Procure no JP

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Vitória dramática do União Barbarense sobre o Monte Azul

Olá,

Outro final de semana chegou e fim-de-semana é sinônimo de futebol, sendo que para o JOGOS PERDIDOS, futebol significa pé na estrada e acompanhamento de partidas envolvendo competições de acesso. Nessa linha, no último sábado à tarde, viajei pela Rodovia dos Bandeirantes com destino a acolhedora cidade de Santa Bárbara D'Oeste, para conferir de perto o que rolou na partida União Agrícola Barbarense F.C. x A. Monte Azul, realizada no Estádio Antônio Lins Ribeiro Guimarães, valendo pela décima sexta rodada da fase inicial do Campeonato Paulista da Série A2.

Esse confronto reuniu uma equipe (União Barbarense) que queria melhorar sua posição na tabela de classificação, uma vez que estava na 15ª posição com 17 pontos, contra uma outra (Monte Azul) que já estava classificada para a segunda fase, ocupando a 1ª colocação com o dobro de pontos (34) do adversário e que vinha disposta a manter uma invencibilidade de 13 jogos. Por todos esses motivos, havia uma grande expectativa da torcida local para saber o que o seu time poderia realizar contra um time de melhor campanha no campeonato, até porque a conquista dos três pontos era fundamental para continuar sonhando com uma das oito vagas à segunda fase e ao mesmo tempo se afastar da zona do rebaixamento.

Sempre que viajo ao interior, costumo chegar ao meu destino com antecedência, visando evitar qualquer contra-tempo que possa gerar atraso na chagada ao estádio e, nessa viagem, esse meu cuidado foi fundamental, pois desembarquei num terminal rodoviário inaugurado não faz muito tempo, construído numa região afastada do centro e com pouca condução disponível. Depois de uma espera razoável, consegui um táxi e deu para chegar com tempo suficiente para fazer as fotos dos times e dos árbitros, as quais apresento abaixo:


União Agrícola Barbarense F.C. - Santa Bárbara D'Oeste/SP. Foto: Orlando Lacanna.


A. Monte Azul - Monte Azul/SP. Foto: Orlando Lacanna.


Quarteto de arbitragem com o árbitro Alexandre Bigai Miranda, os assistentes Giovani Cesar Canziam e Jumar Nunes Santos e o quarto árbitro Sérgio Ricardo de Oliveira junto com os capitães dos times. Foto: Orlando Lacanna.

Bem, agora falando de futebol, a partida começou bem animada, com os dois times mostrando muita disposição, sendo que o equilíbrio das ações perdurou durante os primeiros dez minutos. A partir daí, o União Barbarense começou a ter mais presença no campo de ataque e, como consequência, abriu a contagem aos 12 minutos, numa escapada pela direita que culminou com um cruzamento de Diego Macedo para o meio da área, encontrando a cabeça do volante Kelisson do Monte Azul, que com estilo, marcou um golaço contra, enchendo de alegria a maioria dos 704 torcedores presentes.

Mesmo em vantagem, o "Leão da 13" continuou em cima, insistindo nas jogadas de ataque, normalmente iniciadas pelas pontas e, num descuido do seu setor defensivo, acabou sofrendo o empate, aos 24 minutos, num gol anotado por Edilson, ao aproveitar rebote do goleiro Thiago Passos, após uma defesaça em cabeçada de Jales.


Um dos ataques pelas pontas do União Barbarense no primeiro tempo. Foto: Orlando Lacanna.


Cruzamento perigoso do ataque do Monte Azul na primeira etapa. Foto: Orlando Lacanna.

Após a igualdade ter sido estabelecida, a partida assumiu um ritmo de equilíbrio, com os times se alternando na criação de uma ou outra jogada mais perigosa, como aconteceu aos 35 minutos, quando o zagueirão Glauber do União Barbarense, tocou de raspão de cabeça, assustando o goleiro Leandro Santos.


Zagueirão Glauber quase marcando o segundo gol do Leão da 13. Foto: Orlando Lacanna.

O Monte Azul não se intimidava e respondeu aos 42 minutos, num chute perigoso de Kellison que passou muito perto, numa tentativa de se redimir do golaço marcado contra. Como não aconteceu nada de mais importante nos últimos três minutos, a primeira etapa foi encerrada no 1 a 1 mesmo, com as maiores emoções ficando reservadas para o segundo tempo.

Durante o intervalo, fiquei conversando com os repórteres de campo e com os fiscais da FPF, além de desfrutar de um cestão de frutas, gentilmente oferecido pela Diretoria do time da casa. Foi uma festa, não sobrando uma única frutinha para contar a história, pois o pessoal, incluindo eu, foi com tudo para cima da cesta. Valeu pela originalidade.

A partida recomeçou e, logo aos 2 minutos, o time da casa voltou a comandar o placar, com a marcação do seu segundo gol, anotado por Emílio Nazatto, escorando de cabeça, quase debaixo do gol, um cruzamento vindo da direita executado pelo capitão Dionízio.


Bola na caçapa do Monte Azul no segundo gol do União Barbarense anotado por Emílio Nazatto. Foto: Orlando Lacanna.

A marcação do segundo gol empolgou o time do União Barbarense que teve a oportunidade de ampliar a contagem, aos 6 minutos, quando teve um pênalti marcado a seu favor, porém o atacante Douglas Silva não aproveitou a chance, pois executou a cobrança de maneira telegrafada e, com isso, permitiu ao goleiro Leandro Santos fazer a defesa.


Pênalti desperdiçado por Douglas Silva no início do segundo tempo. Foto: Orlando Lacanna.

A perda do pênalti perturbou o time da casa, mas mesmo assim conseguiu manter o equilíbrio das ações ao longo dos primeiros quinze minutos. Aos 18 minutos, o Monte Azul teve o seu zagueiro Jean expulso por ter recebido o segundo cartão amarelo e, a partir daí, o alvinegro tentou de todas as formas aproveitar a vantagem de um homem para matar a partida, porém quem chegou à marcação do seu gol foi o Monte Azul, aos 32 minutos, através de Fabinho ao desviar um cruzamento vindo da direita. O União Barbarense respondeu um minuto depois, num arremate perigoso da entrada da área desferido por Dionízio que obrigou o goleiro visitante a praticar espetacular defesa.


Fabinho caído e desviando a bola para marcar o segundo gol do Monte Azul. Foto: Orlando Lacanna.

A torcida local já dava mostras da sua irritação com o time, quando na marca dos 34 minutos, as coisas pioraram ainda mais para os donos da casa, uma vez que o seu atleta Bruno acabou sendo expulso por ter dado um pontapé no adversário. Os últimos quinze minutos foram jogados num clima de muita tensão, com o União Barbarense sendo pressionado pela sua torcida para ir com tudo para cima do adversário que, por sua vez, só administrava o jogo, tocando a bola e fazendo o tempo passar, visando segurar o empate até o fim o que lhe garantia a manutenção da sua invencibilidade.

Quando o empate parecia que seria o placar final, eis que, aos 49 minutos, o iluminado Emílio Nazatto balançou a rede do Monte Azul pela terceira vez, levando a torcida alvinegra a uma explosão incrível de alegria e alívio.


Pelota no fundo do balaio do Monte Azul no gol da vitória alvinegra. Foto: Orlando Lacanna.

Depois do terceiro gol, não houve tempo para mais nada e a partida foi encerrada com o marcador estampando União Barbarense 3 - 2 Monte Azul que causou pouca alteração na tábua de classificação, pois o time da casa ainda continua meio distante do G8, embora ainda continue com chances. Por outro lado, os visitantes conseguiram manter a liderança nessa primeira fase.

Fim de partida e início do retorno para São Paulo, enfrentando novamente as dificuldades para chegar até a rodoviária nova, para aí sim embarcar. Depois dessa viagem, iniciei um período de descanso, uma vez que tirei o domingo de folga. Mesmo não indo a campo, o futebol na telinha esteve presente.

Abraços,

Orlando

Nenhum comentário:

Postar um comentário