Procure no JP

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Peñarol (quase) nas semifinais da Supercopa Eurofarma

Fala pessoal!

Depois de acompanhar as duas primeiras rodadas do Grupo B da Supercopa Eurofarma de Futebol Júnior, a quinta-feira me reservou a chance de ver os quatro times do Grupo A, e além disso também a chance de colocar um time fantástico na minha Lista. Caí da cama já preparado para uma maratona futebolística na Arena Barueri, e junto com o seu Natal fui ver o primeiro jogo, entre Peñarol e o Futebol Clube do Porto.

Chegamos em cima da pinta, e corri rapidinho até o gramado da Arena para não perder a foto das equipes. O mais legal é que em todos os jogos dessa rodada as fotos são totalmente exclusivas do JOGOS PERDIDOS:


FC do Porto (sub-19) - Porto/Portugal. Foto: Fernando Martinez.


CA Peñarol (sub-19) - Montevidéu/Uruguai. Foto: Fernando Martinez.


Capitães de Porto e Peñarol posando com o árbitro Thiago Duarte Peixoto, os auxiliares Luiz Quirino da Costa e Michel Ferreira da Silva e o quarto árbitro Willian Rocha Padilha. Foto: Fernando Martinez.

Depois de incluir o Sevilla, não poderia perder a chance de ver o Porto no quintal de casa, ainda mais numa partida que já decidiu um título mundial, o famoso "jogo da neve" aonde o time português se sagrou Campeão Mundial em 1987. Foi a segunda equipe da terra de Camões que incluí na Lista, já que tinha o Marítimo desde o longínquo ano de 1998 na minha história futebolística.

O Peñarol também não fica atrás em questão histórica, e só tinha visto a equipe uruguaia duas vezes, uma contra o São Paulo em 1999 e a outra contra o São Caetano em 2001. Com a decadência da equipe, ficou muito difícil acompanhar jogos dessa lendária equipe. Resumo da ópera: não faltavam ingredientes para acompanhar in loco essa peleja.

E falando da situação das equipes na Supercopa Eurofarma, o Porto já estava virtualmente eliminado, e somente com a volta do rei Dom Sebastião, morto da Batalha de Alcácer-Quibir, o time pudesse garantir de forma milagrosa essa vaga. Para o Peñarol a tarefa era mais simples, e uma vitória deixaria o time com um pé na fase semifinal.


Cruzamento de jogador do Peñarol pela direita do seu ataque. Foto: Fernando Martinez.


Falta para a equipe uruguaia que acabou batendo na barreira. Foto: Fernando Martinez.

Para esse jogo consegui descobrir uma sombrinha fantástica atrás do gol defendido pelo arqueiro do Porto Elói. Só assim para suportar o chatíssimo calor que fazia por lá. Acompanhei um primeiro tempo equilibrado, aonde o Porto fez uma partida digna contra um adversário visivelmente mais forte. O Peñarol tentava fazer logo seu gol, mas estava afobado demais nas conclusões.


Tentativa de longe para a equipe sul-americana. Foto: Fernando Martinez.

O tempo inicial seguiu com essa toada, e aproveitei um convite do pessoal local para conhecer as instalações de imprensa que ficam do lado oposto às atuais cabines de TV. O local é muito bem arrumado, com uma seção VIP belíssima e 24 cabines muito confortáveis. Dali acabei vendo o primeiro gol da partida, justamente do onze lusitano. Numa cobrança de pênalti aos 35 minutos, o camisa 7 Fábio aproveitou o rebote do goleiro Pablo e deixou o Porto na frente.


Momento em que o arqueiro Pablo fazia a defesa do pênalti cobrado por Fábio, mas no rebote o gol acabou acontecendo. Foto: Fernando Martinez.

No intervalo acabei voltando para o campo, já que o único lugar que dava para ficar na boa com o sol de meio-dia era na sombra atrás do gol "da esquerda". E para mostrar que a Lei de Murphy funciona mesmo, os demais gols do jogo saíram do lado oposto e bem longe de mim, pois o Peñarol voltou disposto a virar o marcador.


Jogador português fazendo uma acrobacia na Arena Barueri. Foto: Fernando Martinez.


Chegada do Porto pela esquerda com a marcação cerrada de zagueiro do Peñarol. Foto: Fernando Martinez.

Logo aos 5 minutos o onze uruguaio deixou tudo igual com um golaço do jogador Alejandro, que entrou na área, driblou o zagueiro e chutou no canto esquerdo do goleiro. A equipe sul-americana continuou insistindo e depois de perder vários gols, conseguiu a esperada virada aos 29 minutos numa cobrança de pênalti do camisa 10 Miguel Agustín.


Mesmo de longe, esse é o gol que decretou a viada uruguaia, em pênalti cobrado por Miguel Augustín. Foto: Fernando Martinez.

Dois minutos após esse gol, o Peñarol marcou o terceiro com mais um gol de Miguel Augustín. Daí foi só aguardar o apito final para festejar a classificação. Final de jogo: Porto 1-3 Peñarol. O time uruguaio já era dono de uma das vagas para a segunda fase, e o jogo seguinte definiria o outro time que iria jogar a semifinal vindo do Grupo A. E um clássico brasileiro estava na pauta do dia.

Até lá!

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário