Procure no JP

sexta-feira, 9 de dezembro de 2005

Samba & Futebol (parte 2 de 2)

Olá!

Foi durante um passeio pela Urca que confirmei o que parecia um milagre: uma tal Copa Record começaria a ser disputada durante minha estadia no Rio (Out/05). Depois de “matar” as quadras de Grande-Rio, Vila Isabel, Porto da Pedra, Cubango, Império Serrano, Portela e Beija-Flor, e o estádio de São Januário, eu poderia assistir um jogo no espetacular Estádio da Rua Bariri. E não era um jogo qualquer, era um jogo do sensacional Bonsucesso contra o Flamengo, em uma sexta-feira à tarde. No sábado, outro jogo fantástico: Campo Grande x Villa Rio, além do já programado Botafogo x Coritiba.

Com a chegada de minha ex-noiva Natália ao Rio, tive que dar um drible espetacular na sexta-feira, mas até que não foi difícil. Em seu primeiro dia no Rio ela preferiu ir à Zona Sul do que à Olaria. Não sei porque. Olaria é um bairro simpaticíssimo.

O horário de verão me traiu mais uma vez. Acostumado às tarde “javariescas”, acreditei que o jogo seria às 15 horas. Pouco antes desse horário, perguntei a uma das moscas que estavam de frente às fechadíssimas portas do simpático estádio, e descobri que a peleja seria iniciada somente às 16 horas.

Com uma fome de leão, e pouco dinheiro no bolso, atravessei a rua para experimentar um delicioso hambúrguer acompanhado do indefectível “Guaravita”. O detalhe é que a “lanchonete” era super caseira, uma coisa improvisada na garagem de uma simpática vizinha do clube. Não pude reclamar, o lanche estava delicioso, e foi bem baratinho e revigorante.

Com todas as testemunhas aguardando o Flamengo (com seu time C, ou D, sei lá), meu coração palpitou forte com a chegada do “Barcelona” carioca. Ao entrar no estádio, percebi que seria um tanto difícil adentrar o gramado para fotografar as equipes, e aí começou mais uma andança. O único acesso ao gramado ficava junto a parte social do clube, mas o acesso me foi negado por um prestativo (ao seu patrão) segurança.

Foi então que saquei um cartãozinho do Blog e chamei um rapaz que acreditei ser da Federação, a julgar pela camiseta que vestia. Animadíssimo, ele me apresentou a seus colegas, e logo descobri que tratar-se na verdade de um membro da Comissão Técnica do Bonsussa. Em poucos minutos, eu estava sob a alcunha de fotógrafo oficial do clube na partida, incumbido de registrar a partida para a equipe do subúrbio. O detalhe é que o acesso ao gramado foi feio pelo vestiário do clube, cuja porta de entrada dava direto para a Rua Bariri... melhor impossível.

A situação não me era mesmo favorável: descobri que eu teria no máximo 7 fotos pra fazer, o que me deixou preocupado. Priorizei as fotos das equipes, mas não dei sorte, a julgar pelo triste ocorrido com a foto do Bonsucesso, que teve problemas na hora de baixar. Uma pena mesmo. No fim, consegui apenas 5 fotos do jogo. Fiquei muito sem graça e nem tive coragem de voltar a falar com o simpático rapaz que me colocou no campo. Aliás, prometi que o post estaria no blog na segunda-feira, e já faz um mês isso. Definitivamente não sou o melhor divulgador do Blog, mas sou melhor que o David!! Mesmo com esse pequeno atraso, seguem as fotos dos times posados:


Bonsucesso F.C. - Rio de Janeiro / RJ. Bom, isso foi o que eu consegui resgatar da foto, acho que serve como registro. Foto: Estevan Mazzuia.


C. R. Flamengo - Rio de Janeiro / RJ. Essa até que deu pra salvar. Foto: Estevan Mazzuia.

Quanto ao jogo, o Flamengo fez três gols logo no primeiro tempo, e depois fechou o jogo com 4 a 0, pra minha tristeza. Esperava muito mais do Bonsucesso, mas meu amigo antecipou o resultado antes do jogo: “Olha, se perdermos, não fale mal do nosso time, por favor”. Portanto não entrarei em mais detalhes.


Lance da partida Bonsucesso x Flamengo na Rua Bariri. Foto: Estevan Mazzuia.


Mais um momento do fantástico encontro entre o Bonsussa e o Mengo. Foto: Estevan Mazzuia.

Para alegria de muitos, aqui acaba o relato de minha viagem ao Rio em outubro, porque no sábado, enquanto procurava confirmar o local de Campo Grande x Villla Rio (fontes confiáveis diziam que seria em Caio Martins, fontes mais confiáveis ainda diziam que seria em Marechal Hermes), me deparei com um show ao ar livre da Tradição e da Vizinha Faladeira, com bateria, pavilhão, intérprete e mulatas... Foi quando resolvi que era hora de investir em um post para outro tipo de blog... E apesar de minha programada visita à Ilha do Governador, à noite, incluir uma passagem pela Arena Petrobrás, antes da escola de samba, acabei desencanando do jogo. Assim, fico sem saber se sou o doente mais doente, ou o são mais são desse clube!

Abraços!

Estevan

Nenhum comentário:

Postar um comentário