna direita, uma conclusão do camisa 17 Rafinha executada próxima à pequena área. Foram duas defesaças, que deixaram o grito de gol preso na garganta da galera do Audax. 


Milagre do goleiro Júlio César evitando o terceiro gol do Audax. Foto: Orlando Lacanna. 

Os dois times sabiam que o Guaratinguetá estava sendo derrotado pelo Rio Claro, naquele momento, por 3 x 1 e não paravam de buscar o gol, tornado a partida mais dramática a cada minuto. Nesse contexto, aos 32 minutos, o Audax quase chegou ao seu terceiro gol, mas o camisa 26 Oliveira, evitou o gol, salvando quase em cima da linha fatal. Aos 35 minutos, foi a vez do Red Bull assustar a torcida local, com o camisa 11 Marcinho concluindo com muito perigo. 


Intensa briga pela posse da bola junto à lateral. Foto: Orlando Lacanna. 

Nos últimos cinco minutos, a partida tornou-se ainda mais dramática, com o Audax tentando segurar o resultado e o Red Bull indo buscar o empate, sendo que naquele momento, o placar do outro jogo apontava 3 x 2 a favor do Rio Claro, o que garantia ao vencedor dessa partida o acesso à Série A1. 

Depois de um acréscimo de 6 minutos, finalmente o árbitro encerrou a partida com o placar mostrando Audax 2 - 1 Red Bull, resultado que combinado com a derrota do Guaratinguetá por 3 x 2, garantiu o acesso do time de São Paulo à elite em 2.014. Vale ressaltar que além do Audax, também o Comercial de Ribeirão Preto conseguiu nesse domingo, voltar ao principal campeonato promovido pela FPF, completando com a Portuguesa e o Rio Claro o quarteto que conseguiu o acesso, sendo que a Lusa e o Rio Claro decidirão o título em duas partidas. 

Tão logo o árbitro encerrou a peleja, foi iniciada uma grande comemoração pelos atletas, comissão técnica e dirigentes, além dos torcedores do Audax, tanto dentro do gramado como fora dele, festejando uma conquista inédita que esteve próxima de acontecer no ano passado. 


O técnico vencedor Fernando Diniz abraçando com emoção um dos seus atletas. Foto: Orlando Lacanna. 


Festa dos atletas junto com a comissão técnica e dirigentes. Foto: Orlando Lacanna. 


Roda de oração em agradecimento à importante conquista. Foto: Orlando Lacanna. 

Deixo aqui os parabéns do JP ao Audax pela inédita e importante conquista, estendendo os cumprimentos à Portuguesa, ao Rio Claro e ao Comercial de Ribeirão Preto por também terem conseguido retornar à elite do futebol paulista. 

Depois da festa, deixei o estádio ao lado do amigo Milton Haddad, indo para o centro velho de São Paulo, para em seguida ir almoçar ao lado de pessoas queridas com a sensação de dever cumprido. Foi isso. 

Abraços, 

Orlando

Um comentário: