Procure no JP

segunda-feira, 7 de dezembro de 2020

Napoli dá enorme passo em direção à elite do Brasileiro Feminino

Texto e fotos: Fernando Martinez


No domingo à tarde pintou na agenda um daqueles jogos que provavelmente vamos ter a chance de acompanhar in loco apenas uma vez na vida. Falo do incomum Juventus x Napoli, um duelo que poderia ser do certame italiano, mas que valeu pelas quartas de final do Campeonato Brasileiro da Série A2. Encontro de invictos no Estádio Conde Rodolfo Crespi num dia em que as duas equipes femininas da cidade de Caçador/SC atuaram na capital bandeirante (o Kindermann perdeu para o Corinthians e ficou com o vice da Série A1).

As paulistas chegaram a esse confronto com uma bela campanha de cinco vitórias e dois empates, a quarta melhor entre os oito clubes restantes na competição. Nas oitavas, eliminaram a ESMAC/PA com um triunfo fora de casa e um sofrido 2x2 na Rua Javari que teve cobertura do JP. Como fizeram uma péssima campanha no estadual, elas precisam conquistar o acesso pensando em manter um calendário nacional em 2021.




As duas equipes posadas no gramado da Rua Javari antes do primeiro duelo das quartas de final. Abaixo, a imagem oficial dos representantes da arbitragem e as capitãs

Do outro lado estava a Associação Atlética Napoli. Contando com a parceria do Avaí, ela vem fazendo bonito na A2: em sete partidas, seis vitórias, um empate e a segunda melhor campanha geral, atrás apenas do Bahia e seus 100% de aproveitamento. Fundada em 1996, a agremiação ainda não conseguiu furar o domínio avassalador do Kindermann e seus 11 títulos estaduais seguidos, porém já emplacou dois vices (2017 e 2019) e o futuro parece ser promissor.

Teve bastante gente conhecida na casa grená acompanhando os primeiros 90 minutos da decisão. O grande Edson de Lima, maior conhecedor do futebol feminino por essas bandas, o metaleiro Bruno e o amigo Lucas Gabriel, o maior fotógrafo de Brusque e região. Todo mundo com uma expectativa legal, acreditando que apesar do favoritismo catarinense, as grenás tinham tudo para fazer uma boa apresentação.

Foi exatamente isso que aconteceu na etapa inicial. Mostrando segurança e um futebol sólido, as locais foram melhores do que as meninas do sul e não tiveram dificuldades para chegar aos 2x0. Dani Ortolan aproveitou pelota mal rebatida pela zaga e abriu o marcador aos 20 minutos. Ela mesma quase fez o segundo aos 30 quando, em chegada cara-a-cara chutou em cima da goleira. Aos 37, em novo vacilo da zaga, Nai avançou pelo campo de defesa, driblou Dida e ampliou.




Assim como no jogo contra o Esmac, o primeiro tempo foi todo do Juventus. O Napoli não foi capaz de parar as avantes locais


Detalhe do segundo gol juventino, marcado por Nai. Parecia a consolidação de um bom triunfo... parecia

Os primeiros 45 minutos foram bem parecidos com o que contra a ESMAC na semana anterior. O desfecho no domingo acabou sendo diferente e muito para as paulistas. O Napoli tomou uma enorme injeção de ânimo nos vestiários e retornou ao gramado com uma postura 100% diferente. O escrete grená foi surrado e viu sua vantagem virar pó. A atuação napolitana foi tão intensa que em apenas quinze minutos já tinham virado o placar.

Aninha marcou aos três minutos aproveitando um lateral (!) pela esquerda. Soraya deixou tudo igual aos 11. Ambos os lances com falhas gigantescas de todo o setor defensivo, principalmente da goleira Dani Soares. Aos 16 Soraya, ela de novo, colocou o clube de Santa Catarina na frente em pênalti bem cobrado. Entregue, abatido e sem ânimo, o Juventus sofreu o quarto aos 36 com Larissa Vasconcelos. Ela cruzou da direita, Dani Soares mandou mal mais uma vez e a bola a encobriu.


Em apenas 16 minutos do tempo final o Napoli virou o marcador. O terceiro gol foi de Soraya cobrando pênalti




Por não ter voltado a campo na segunda etapa, o Juventus praticamente deu adeus à chance de acesso no Brasileiro Feminino. Agora, só na base do milagre

O placar final de Juventus 2-4 Napoli complicou profundamente a situação grená. O alvi-azul pode perder por um gol de diferença que ainda assim estará na elite feminina em 2021. Um momento dos sonhos para o futebol caçadorense. Ao que tudo indica ano que vem teremos o dérbi da cidade na A1 nacional. Já o onze da Mooca vai ter que vencer por dois gols de diferença ou por um e ganhar nos pênaltis. Caso isso não aconteça, disputarão apenas o estadual em 2021. Não será nada fácil.

Até a próxima!

_________________________

Ficha Técnica: Juventus 2-4 Napoli/SC

Local: Estádio Conde Rodolfo Crespi (São Paulo); Árbitro: José Guilherme Almeida e Souza; Público e renda: Portões fechados; Cartões amarelos: Loira, Sasá, Nai, Treyci, Mira, Luana; Cartão vermelho: Sasá 30 do 2º; Gols: Dani Ortolani 20 e Nai 36 do 1º, Aninha 3, Soraya 11 e (pênalti) 16 e Larissa Vasconcelos 36 do 2º.
Juventus: Dani Soares; Renata, Loira, Késsillyn e Deza; Sasá, Luana (Sabrina), Mafê (Alê Brito) e Lara (Thaís Gabrielle); Dani Ortolani (Karol Mineira) e Nai. Técnico: Welington Souza.
Napoli: Dida; Mira, Mariana, Thays e Sara; Júlia (Thabata), Soraya (Jaine), Treyci (Larissa Sanchez) e Luana; Maria e Aninha (Larissa Vasconcelos). Técnica: Carine Bosetti.
_____________

Nenhum comentário:

Postar um comentário