Procure no JP

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Guaçuano perde para o CAL Bariri em dia de festa em Mogi-Guaçu

Fala pessoal!

Depois da duas rodadas duplas no sábado e no domingo, poderia ter ficado em casa no feriado da segunda-feira recuperando as energias... mas não fiz isso! Com um jogo único e muito interessante marcado no estado de São Paulo, enfrentei o cansaço e fui fazer a matéria para o JP. Segui cerca de 150 quilômetros até chegar na cidade de Mogi-Guaçu para acompanhar um jogo do Campeonato Paulista da Segunda Divisão. E num lotado Estádio Alexandre Augusto Camacho, vi a partda entre o Guaçuano e o CAL Bariri.

Cheguei cedo na simpática cidade de Mogi-Guaçu e em menos de dez minutos já estava no portão do estádio. Logo vi que seria um dia especial para o time e a torcida, pois faltando mais uma hora para o início da partida, muitos torcedores já se aglomeravam por ali. Cerca de 2500 ingressos já tinham sido vendidos de forma antecipada, e de acordo com o pessoal da cidade, esse jogo seria o recorde de público na competição.

Entrei então no campo de jogo e o clima já era quente. A torcida enchia as arquibancadas e vibrava até mesmo no aquecimento do time da casa. Foi legal acompanhar isso pois não é algo que vemos com frequência na Segundona. Estamos acostumados a ficar vendo jogos com públicos que dificilmente chegam na casa dos três dígitos, e ver o que vi em Mogi-Guaçu é algo surpreendentemente agradável.

A hora da partida foi chegando e logo as equipes entraram no gramado. E agora o JP mostra as fotos oficiais. As fotos do CAL Bariri e do trio de arbitragem são exclusivas do blog:


CA Guaçuano - Mogi-Guaçu/SP. Foto: Fernando Martinez.


CAL Bariri - Bariri/SP. Foto: Fernando Martinez.


Capitães dos times e trio de arbitragem da partida com o árbitro Thiago Silva Egidio e os assistentes Hilton Francisco de Melo e Sérvio Antonio Bucioli. Foto: Fernando Martinez.

Jogando dentro dos seus domínios e com o apoio maciço da torcida guaçuana, o Mandi era favorito para a vitória. Vitória que deixaria o time em situação muito confortável em busca de uma vaga na Quarta Fase da Segundona 2009. Para o CAL Bariri, a derrota poderia significar o fim do sonho da classificação. A certeza era que teríamos um bom jogo por lá.

Fiquei acompanhando o ataque do Guaçuano, e antes mesmo dos dois minutos de jogo, o time já tinha chegado por duas vezes com chutes muito perigosos pela direita do seu ataque. A torcida, extremamente empolgada, fazia muito barulho e empurrava o time da casa. Aí começou a aparecer a estrela do goleiro do time de Bariri, Müller, que fez defesas importantes segurando o marcador em branco.


Antes dos 30 segundos de jogo, o Guaçuano quase chegou ao primeiro gol. A bola passou perto da trave. Foto: Fernando Martinez.

O Guaçuano não dava muitos espaços ao time do CAL, e chegava sempre com perigo. O goleiro do time visitante fez três ou quatro defesas super difíceis, e ele foi o responsável pelo gol não ter saído para os donos da casa durante o primeiro tempo.


Cobrança de falta perigosa para o Mandi. Foto: Fernando Martinez.

E como já tinha percebido no jogo Jabaquara x CAL Bariri, o time azul e vermelho é um daqueles times chatos para se jogar contra. A equipe joga com uma raça absurda, e leva enorme perigo em contra-ataques. E num dos poucos cedidos pelo time da casa, o primeiro gol do jogo surgiu. O time teve uma falta pela esquerda do seu ataque. Na cobrança, o jogador Roni bateu com perfeição e colocou a pelota no ângulo esquerdo do goleiro do time da casa.


Jogadores aguardando cobrança de escanteio para o time da casa. Foto: Fernando Martinez.

Nos 10 minutos restantes da primeira etapa, mais uma blitz do Guaçuano em cima do gol defendido pelo arqueiro Müller, mas a bola teimava em não entrar. O time da casa ainda ficou com um jogador a mais nos acréscimos e na jogada seguinte o goleiro fez milagre por duas vezes seguidas, as duas com defesas em chances dentro da pequena área. Mas o primeiro tempo fechou sem que o time mandante conseguisse marcar.


Belíssima defesa do goleiro Müller, uma das várias decisivas que ele fez na partida. Foto: Fernando Martinez.

No intervalo fui andar em volta do gramado para notar realmente a presença fantástica do público da cidade de Mogi-Guaçu. Parabenizo todos os torcedores pela festa, que foi muito bonita. E em nenhum momento eles deixaram de apoiar a equipe do Guaçuano.



Dois detalhes do grande público presente no jogo Guaçuano x CAL Bariri. Fotos: Fernando Martinez.

O segundo tempo então veio e eu fui novamente acompanhar o ataque do Mandi. Novamente a equipe jogou em cima do CAL Bariri, mas não conseguia deixar tudo igual no placar. Embora com um número menor de defesas, o goleiro Müller continuou fazendo a diferença. E para tristeza da torcida local, o segundo gol do time visitante aconteceu aos 18 minutos. O jogador Marcial arriscou um chute de longe, e a bola desviou num zagueiro do Guaçuano e enganou o goleiro.


Mais uma chance do Guaçuano em bola alçada dentro da área. Foto: Fernando Martinez.

Com 2x0 contra, o Guaçuano se esqueceu de qualquer tipo de tática e foi com tudo pra cima do time de Bariri. Novamente o goleiro apareceu bem, com duas defesas ótimas em chutes cruzados e dando muita sorte numa cabeçada que tirou tinta da trave e em outra bola que bateu na sua trave esquerda. O dia não era mesmo do Guaçuano.


Chute fraco do time da casa e fácil defesa do goleiro do CAL Bariri. Foto: Fernando Martinez.

E depois de tanta insistência, o time da casa finalmente conseguiu chegar ao seu gol. Ele veio num bom chute de Jorginho pela direita, mas foi tarde demais, apenas aos 48 minutos. E com apenas um minuto de jogo restante, os donos da casa não tiveram tempo para mais nada.


Cabeçada que passou perto do gol do time visitante. Foto: Fernando Martinez.

Final de partida: Guaçuano 1-2 CAL Bariri. O Grupo 14 da Segundona fica agora completamente embolado, com Guaçuano, Paulínia e CAL Bariri respectivamente nos três primeiros lugares, nessa ordem, e o Taubaté na quarta colocação. Mas os quatro times tem zero gols de saldo e tudo pode mudar no segundo turno dessa terceira fase.

Após o jogo voltei tranqüilo para a rodoviária, e depois de ver uma aparição por ali voltei sossegado para São Paulo. Tudo bem que levei mais de três horas para chegar, mas novamente com o sentimento de dever cumprido.

E nessa semana tem jogo que não acaba mais... fiquem ligados!

Abraços

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário