Procure no JP

quarta-feira, 22 de março de 2006

A História pré-JP, volume 15: Magical Mystery Tour no Sul 2004 (parte 5 de 6)

Opa,

Aproveitando que essa semana não teremos jogos avulsos na quarta-feira, vamos agora com a quinta parte da saga pelo Sul do país que fiz em 2004. Depois do quarto jogo da série, o que rolou em Camboriú, dia 30 de maio de 2004, a próxima partida na lista era um jogaço entre Figueirense B e Blumenau, na segunda-feira à tarde, em Floripa. Fiz tudo certinho, chegando lá com 30 minutos de antecedência, e para minha surpresa, eles tinham jogado de manhã (!). Super feliz, voltei para o QG em Balneário Camboriú e passei a semana armando o esquema do fim-de-semana seguinte.

A FCF mudou por várias vezes a tabela, me deixando totalmente perdido, e acabei descobrindo na sexta-feira, 4 de junho, às quatro e meia da tarde, que haveria um jogo na cidade de Tijucas, às oito e meia. O jogo em questão era Tiradentes de Tijucas e Guarani de Palhoça. Desesperado, fui até a rodoviária de Itajaí (aonde eu estava na internet) e peguei o primeiro busão até tal cidade. O problema é que esse ônibus era pinga-pinga, e levou três horas para seguir um caminho que levaria mais ou menos, meia hora (!).


Escudos do Tiradentes/SC (hoje afastado do futebol) e do Guarani de Palhoça. Simpaticíssimos times do futebol catarinense. Reprodução: Arquivo pessoal.

Cheguei em cima da pinta, e se o estádio fosse um pouco longe da Rodoviária, não daria tempo de chegar no início da partida. Mas além de ser "muuuito" perto, o Estádio Sebastião Vieira Peixoto, é no mesmo quarteirão da Rodoviária. Saindo do ônibus, temos como ver parte do jogo. Genial! Como não tinha o macete ainda, não consegui entrar no campo, mesmo insistindo com os fiscais da FCF. Mas faz parte.


Fachada do Estádio Sebastião Vieira Peixoto na cidade de Tijucas, SC. Foto: Fernando Martinez.

No primeiro tempo fui ficar atrás dos bancos de reservas, para poder ver o jogo tranqüilo, já que lá não havia muitas pessoas em volta. De lá, vi um belo público presente no local, mesmo sendo sexta-feira à noite e vi uma bela partida, com bastante movimentação dos dois lados. Logo no início, o Guarani marcou seu primeiro gol, deixando a torcida do Tiradentes desanimada.


De longe, detalhe do jogo entre Tiradentes de Tijucas e Guarani de Palhoça em 2004. Dois detalhes na foto: o primeiro é que atrás do "outdoor" na parte esquerda da foto, há um viaduto da estrada que vai até Floripa, com vários caminhões parados no acostamento para curtir o jogo. E no mesmo "outdoor" uma parte da "tribuna" do estádio aonde fiquei no segundo tempo. Fotos: Fernando Martinez.

Ainda no primeiro tempo, e com uma relativa pressão, o Tiradentes chegou ao gol de empate, numa cobrança de pênalti. Mas, por azar e alguma bobeira da zaga, o Guarani fez seu segundo gol ainda no final dessa etapa e levou o jogo em 2 a 1 para o intervalo. Aproveitei e busquei um novo lugar para ficar, para buscar ângulos diferentes da partida. Descobri que havia uma espécie de "tribuna", acima das cabines de rádio. O que eu não sabia era a forma genial de chegar até lá: numa escada bem tosca, e através de um buraco (literalmente), que a gente conseguia entrar lá. Tosqueira total!


Detalhe do buraco que a torcida tinha que encarar para poder chegar na "tribuna" do estádio em Tijucas. À direita: jogador do Tiradentes cobrando um lateral ainda no primeiro tempo. Fotos: Fernando Martinez.

No segundo tempo, devidamente instalado na tribuna, vi um jogo mais fraco do que na primeira etapa, sem muitas chances de gol para ambos os times. O ataque do time da casa até que tentou chegar ao empate, mas nada deu certo e o jogo acabou mesmo com a vitória dos visitantes, que só se preocuparam em segurar o jogo para garantir a vitória.


Ataque do Tiradentes na segunda etapa do jogo contra o Guarani. Foto: Fernando Martinez.

Final de jogo: Tiradentes/SC 1-2 Guarani/SC. O mais legal é que eu tinha ido num estádio em que o Victor já tinha matado. Ele tinha visto um jogo do time local contra o Próspera de Criciúma. Legal se ver num lugar, longe da sua casa, em que um conhecido já foi. Pena que hoje em dia o Tiradentes esteja afastado do futebol. Esperamos que eles possam voltar em breve!


Escanteio para o Guarani no segundo tempo da partida. Foto: Fernando Martinez.

O detalhe da volta foi ver que a Rodoviária estava fechada e que eu iria pegar o último ônibus para Balneário Camboriú. No primeiro que apareceu lá, entrei, o motorista pegou minha passagem e só falou "Boa Noite!". Depois de quase estar na estrada, um dos caras da empresa de ônibus veio e me disse que aquele era o busão que iria para Floripa!!! Parando longe da Rodoviária, tive que correr uma São Silvestre para garantir minha passagem para "casa". Com esforço, cheguei no momento em que o meu ônibus saía de lá (bem coisa de filme) e pude chegar são e salvo no meu destino final.

Aí foi só curtir uma bela festa junina em Itajaí e arranjar um esquema para o jogo do sábado. Bom, seria uma rodada dupla, mas por problemas logísticos, não deu certo. Isso fica para o sexto e último post da Série. Até lá.

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário