Procure no JP

sábado, 18 de abril de 2009

JP na Argentina 7 (4/5): Ao lado da "hinchada" do Chacarita Juniors

Olá, pessoal!

A viagem até a Argentina se encerrou hoje, mas ainda tenho dois relatos na manga para fazer aqui no JP. Só não os fiz antes pois a logística estava complicada, além de que a capital portenha é algo maravilhoso, e com certeza estava conhecendo algum lugar lindo ao invés de escrever aqui. Mas seguindo a minha leva de posts, na segunda-feira fui conferir um jogo num local já visitado antes, o Estadio Caballito, propriedade do Ferro Carril. Mas o jogo era de outro time de infância, o Club Atletico Chacarita Juniors. E os "funebreros" jogaram uma partida pela Primeira B Nacional contra o não menos legal Unión de Santa Fé.

Como disse antes, chegar no Caballito é fácil. Fica mais tranqüilo ir até a Estação Primeira Junta, da Linha A do "Subte" de Buenos Aires. Dali, pegar um táxi é a melhor opção, e cerca de 7 pesos depois estamos na porta do estádio do glorioso Ferro Carril. Mas o cenário era bem diferente do que vi no sábado, pois os "funebreros" tomavam conta de cada espaço disponível para eles no estádio.

O fato da "hinchada" ser uma das fanáticas de Buenos Aires ajuda bastante, mas o principal é que o time vem fazendo uma campanha impecável na Segundona Argentina, e seguindo nessa todada, voltará com louvor para a Primeira A. O time está longe da elite desde 2004, e os "hinchas" não vêem a hora da equipe voltar a jogar contra os melhores times do país. E logo quando entrei já vi que seria um jogo especial, pois muito tempo antes da partida começar, a cantoria já era grande.


Times alinhados para o começo da partida entre Chacarita Jrs. x Unión. Foto: Fernando Martinez.

Como já tinha ficado na parte ao lado dos "hinchas" no sábado, dessa vez fui garantir meu lugar na "plateia", a parte coberta do Caballito. E de qualquer ponto em que a gente esteja por lá a visão é espetacular. E dali pude ver o líder da Primeira B Nacional destruiur o time do Unión, que já não busca muita coisa nessa competição. E o dia era do artilheiro da Primeira B até aqui, o jogador Toledo.


Jogadores observando atentamente a bola na lateral de campo. Foto: Fernando Martinez.


O Unión tentou, mas a zaga do Chacarita estava num ótimo dia. Foto: Fernando Martinez.

Sem maiores sustos, e mesmo com o Unión tentando assustar no começo do jogo, o Chacarita chegou ao primeiro gol aos 18 minutos num pênalti maroto que só o árbitro viu. Na cobrança, o atacante Toledo fez o primeiro da noite e começava a garantir a nota 10 que recebeu do diário Olé pela sua atuação na partida. É, lá a imprensa esportiva dá a devida importância aos campeonatos de acesso nacionais com matérias, fotos e muito destaque para as divisões inferiores. Bem diferente da nossa "imprensa" esportiva nacional ridícula e que só serve para ser engraçadinha, babar ovo para times grandes ou criar falsas polêmicas.


Primeiro gol do Chacarita, marcado pelo atacante Toledo. Foto: Fernando Martinez.

Bom, polêmicas à parte, o Unión se lançou ao ataque depois de sofrer o primeiro tento e conseguiu o sonhado empate aos 22 minutos, num chutaço de Pérez de fora da área, que o goleiro Tauber aceitou. Mas mesmo com o gol sofrido, o Chacarita não esmoreceu e mereceu fazer o segundo gol antes do primeiro tempo terminar. Mas ao final dos primeiros 45 minutos, o 1 a 1 estava estampado no marcador.

Para o intervalo, a chegada de uma ventania absurda foi um motivo a mais para eu tentar me abrigar em algum canto do estádio. E fui então buscar o delicioso hamburguer argentino vendido nas cantinas dali. Debaixo da paltéia também um vendedor de tudo o que vocês podem imaginar sobre os "funebreros" fazia a festa ali. Mas por falta de Pesos extras no bolso naquela hora, deixei minhas compras pra depois.

