Procure no JP

terça-feira, 6 de julho de 2010

Paulistinha de São Carlos pela primeira vez no JP como profissional

Olá,

Dando sequência à cobertura do Campeonato Paulista da Segunda Divisão, no domingo bem cedinho, peguei a Via Anhanguera e Rodovia Washington Luiz e segui até a importante cidade de São Carlos, com o objetivo de ver de perto a partida C.A. Paulistinha x Américo E.L., válida pelo Grupo 2 na sua décima rodada da primeira fase da competição. O palco da partida foi o Estádio Professor Luiz Augusto de Oliveira, também conhecido como Luizão.

Esse confronto envolveu os dois extremos da tabela de classificação, pois enquanto o time da casa ocupava a última (7ª) colocação do grupo com 5 pontos, o time visitante entrava em campo como líder com 15 pontos. Apesar da grande diferença nas campanhas, havia a expectativa de que a partida seria marcada pelo equilíbrio, por conta do Paulistinha ter se reforçado com com atletas mais experientes e também por ter iniciado uma reação na competição. Diante disso, a briga pelos três pontos prometia. 

Para não perder o costume, começo apresentando os times e os árbitros que posaram para as lentes do JP, cujas fotos estão abaixo:


C.A. Paulistinha - São Carlos/SP. Foto: Orlando Lacanna. 


Américo E.L. - Américo Brasiliense/SP. Foto: Orlando Lacanna. 


Trio de arbitragem composto por Giuliano Dutra Pellegrini e seus assistentes Caio Mesquita de Almeida e Rafael Luiz da Silva, ao lado dos capitães das equipes. Foto: Orlando Lacanna. 

O início da partida foi de intensa movimentação, com o Paulistinha imprimindo um ritmo veloz às jogadas e chegando com razoável perigo à meta adversária por algumas vezes até os primeiros vinte minutos. Vale destacar dois bons momentos do ataque dos donos da casa, aos 12 e 17 minutos, em jogadas de Tales (ex-São Carlos) e Ninho.


Jogada ofensiva do Paulistinha pelo alto no início da partida. Foto: Orlando Lacanna. 

Depois do vigésimo minuto, o Américo foi quebrando o ritmo veloz do Paulistinha e, com isso, equilibrou as ações, passando a atacar com mais frequência, como aconteceu na marca dos 35 e 40 minutos. No primeiro lance, o ala Moraes subiu sozinho e tocou de cabeça por cima do travessão, assustando o goleiro da casa Helinho. Na segunda jogada, o meia Daniel invadiu pela esquerda e mandou um foguete que também foi embora passando por cima da meta. 


Agora uma jogada ofensiva do Américo também pelo alto. Foto: Orlando Lacanna. 


Ataque do Américo pelo lado esquerdo. Foto: Orlando Lacanna. 

Apesar dos esforços dos dois times, o primeiro tempo chegou ao fim sem que ninguém conseguisse mexer no placar, sendo que nessa etapa prevaleceu o equilíbrio, com ligeiro predomínio do time da casa que demonstrou muito garra, mas as vezes se perdia pelo excesso de entusiasmo. Foram poucos os lances de maior perigo.

Durante o intervalo deixei o gramado e passei a acompanhar a etapa final devidamente acomodado numa cabine de imprensa. De lá de cima, vi o Paulistinha desperdiçar logo aos 2 minutos, aquela que foi a sua maior chance na partida de abrir o marcador. Tudo começou com uma saída errada da zaga do Américo, que permitiu ao camisa 7 Rafa recuperar a bola, invadir a área e concluir para fora com muito perigo, levando ao desespero a pequena, mas entusiasmada torcida local.


Oportunidade de ouro desperdiçada pelo Paulistinha no início do segundo tempo. Foto: Orlando Lacanna. 

Após quase ter tomado o gol, o Américo passou a jogar num ritmo mais cadenciado e chamando o Paulistinha para cima, visando pegar o time da casa de surpresa em contra-ataque, porém essa estratégia não funcionou, por conta da boa postura do setor defensivo dos anfitriões e pela falta de velocidade do time visitante.

Durante o segundo tempo, o técnico do Paulistinha colocou em campo o jovem atacante Gabrielzinho, que foi um espetáculo à parte, pois apesar da baixa estatura, encarou os enormes zagueiros do Américo com muita coragem, imprimindo alta velocidade nas jogadas e levando sua torcida ao delírio. O baixinho é fera mesmo.


Defesa do goleiro Rafael do Américo anulando ataque do Paulistinha iniciado por Gabrielzinho. Foto: Orlando Lacanna. 

O time visante dava sinais claros que estava contente com o empate, porém na marca dos 31 minutos, só não chegou ao gol de abertura, graças à infelicidade do centro-avante Bruno Nunes na hora da conclusão, pois pegou na orelha da bola e a mandou para fora, depois de receber um passe perfeito de Mosart que construiu ótima jogada individual pelo lado esquerdo. 


Chance incrível perdida pelo atacante do Américo. Foto: Orlando Lacanna. 

Nos últimos dez minutos as equipes já davam sinais de cansaço e, com isso, as jogadas ofensivas se tornaram ainda mais raras. Mesmo assim, o Paulistinha ainda chegou mais uma vez com perigo, aos 37 minutos, num bom arremate de Sgobbi desferido da entrada da área pelo lado esquerdo, obrigando o goleiro Rafael a se virar numa difícil defesa.

Fim de jogo com o placar estampando Paulistinha 0 - 0 Américo, resultado que não ajudou o time de São Carlos, pois o ponto conquistado não foi suficiente para tirá-lo da última (7ª) posição do grupo, tendo agora 6 pontos. Por outro lado, o empate conquistado fora de casa pelo Américo o tirou da liderança do grupo, colocando-o na 2ª posição com 16 pontos e deixando a liderança para o Guariba com 17, mas com chances de recuperar o primeiro lugar, uma vez que está com um jogo a menos em relação ao atual líder. 

Tão logo a partida foi encerrada, comecei a viagem de retorno para a Capital com a sitisfação de ter presenciado um jogo bem movimentado, apesar de não ter saído nenhum gol e, mais do que isso, satisfeito por ter podido mostrar, pela primeira vez, o Paulistinha atuando em competição profissional aos amigos internautas que nos acompanham. Foi isso.

Abraços,

Orlando

Nenhum comentário:

Postar um comentário