Procure no JP

segunda-feira, 28 de dezembro de 2020

Palmeiras (tetra) campeão do Paulista sub-20 2020

Texto e fotos: Fernando Martinez


Passado o Natal, na tarde de sábado terminou o unificado Campeonato Paulista sub-20 de 2020. Foi, assim como vários outros, um torneio de tiro curto que durou cerca de dois meses e teve participantes da Série A1 até a Segundona. Na decisão, o clássico entre Corinthians e Palmeiras no Estádio Alfredo Schurig repetindo a final de 2018. Dérbi com cara de antigamente na velha casa alvinegra.

A melhor chance de título ficou mesmo com o estadual, já que no nacional da categoria não vivem boa fase. O alviverde se classificou no sufoco somente na última rodada da primeira fase e o mosqueteiro acumula quatro derrotas seguidas, duas delas por 3x0. Com o calendário espremido, ambos passaram por uma maratona e o desgaste foi inevitável.

O Corinthians chegou à final do Paulista invicto, dono da melhor campanha e do melhor ataque. Os 23 pontos conquistados nas sete vitórias e dois empates credenciaram o escrete da Zona Leste apenas a mandar a final na sua casa, sem vantagem do empate, por exemplo. O fato do onze palmeirense ter conquistado "apenas" 14 pontos transformava seu adversário em franco favorito? Não. Clássico é sempre clássico.

O tri de 2017/2018/2019 não chegou à toa. Donos de um dos melhores retrospectos da categoria nos últimos anos, o verde revelou vários atletas e, mesmo tendo caído de qualidade em 2020, tinha a chance de chegar ao quarto título consecutivo, igualando o tetra corintiano no antigo campeonato juvenil de 1947 a 1950. Aliás, nenhum dos dois clubes sabe o exato número de conquistas através dos tempos.

Desde que a FPF foi fundada em 1941, o certame teve vários nomes - Juvenil, Juvenil A, Juniores e sub-20 - e alternou jogadores sub-20 algumas vezes, sub-18 em outras e até sub-19 poucas vezes. O Corinthians foi campeão 16 vezes e o Palmeiras 15. Falando nisso, Um ENORME erro que o pessoal da Zona Oeste quer perpetuar é o título de 2004. Naquele ano o campeão foi o Palmeiras B e o Palmeiras "A" foi eliminado pelo saudoso Jaboticabal na segunda fase. Reescrever a história é complicado. Um dia talvez possam aprender.





Fotos oficiais da terceira final que o JP acompanhou em apenas uma semana. Não é pouca coisa...

Falando do JP, essa foi a sexta vez que cobrimos a final do estadual. Não percam a ordem: Palmeiras B 4x3 Corinthians em 2004, Mogi Mirim 1x1 Rio Branco em 2006, Santos 1x0 XV de Piracicaba em 2007, Corinthians 2x3 Santos em 2015, Palmeiras 1x0 Ponte Preta em 2017 e Palmeiras 4x2 Corinthians em 2018. Além disso também estivemos no duelo de ida em 2004 com Corinthians 0x0 Palmeiras B, Portuguesa 1x0 Palmeiras em 2010, Corinthians 1x0 Palmeiras em 2018 e Palmeiras 0x2 Red Bull em 2019. Duvido que algum site ou blog tenha mais coberturas do que nós nesse período.

Para essa nova cobertura, cheguei cedo na Fazendinha e de novo a sensação de ver uma decisão sem público foi algo bem estranho. Da parte coberta, vi as escalações e notei que o Palmeiras não estava com seu principal time, nem com o seu técnico Wesley Carvalho. Da minha parte achei que nem isso tornava o Corinthians favorito (e eu estava certo).

Quando o árbitro iniciou os trabalhos, ficou claro que teríamos uma partida muito disputada. Apesar disso, foram poucos os momentos de perigo. O alvinegro criou o primeiro aos 22 minutos. O goleiro Leandro não conseguiu fazer a defesa em cruzamento da esquerda e soltou a bola nos pés de Matheus Araújo. A finalização tinha endereço certo, mas Gabriel Vareta salvou em cima da linha.






Instantâneos do primeiro tempo da grande decisão do Paulista sub-20

Aos 37 foi a vez do alviverde assustar em ótima cobrança de falta de Pedro Acácio que bateu na forquilha. Na sequência Vitinho bateu a carteira de um jogador palmeirense e arriscou de longe. O tiro passou perto da trave. No intervalo, 0x0 e equilíbrio. Na etapa final a primeira oportunidade foi corintiana aos 11. Cauê atacou pela esquerda e chutou. O tiro foi desviado pela zaga e bateu na trave. Quatro minutos depois Reginaldo, camisa 6 mosqueteiro, quase fez de cabeça.

Aos 20 saiu o gol local. Ramon Rocha recuou até Leandro, o goleiro verde não dominou e viu a pelota morrer dentro da rede. Um frango clássico. O alvinegro permaneceu no campo de ataque e no período de um minuto jogou fora a chance de decidir o campeonato a seu favor. Aos 30 Cauê se livrou dos marcadores e abriu na direita até Matheus Araújo. Ele ficou cara-a-cara com o arqueiro e perdeu. Logo depois foi Richard que ficou sozinho e mandou em cima de Leandro.

A resposta verde não demorou. Bruno Menezes chutou e Yago concluiu pela linha de fundo. No escanteio, o cruzamento foi perfeito na cabeça de Michel. O camisa 5 subiu no terceiro andar e empatou aos 32. A peleja deu uma caída de ritmo e quem chegou mais perto do segundo tento foi o time da Zona Oeste. Daniel recebeu na esquerda aos 45, cortou o zagueiro e finalizou para brilhante defesa de Yago. O tempo regulamentar então se esgotou. A decisão seria nas cobranças de pênalti.

Pouco antes do apito final, o técnico alviverde tirou Leandro e colocou Kaíque no lugar. Na semana anterior, isso deu certo e o goleiro defendeu uma cobrança do São Bernardo FC. No sábado o raio caiu duas vezes no mesmo lugar e o tetra palmeirense veio das mãos dele. O camisa 14 defendeu as cobranças de Gabriel Araújo, Lucas Pires e Eduardo Tanque. Ele só não pegou o pênalti de Luís Mandaça. Já o verde vez com Pedro Bicalho, Kevin e Ramon Rocha. Nem o fato de Robert Dias ter chutado longe atrapalhou.




No tempo final o Corinthians estava melhor, fez 1x0, mas vacilou, tomou o empate e viu a decisão ir parar nos pênaltis



Ramon Rocha fazendo o último pênalti a favor do Palmeiras e Kaique prestes a pegar a cobrança de Eduardo Tanque, a terceira dele, e dar o título ao verde

O Corinthians 1 (1) - 1 (3) Palmeiras coroou uma campanha claudicante, mas que foi decisiva quando necessária. O verde conquistou o caneco apesar de ter nove pontos a menos do que o seu grande rival. Além disso os mosqueteiros terminaram a participação sem nenhuma derrota. Como todos assinaram o regulamento, ninguém pode reclamar. O que ficará para os livros de história é que em 2020 o antigo Palestra Itália sagrou-se tetracampeão do Paulista sub-20.

A entrega dos troféus foi rápida e sem muito alarde. O destaque negativo ficou por conta do descaso com que os atletas alvinegros trataram o recebimento das medalhas. Vários tiraram o item logo após colocarem no pescoço e a taça foi quase jogada de lado, tamanha a falta de esportividade de todos, começando pelo treinador Dyego Coelho. Entendo que todo mundo estava revoltado, porém não é assim que se faz. Saber perder é uma enorme virtude e da forma como fizeram, já começaram mal a carreira.



Atletas do Corinthians saindo de cabeça baixa após o vice. Perder como perderam dói, mas faltou esportividade a alguns. Na segunda foto, a comemoração verde pelo tetra

Sem tempo de comemorar ou lamentar demais, os times voltarão a campo na terça-feira na ida das quartas de final do Brasileiro. O verde pega o Atlético Mineiro, enquanto o Timão recebe o Grêmio. Eu estarei em um deles na última cobertura de 2020.

Até lá!

_________________________

Ficha Técnica: Corinthians 1x1 Palmeiras (1x3)

Local: Estádio Alfredo Schurig (São Paulo); Árbitro: Matheus Delgado Candançan; Público e renda: Portões fechados; Cartões amarelos: Reginaldo, Gabriel Vareta; Gols: Ramon Rocha (contra) 20 e Michel 32 do 2º.
Corinthians: Yago; Daniel Marcos, Alemão (Gabriel Araújo), Ronald e Reginaldo; Luís Mandaça, Matheus Araújo (Lucas Pires), Du Queiroz (Wendell) e Vitinho; Cauê (Eduardo Tanque) e Richard (Antony). Técnico: Dyego Coelho.
Palmeiras: Leandro (Kaique); Carlos (Daniel), Michel e Gabriel Vareta (Jhow); Ramon Rocha, Pedro Bicalho e Vanderlan (Robert Dias); Jean Quiñonez (Miguel dos Santos), Pedro Acácio (Bruno Menezes), Robinho e Fabrício (Kevin). Técnico: Gilmey Aymberê.
_____________

Nenhum comentário:

Postar um comentário