 

Dois detalhes do Estadio Caballito que não tinha mostrado no post do jogo do Ferro: uma placa indicando os dois títulos nacionais da equipe, bastante comemorados até hoje e escudinho do time na lateral do gramado. Fotos: Fernando Martinez.

Sem conseguir suportar o frio que caiu por lá, fui sentar perto dos torcida do Chacarita e ficar também perto da "hinchada" que não parava de cantar. E com a presença da "La Famosa Banda De San Martin", foi um espetáculo à parte ver a torcida cantar nos 45 minutos finais. E ainda por cima o time correspondeu tamanho apoio com sobras em campo. Aos 9 minutos, a equipe passou de novo à frente do marcador através do jogador Toledo. E ele mesmo cobrou pênalti aos 13 para fazer o terceiro dele e o terceiro do Chacarita.


Bandeira gigante que a "hinchada" do Chacarita estende durante as partidas. Uma das torcidas mais animadas da Argentina, com toda a certeza. Foto: Fernando Martinez.


Agora lá do alto a visão do jogo válido pela Primeira B Nacional. Foto: Fernando Martinez.

A festa era enorme, e diferente do que vemos pelo Brasil, a turma da numerada fazia coro com o pessoal da arquibancada, e o canto do Chacarita ecoava por todo o Estadio Caballito. Filmei algumas partes dessa cantoria e vendo hoje ainda arrepia do mesmo jeito que arrepiou na hora da partida. E mesmo congelado de frio, me senti privilegiado de estar ali. E nesse clima festivo, o Chacarita marcou mais um aos 24 minutos, através do jogador Alustiza.


Terceiro gol dos mandantes e terceiro gol do atacante Toledo, artilheiro da Primeira B até aqui. Foto: Fernando Martinez.


O Unión chegou ao gol nesse lance, mas o mesmo foi anulado por impedimento. Foto: Fernando Martinez.

O jogo já estava decidido, mas talvez inspirado em tanta cantoria, o jogador Pereyra, do Unión, acabou marcando um golaço aos 31 minutos. Foi o gol de bicicleta mais perfeito que já vi em estádio, e até a torcida local aplaudiu a beleza do tento. Não foi daquelas bicicletas tortas não, e sim uma das perfeitas. Tanto que o gol foi repetido demais nas TVs que mostram esporte na Argentina na terça-feira.


Segundos depois desse lance, a bola estaria no fundo das redes do Chacarita, numa pintura de gol do jogador Pereyra. Foto: Fernando Martinez.

Bom, a partida seguiu sem mais mudanças no placar e com um final extremamente feliz para os "funebreros": Chacarita Juniors 4-2 Unión. Com essa vitória, o time vermelho e preto abre seis pontos de vantagem sobre os segundos colocados da Primeira B Nacional: Atletico Tucumán e Aldosivi. O Unión fica no seu 12ºlugar sem mais nada a fazer. O resultado deixa o time do Chacarita mais perto da voltar à elite argentina no segundo semestre desse ano. E nem preciso dizer que eles tem toda minha torcida, né?

Saindo do estádio, fiz o caminho de volta até a Estação Primeira Junta. Lá, tive o enorme prazer de pegar um vagão do metrô que me fez sentir em 1918. Todo de madeira, tem detalhes antiquíssimos e quando o trem para na estação, nós mesmos temos que abrir a porta para sair. Mais uma atração à parte na belíssima capital argentina.

 

O trem chegando na Estação Primeira Junta, do "Subte" argentino. E dentro do mesmo tudo de madeira, inclusive com tiozinhos que andam desde 1936 nesse mesmo vagão, sem pagar passagem. Fotos: Fernando Martinez.

Chegando no hotel, ainda vi parte da reprise da partida (sim, lá tem TVs que dão muito valor aos campeonatos de acesso argentinos, inclusive com vários jogos ao vivo para o país todo) para depois curtir um pouco mais da noite da capital federal da Argentina. E tudo para acordar cedo na terça, pois minha última partida em Buenos Aires me aguardava.

Até lá

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário