Procure no JP

segunda-feira, 13 de abril de 2009

JP na Argentina 5 (2/5): Um sonho realizado num jogo do Ferro Carril Oeste

¡Hola!

Seguindo com a minha jornada em terras portenhas, logo após o jogo Atlanta x Flandria, eu tive a chance de matar um time sensacional e que estava na minha lista de desejos desde os anos 80. Sem querer perder tempo, peguei um dos baratos táxis de Buenos Aires rumo ao bairro de Caballito, aonde um dos times mais legais da Argentina tem sua sede. E lá cheguei eu a tempo de ver um jogao pela Primeira B Nacional, a segunda divisao daqui. A partida em questao foi entre o genial Ferro Carril Oeste e o Belgrano de Córdoba.

Desde a Libertadores de 1985, aonde o campeao e vice brasileiros de 1984 - Fluminense e Vasco - jogaram contra os argentinos Argentinos Juniors e o Ferro, tive a vontade de um dia ver o time do Estádio Caballito em açao. Já tinha programado algumas viagens para a capital federal argentina que nunca deram certo. E todas elas tinham um jogo do ferro na programaçao. E dessa vez finalmente deu certo, e a emoçao de entrar no estádio do Ferro foi única.

O estádio é grandioso, mas grande parte das suas arquibancadas estao interditadas. E fiz questao de ver essa partida no meio dos "hinchas" do Ferro. Pena que o time nao esteja fazendo uma ótima campanha e esteja perambulando pelas posiçoes intermediárias, pouco para um time que já foi campeao por duas vezes, em 1982 e 1984. Mas a torcida se fez presente para o jogo contra o time de Córdoba, que estava no quarto lugar na tábua de classificaçao.


Tentativa de ataque do Ferro no começo do jogo. Foto: Fernando Martinez.


Visao geral do Estádio Caballito durante o jogo. Foto: Fernando Martinez.

E o jogo foi bastante disputado na primeira etapa, com o Ferro jogando em cima do Belgrano, em busca de um bom resultado em casa. Vale registrar o enorme número de crianças presentes por lá, mostrando que as coisas por aqui sao bem diferentes do que no Brasil. E mesmo com o pau quebrando no meio dos "hinchas", nada abalou a animaçao da torcida. Mas o time pecava sempre no toque final, deixando o Belgrano gostar o jogo. E quem acabou marcando primeiro foi justamente o time de Córdoba aos 31 minutos. O jogador Pablo Chavarría recebeu cruzamento da esquerda e sozinho abriu o placar.


Mais um ataque do Ferro, tentando dar uma alegria à sua torcida. Foto: Fernando Martinez.


Zaga do Belgrano aliviando o perigo e jogando a bola pra escanteio. Foto: Fernando Martinez.

Isso nao desanimou a torcida, muito pelo contrário. Os "hinchas" continuaram cantando sem parar dando força para o time. Enquanto isso crianças brincavam perto do alambrado, maes davam de mamar a bebês de colo e muitos senhores curtiam o jogo sossegado, um cenário que acredito que nunca verei num estádio brasileiro. E comigo ainda maravilhado pelo cenário que estava vivendo, o primeiro tempo acabou com a vitória parcial dos visitantes por 1 a 0.

 

Detalhes da torcida do Ferro: primeiro o "Balcón Verde", que é justamente de uma sacada do prédio que fica ao lado do estádio. E do lado, a faixa "Martinez, F.C.O.", provavelmente uma homenagem à minha presença do Estádio Caballito. Fotos: Fernando Martinez.


Agora toda a "hincha" do Ferro, e olha que parece muito o Anacleto Campanella, LÓGICO que guardadas as devidas proporçoes. Foto: Fernando Martinez.

Também aproveitei o intervalo para saborear um delicioso "pancho" vendido nos bares do Ferro. Bom, o "pancho" nada mais é do que o nosso velho cachorro-quente. Mas olha, muito mais saboroso do que aqueles com salsichas de plástico vendidos na porta dos estádios brasileiros. Mas aqui as coisas estao um pouco mais caras do que de costume, e um pancho estava custando cinco pesos, o equivalente a três reais. E dois "panchos" depois, fui acompanhar a segunda etapa de partida.


Agora com a noite chegando, mais uma visao geral do Estádio Caballito. Foto: Fernando Martinez.


Lance do segundo gol do Belgrano. Quem acabou marcando de cabeça foi o camisa 9, embaixo da foto. Foto: Fernando Martinez.

O segundo tempo veio com o Belgrano buscando segurar sua vitória parcial e com o Ferro Carril buscando a virada. Mas a equipe verde nao estava nos seus melhores dias, e nao conseguia penetrar na defesa do time azul. E o jogo foi seguindo nessa toada, comigo de um olho no jogo e de outro na incansável torcida do Ferro. E entao o Belgrano chegou ao segundo gol aos 32 minutos, em bobeada coletiva da zaga do Ferro. Ela deixou o jogador Andrés Soriano livre na pequena área para cabecear para o fundo das redes.

Logo após esse gol, o Ferro teve a chance de diminuir aos 34 minutos numa cobrança de pênalti. O jogador Gonzalo Castellani bareu com estilo e fez o primeiro dos donos da casa. O time tentou, tentou e tentou a reaçao até o fim do jogo, mas já era tarde.


Agora o primeiro gol do Ferro, em cobrança de pênalti. Foto: Fernando Martinez.



A belíssima parte coberta do Estádio Caballito ao final do jogo entre Ferro Carril x Belgrano. Foto: Fernando Martinez.

Final de partida: Ferro Carril 1-2 Belgrano. Com a vitória, o time de Córdoba fica na quarta posiçao, ainda na luta por uma vaga na Primeira Divisao em 2010. O Ferro permanece na 12ªposiçao sem mais nada a fazer no campeonato, a nao ser terminar numa posiçao digna. Mas o melhor do dia foi a oportunidade de ver um time que sempre sonhei ver ao vivo, jogando uma partida no seu próprio estádio. Emoçao dessas nao tem preço que pague, e é bom demais poder viver esse tipo de situaçao.

Após o jogo, com o horário apertado para ir a um belo restaurante em Porto Madero, peguei um táxi para chegar ao hotel em que estou hospedado. Com o trânsito nervoso, sem faixas e muito menos preferenciais, os vinte minutos de emoçao foram momentos interessantes. E o sábado à noite foi bom demais, com um passeio demais pelas ruas largas e tranquilas no centro de BA.

E no domingo teve mais jogo, agora num estádio que sempre fez parte das minhas memórias televisivas.

!Hasta luego¡

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário